AS POLÍTICAS DE CURRÍCULO NO BRASIL

PENSANDO NUMA NOVA LÓGICA POLÍTICA

Palavras-chave: Políticas de Currículo. Lógica da diferença. Lógica da equivalência.

Resumo

Objetiva-se uma nova lógica para as políticas de currículo no Brasil em diferentes espaços pedagógicos. Assim, elege-se dois eixos problematizadores de análise: a lógica da diferença e a lógica da equivalência (LACLAU, 1996a, 1996b, 2005, 2006), ambas guiadas pelas categorias da hegemonia, do(s) discurso(s) e dos antagonismos, e que desestabilizam a ideia do poder absoluto (LACLAU; MOUFFE, 2006). Para explicar como se dá esse processo de desestabilização do poder e compreender se há possibilidades de se pensar uma nova lógica no Brasil atual, opta-se por uma metodologia discursiva vinculada à Teoria Social do Discurso de Laclau; Mouffe (2006). Os aportes teóricos pautam-se em autores que usam a categoria poder, a partir das lógicas da diferença e da equivalência como Pinto (2006) e Mouffe (2007), potencializando as teorizações quanto à hipótese de que há um pensamento no campo da política que pode atrelar-se à nova lógica política proposta no campo das ciências sociais que se articula de forma potencial para compreendermos com mais clareza como o campo das políticas de currículo no Brasil do século XXI vem se redirecionando. Os achados investigativos são significativos e potencializadores em razão de ora fixar sentidos e significados e ora se caracterizarem de forma circunstancial e parcializada.

Referências

APPLE, Michael. Power, Meaning and Identity: Critical sociology of education in the United States. British Journal of Sociology of Education, v. 17, p. 125-144, 1996.

COSTA, Marisa Vorraber. Currículo e política cultural. In: LANDER, E. (org.). O currículo nos limiares do contemporâneo. Rio de Janeiro: DP&A, 1998.

FAIRCLOUGH, Norman. Discurso e mudança social. Brasília: Universidade de Brasília, 2001.

LACLAU, Ernesto. Poder e representação. Revista Estudos Sociedade e Agricultura, p. 28-87, 07 dez. 1996a. Tradução de Joanildo A. Burity. Disponível em: . Acesso em: 10 abr. 2011.

LACLAU, Ernesto. Emancipación y diferencia. Universalismo, particularismo y la cuestión de la identidad. Buenos Aires: Ariel, 1996b. p. 43-68.

LACLAU, Ernesto. Hegemony and socialist strategy: Hacia una radicalización de la democracia. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica de Argentina, 2004.

LACLAU, Ernesto. La razón populista. 2ª ed., Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2006.

LACLAU, Ernesto. La razón populista. 1ª ed. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica de Argentina, 2005.

LACLAU, Ernesto; MOUFFE, Chantal. Hegemonía y Estrategia Socialista: Hacia uma radicalización de la democracia. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2006.

LACLAU, Ernesto; MOUFFE, Chantal. Hegemonía y estrategia socialista: hacia una radicalización de la democracia. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica de Argentina, 2004.

MOUFFE, Chantal. En torno a lo político. 1. ed. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica de Argentina, 2007.

ORLANDI, Eni Puccinelli. Análise de Discurso: princípios & procedimentos. 8. ed. Campinas: Pontes, 2009.

PINTO, Célia Regina Jardim. Elementos para uma análise de Discurso Político. Revista do Departamento de Ciências Humanas, n. 24, 2006. Disponível em: . Acesso em: 01 abr. 2011.

SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. Belo Horizonte: Autêntica,1999.

SILVA, Tomaz Tadeu da; MOREIRA, Antônio Flávio. (org.). Currículo, cultura e sociedade. 1. ed. São Paulo: Cortez, 1994. v. 1.

SOAGE, Ana. La teoria del discurso de la escuela de Essex en su contexto teórico. Madrid: Universidad Complutense de Madrid. 2006. Disponível em: . Acesso em: 08 maio 2011.

VEIGA-NETO, Alfredo José da. Michel Foucault e educação: há algo de novo sob o sol? In: VEIGA-NETO, Alfredo José da. (org.). Crítica pós-estruturalista e educação. Porto Alegre: Sulina, 1995. p. 9-56.
Publicado
2020-05-29
Como Citar
Honorato, R. F. de S., Pereira, M. Z. da C., & Ramos, L. (2020). AS POLÍTICAS DE CURRÍCULO NO BRASIL: PENSANDO NUMA NOVA LÓGICA POLÍTICA. REVISTA COMMUNITAS, 4(7), 207-2017. Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/COMMUNITAS/article/view/3004
Seção
Demanda Contínua