MAIS EMPODERADA QUE EU?

Antifeminismo e desdemocratização no Brasil atual

Autores

Palavras-chave:

antifeminismo, Desdemocracia, Feminismo

Resumo

O cenário mundial atual relacionado aos direitos das mulheres e da população LGBTQI tem sido marcado pelas inúmeras tentativas de retirada de direitos. Há uma investida aberta contra a agenda feminista ocorrendo nos espaços institucionais. No Brasil, setores religiosos conservadores tem se destacado nessa atuação, mas aliada a eles e, com grande notoriedade, estão as antifeministas. Assim, esse texto busca através de levantamento bibliográfico acerca da atuação de antifeministas na Câmara Federal brasileira, analisar a performance destas parlamentares.  A proposta do artigo é, portanto, identificar perfil, pautas, argumentos e principais ações dessas parlamentares, a fim de contribuir com leituras sobre a conjuntura de retirada de direitos e desdemocracia em curso no país.

Biografia do Autor

Amanda André de Mendonça, Universidade Estácio de Sá - UNESA

Socióloga e mestre em educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ. Especialista em gênero e sexualidade pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro - UERJ e doutora em Política Social pela Unversidade Federal Fluminense - UFF. Professora assistente desde 2014 da Universidade Estácio de Sá e professora substitura da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Referências

BIROLI. F; VAGGIONE. J.M; MACHADO. M.D.C. Gênero, neoconservadorismo e democracia: Disputas e retrocessos na América Latina. Boitempo Editorial; 1ª edição. São Paulo. 2020.
COELHO, F.M.F; SANTO, N.P. A mobilização católica contra a “ideologia de gênero” nas tramitações do plano nacional e educação brasileiro. Religare, v.13, n.1, julho de 2016, p.27-48.
Eleições 2018: bancada evangélica cresce na Câmara e no Senado - DIAP - Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar. Disponível em: <https://www.diap.org.br/index.php/noticias/noticias/88900-eleicoes-2018-bancada-evangelica-cresce-na-camara-e-no-senado>. Acesso em: 29 de jan. de 2021
JUNQUEIRA, R. D. A invenção da “ideologia de gênero”: a emergência de um cenário políticodiscursivo e a elaboração de uma retórica reacionária antigênero. Psicologia Política, 18(43), p. 449-502. 2018. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1519-549X2018000300004>. Acesso em: 29 de jan. de 2021
MACHADO. M. D. C. Pentecostais, sexualidade e família no Congresso Nacional. HORIZONTES ANTROPOLÓGICOS (UFRGS. IMPRESSO), v. 47, p. 351-380, 2017.
Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios: síntese de indicadores 2014 / IBGE, Coordenação de Trabalho e Rendimento. - Rio de Janeiro: IBGE, 2015. Disponível em: < https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv94935.pdf>. Acesso em: 29 de jan. de 2021
SOUZA. J. Os batalhadores brasileiros: nova classe média ou nova classe trabalhadora? 2 ed. MG, UFMG: 2012.

Downloads

Publicado

2021-03-30

Como Citar

DE MENDONÇA, A. A.; MOURA, F. MAIS EMPODERADA QUE EU? Antifeminismo e desdemocratização no Brasil atual. Communitas, [S. l.], v. 5, n. 9, p. 9–23, 2021. Disponível em: https://periodicos.ufac.br/index.php/COMMUNITAS/article/view/4663. Acesso em: 17 abr. 2021.