<B> PROJETOS PARA EDUCAÇÃO BRASILEIRA: DA RETÓRICA CONSERVADORA AO PÂNICO MORAL

  • Amanda André de Mendonça Universidade Estácio de Sá - UNESA
Palavras-chave: Laicidade, Políticas educacionais

Resumo

O conflito entre os favoráveis à existência da temática de gênero na escola e os agentes e instituições contrários, evidenciou também um repertório de argumentos utilizados por ambas as partes. O poderio de argumentação foi fundamental para a sustentação das posições defendidas, bem como para que estas reverberassem em outros campos e segmentos sociais, ampliando assim o apoio e a adesão de novos agentes à disputa em curso. A partir deste quadro exponho sobre o que considero serem as repercussões ou os impactos das ações da coalizão conservadora formada, de sua retórica e dos medos sociais desenvolvidos. Nesse sentido, trago para este artigo uma breve análise de projetos recentes que são permeados pela retórica conservadora e fortalecidos no contexto de pânico moral estabelecido como o Movimento Escola Sem Partido, a retirada de gênero dos planos municipais e estaduais de educação e da Base Nacional Comum Curricular.

Biografia do Autor

Amanda André de Mendonça, Universidade Estácio de Sá - UNESA
Socióloga e mestre em educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ. Especialista em gênero e sexualidade pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ e doutora em Política Social pela Unversidade Federal Fluminense - UFF. Professora assistente desde 2014 da Universidade Estácio de Sá e professora substitura da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Referências

Referências Bibliográficas

CUNHA. L.A. A luta pela ética no ensino fundamental: religiosa ou laica? Cadernos de Pesquisa, São Paulo/SP, v. 39, n. 137, maio/ago. 2009.

______. A educação na concordata Brasil-Vaticano. Educação &Sociedade, Campinas/SP, v. 30, n. 106, p. 263-280, jan./abr. 2009.

______. O Conselho Nacional de Educação (1931-1961): memória e funções. Relatório de Pesquisa, Mimeo. (Financiamento do CNPq). [S.l.], 2009.

MOURA, F. P. de. Escola Sem Partido: relações entre Estado, educação e religião e os impactos no ensino de história. Dissertação – (Mestrado Profissional em Ensino de História) Instituto de História, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro/RJ, 2016. 189 f. [Impresso]

Referências Meio Eletrônico

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014. Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Brasília/DF, 2014. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2014/Lei/L13005.htm>. Acesso em: 21 out. 2014.

DE OLHOS NOS PLANOS. Maioria dos planos estaduais de educação incluem referência à igualdade de gênero. Junho de 2016. Disponível em: < http://www.deolhonosplanos.org.br/maioria-dos-planos-estaduais-de-educacao-aprovados-incluem-referencia-a-igualdade-de-genero/>. Acesso em: 19.jun.2016.

DUARTE, A. Demógrafo diz que até 2030, católicos devem ser menos de 50%. Jornal O Globo. Rio de Janeiro/RJ, Seção Brasil, 01 jul. 2012. Disponível em: <http://oglobo.globo.com/brasil/demografo-diz-que-ate-2030-catolicos-devem-ser-menos-de-50-5362149>. Acesso em: 19 jan. 2017.

__________. Educação ou Ideologias. Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro. Março de 2014.Disponível em: <http://arqrio.org/formacao/detalhes/381/educacao-ou-ideologias>. Acesso em: 19 jun.2016.

MIGUEL, L. F. Da “doutrinação marxista” à "ideologia de gênero": Escola Sem Partido e as leis da mordaça no parlamento brasileiro. Direito e Práxis, Rio de Janeiro/RJ, v.7, n.15, UERJ. 2016. Disponível em: <http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revistaceaju/article/view/25163>. Acesso em: 10 dez. 2016

NERY, H.R. Votação de 6 de maio poderá retirar ideologia de gênero do Plano Nacional da Educação. Sitio Acidigital, [S.l.], 30 abr. 2014. [Online] Disponível em: <http://www.acidigital.com/noticias/votacao-de-6-de-maio-poderia-retirar-ideologia-de-genero-do-plano-nacional-da-educacao-89391/>. Acesso em: 28 maio. 2017.

SENADO FEDERAL. Projeto de Lei nº101, de 27 de maio de 1993. Fixa Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília/DF, 1993. Disponível em: <http://www25.senado.leg.br/web/atividade/materias/-/materia/21944>. Acesso em: 07 jun. 2016.

TOKARNIA, M. Comissão da Câmara aprova texto-base do PNE e retira questão de gênero. Portal EBC, Agência Brasil. Brasília/DF, EBC, 22 abr. 2014. Disponível em: <http://agenciabrasil.ebc.com.br/educacao/noticia/2014-04/comissao-da-camara-aprova-texto-base-do-pne-e-retira-questao-de-genero>. Acesso em: 20 set. 2014.

______. MEC retira termo “orientação sexual” da versão final da Base Curricular. Portal EBC, Agência Brasil. Brasília/DF, EBC, 07 abr. 2017. Disponível em: <http://agenciabrasil.ebc.com.br/educacao/noticia/2017-04/mec-retira-termo-orientacao-sexual-da-versao-final-da-base-curricular>. Acesso em: 28 maio. 2017.

Publicado
2018-11-25