Foco e Escopo

Revista Communitas tem a missão de fomentar a discussão dialógica e ambivalente de maneira interdisciplinar entre as áreas da Educação, Letras, Linguística e áreas afins das Ciências Humanas, configurando-se como um canal alternativo para a tessitura de um campo teórico-epistemológico-metodológico-político na publicação de trabalhos inéditos resultantes de pesquisas desenvolvidas, em âmbito nacional e internacional, por sujeitos que buscam pensar e trabalhar suas áreas de investigação para além de uma perspectiva universal, hierárquica e hegemônica.

Processo de Avaliação pelos Pares

Os trabalhos deverão ser enviados a Comissão Editorial, via Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas (SEER), que os submeterá ao juízo do Conselho Editorial, para verificação de adequação à política editorial da revista e do cumprimento de exigências normativas. Os artigos serão encaminhados, sem identificação, a no mínimo dois avaliadores externos. No caso de discrepância avaliativa será enviado a um terceiro parecerista. O nome dos avaliadores será mantido em sigilo.

Periodicidade

A Revista terá periodicidade semestral e quando conveniente com uma Edição Especial.

Política de Acesso Livre

Esta revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona maior democratização mundial do conhecimento e não há cobrança de taxas para assinatura, leitura e submissão de trabalhos.

Indexadores

Indexadores:

       

      

  

       

Fontes de Apoio

  • Universidade Federal do Acre

Histórico do periódico

A Revista Communitas nasce das discussões dos Grupos de Pesquisas em Políticas, Práticas e Currículos (GpPPC) e do Grupo de Estudos Comparados e Temáticos em Literatura e Direitos Humanos (LiDH), com a missão de fomentar a discussão dialógica e ambivalente de maneira interdisciplinar entre as áreas da Educação, Letras, Linguística e áreas afins das Ciências Humanas, configurando-se como um canal alternativo para a tessitura de um campo teórico-epistemológico-metodológico-político na publicação de trabalhos inéditos resultantes de pesquisas desenvolvidas, em âmbito nacional e internacional, por sujeitos que buscam pensar e trabalhar suas áreas de investigação para além de uma perspectiva universal, hierárquica e hegemônica.