A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS EM PRISÕES

os sentidos da escolarização para os presos da penitenciária Lemos Brito, Salvador, BA

Autores

Palavras-chave:

EJA em prisões, Escolarização, Presos

Resumo

Este artigo analisa os sentidos da educação e da escolarização para os presos da Penitenciária Lemos Brito, localizada na capital baiana. A questão de partida foi: qual o sentido da escola, da educação e da educação em prisões para os presos do Pavilhão IV que ainda não ingressaram no processo de escolarização da Penitenciária Lemos Brito? As informações foram analisadas pela Técnica de Análise de Conteúdo em Bardin. Os resultados gerais mostram que os presos atribuem uma significância à escola e à educação, porém conferem ao trabalho e as condições socioeconômicas, o principal motivo da desistência ou impossibilidade de continuação dos estudos. Conhecem a educação fornecida na Penitenciária e as formas de acesso, contudo creditam a possibilidade dos estudos à remição de pena, que, para a maioria, é o principal fator de estímulo para a procura dos estudos na prisão.

Biografia do Autor

Antonio Pereira, Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

Doutor em Educação, Universidade Federal da Bahia. Professor e vice-coordenador do Programa de Pós-Graduação em Educação de Jovens e Adultos - Mestrado Profissional (MPEJA), Universidade do Estado da Bahia (UNEB). Líder do Grupo de Pesquisa Educação Social e Formação do Educador.

Alcimar Meirelles Santos, Universidade do Estado da Bahia (UNEB)

Mestre em Educação de Jovens e Adultos, Programa de P´ós-Graduação em Educação de Jovens e Adultos, Universidade do Estado da Bahia. 

Referências

BAHIA. RESOLUÇÃO N º 3, de 11 de março de 2009. Disponível em: http://depen.gov.br/DEPEN/depen/cnpcp/resolucoes/2009/resolucaono3de11demarcode2009. Acesso em: 01.06.2019.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRASIL. Lei n°7.210, de 11 de julho de 1984. Institui da Lei de Execução Penal. 1984. Disponível em http://www.planalto.gov.br/ccivil/leis/L7210.htm. Acesso em: 08.06.2020.

BRASIL. Lei n°9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília. 1996. Disponível

em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.htm. Acesso em: 15.06.1996.

BRASIL. Projeto de Lei, nº 7.117, de 2017. Altera a redação do art. 37 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Disponível em: https://www25.senado.leg.br/web/atividade/materias/-/materia/128871. Acesso em: 28.06.2020.

BRASIL. Decreto Nº 7.626/2011. Institui o Plano Estratégico de Educação no âmbito do Sistema Prisional. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011- 2014/2011/decreto/D7626.htm. Acesso em julho 2011.

BRASIL. Ministério da Educação. Câmara de Educação Básica. Resolução CNE/CEB nº. 2, de 19 de maio de 2010. Dispõe sobre as Diretrizes Nacionais para a oferta de educação para jovens e adultos em situação de privação de liberdade nos estabelecimentos penais. Brasília, 2010.

BRASIL. Ministério da Justiça. CONSELHO NACIONAL DE POLÍTICA CRIMINAL E PENITENCIÁRIA CNPCP. Resolução nº- 03, de 11 de março de 2009. Dispõe sobre as Diretrizes Nacionais para a Oferta de Educação nos estabelecimentos penais. Brasília. 2009.

BRASIL. Constituição da república Federativa do Brasil. 1998. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 05.08.2016.

DECLARAÇÃO DE HAMBURGO SOBRE EDUCAÇÃO DE ADULTOS. V Conferência Internacional sobre Educação de Adultos, Hamburgo, São Paulo, 1997. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/ue000006.pdf. Acesso em: 13.09.2017.

FREIRE, P. Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

FOUCAULT, M. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Petrópolis: Autêntica, 2009.

IRELAND, Timothy Denis. Educação em prisões no Brasil: direito, contradições e desafios. Em Aberto, Brasília, v. 24, n. 86, p. 19-39, 2011.

IRELAND, Timothy Denis. Revisitando a CONFINTEA: sessenta anos de defesa e promoção da educação de adultos. Revista Brasileira de Educação de Adultos, Salvador, v. 1, n. 1, p. 1-15, 2013.

JULIAO, E. F. Educação para Jovens e Adultos em situação de restrição e privação de liberdade: Questões, Avanços e Perspectivas. Trabalho & Educação, v. 26, n. 1, p. 06-23, 2013.

JULIAO, E. F. Uma visão socioeducativa da educação como programa de reinserção social na política de execução penal. Vertentes (UFSJ), v. 35, p. 01-15, 2010.

MACHADO, Stéfano Jander. A ressocialização do preso a luz da lei de execução penal. 2008. Disponível em: http://siaibib01.univali.br/pdf/Stefano%20Jander%20Machado.pdf, Acesso em: 20 de agosto de 2018.

MIRABETE, Julio Fabbrini. Manual de direito penal. 25ª ed., São Paulo: editora Atlas, 2007.

ONOFRE. E. M. Educação escolar para jovens e adultos em situação de privação de liberdade. Cad. CEDES, Campinas, v. 35, n. 96, 2015.

PEREIRA, A. A educação de jovens e adultos no sistema prisional brasileiro: o que dizem os planos estaduais de educação em prisões? Revista Tempos e Espaços em Educação, Sergipe, Brasil, v. 11, n. 24, 2018. Disponível em: http://www.revistacontemporaneos.com.br/wp-content/uploads/2018/01/Pereira-A- Educa%C3%A7%C3%A3o-em-Pris%C3%B5es-e-a-forma%C3%A7%C3%A3o-1-1.pdf. Acesso em: 06.08.2018.

PEREIRA, Antonio. Os educadores e suas representações sociais da base epistemológica da pedagogia social do Projeto Axé. 2009, 229 f. Tese (Doutorado) – Universidade Federal da Bahia, Faculdade de Educação, Salvador, 2009. Disponível em: https://repositorio.ufba.br/ri/bitstream/ri/10262/1/Tese%20Antonio%20Pereira.pdf. Acesso em: 15.12.2009.

PEREIRA, Antonio. A educação-pedagogia no cárcere, no contexto da pedagogia social: definições conceituais e epistemológicas. Rev. Ed. Popular, Uberlândia, v. 10, p. 38-55, jan./dez. 2011. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/reveducpop/article/view/20214/10790. Acesso em: 12.12.2011.

PEREIRA, Antonio. Os sujeitos da EJA e da educação social: as pessoas em situação de vulnerabilidade social. Revista Práxis Educacional, Vitória da Conquista – Bahia. Brasil, v. 15, n.31, p.273-294,jan/mar 2019. Disponível em: https://periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/4673/3674. Acesso em: 12.06.2019.

PEREIRA, Antonio; SANTOS, Dione; SOUZA, Nadir. A educação em prisões e os conteúdos etnicos-raciais: uma reflexão a partir do Projeto A Cor do Brasil. Revista Internacional de Educação de Jovens e Adultos, Salvador, v. 02, n. 04, p. 148-161, jul./dez. 2020. Disponível em: https://www.revistas.uneb.br/index.php/rieja/article/view/8943/5818. Acesso em: 20.08.20.

PINTO, Alvaro Vieira. Sete lições de educação de adultos. São Paulo: Cortez, 1993.

SILVA, Roberto da. A eficácia sociopedagógica da pena de privação da liberdade. Educ. Pesqui., São Paulo, v. 41, n. 1, p. 33-48, jan./mar. 2015. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/ep/v41n1/1517-9702-ep-41-1-0033.pdf. Acesso em: 14.12.2015.

Downloads

Publicado

2021-09-29

Como Citar

PEREIRA, A.; SANTOS, A. M. . A EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS EM PRISÕES: os sentidos da escolarização para os presos da penitenciária Lemos Brito, Salvador, BA. Communitas, [S. l.], v. 5, n. 11, p. 216–231, 2021. Disponível em: https://periodicos.ufac.br/index.php/COMMUNITAS/article/view/5191. Acesso em: 3 dez. 2021.

Edição

Seção

Dossiê Temático