MATERIAL ESTRUTURADO PARA ALFABETIZAÇÃO DE ALUNOS SURDOS-AUTISTAS A PARTIR

Palavras-chave: Material estruturado, Alfabetização, Surdo-autista, Interesses Restritos

Resumo

A alfabetização de alunos com necessidades educacionais especiais é um tema muito debatido e desafiador para os profissionais que atuam como mediadores no processo de aquisição da leitura e da escrita. Muitos métodos não favorecem o olhar sobre os gostos individuais e a realidade de vida aluno. Desta forma, este trabalho tem por objetivo apresentar um modelo de Material Estruturado para Alfabetização de Alunos Surdos-autistas a partir de preferências de interesse do aluno, baseado numa perspectiva visual de alfabetização. Visto que os alunos com estas necessidades educacionais específicas, aprendem melhor por meio de recursos visuais que possibilitem ampliar o reportório linguístico, social e cultural. O artigo apontará algumas considerações sobre a educação de surdos e características do Transtorno do Espectro Autista (TEA) de forma objetiva, procurando elucidar questões importantes que antecedem a preparação do material pedagógico individualizado, buscando favorecer a aprendizagem da leitura e da escrita com compreensão.

Referências

BRASIL, MEC. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. LEI Nº 9394 de 20 de dezembro de 1996. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9394.html.< Acesso em 06/05/2020>
______. Lei Brasileira de Inclusão. Lei Nº 13.146, de 6 de julho de 2015. http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/_Ato2015-2018/2015/Lei/L13146.htm. < Acesso em 06/05/2020>
DECLARAÇÃO DE SALAMANCA: Sobre princípios, políticas e práticas na área das necessidades educativas especiais. Salamanca – Espanha, 1994.
FORNAZARI, Bernadete. O Professor PDE e os desafios da Escola Pública Paranaense. Curitiba/Paraná: Cadernos PDE: Produção didático pedagógico, Versão Online, vol.II, 2008.
NASCIMENTO, Gisele Soares Rodrigues. Método de Alfabetização para Alunos Autistas (Mapa): Alternativa da Clínica-escola do Autista. CMPDI-UFF. 2016. Disponível em: http://cmpdi.sites.uff.br/wp-content/uploads/sites/186/2018/08/Disserta%C3%A7%C3%A3o-GiseleSoaresRodriguesdoNascimento.pdf.
Kelman, Celeste Azulay. Letramento do aluno surdo: considerações sobre compreensão e escrita em L2. Rio de Janeiro: Prefeitura Cidade do Rio de Janeiro. Disponível em:.
ROCHA, Amanda Santos. Surdez e Autismo: Um estudo de caso. Brasília: UnB. 2016. Disponível em:http://bdm.unb.br/bitstream/10483/15509/1/2016_AmandaSantosRocha_tcc.pdf> .
ROCHA, Solange. O INES e a Educação de Surdos no Brasil. Aspectos da trajetória do Instituto Nacional de Educação de Surdos em seu percurso de 150 anos. Rio de Janeiro: INES-RJ. 2008.
SANTOS, Monica Pereira dos; PAULINO, Marcos Moreira (Orgs.). Inclusão em Educação: Culturas, Políticas e Práticas. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2014.
SILVA, Milton Francisco; EVARISTO, Marlandes. Direitos linguísticos e discursos (acerca) da minoria linguística surda no Brasil. Polifonia, Cuiabá-MT, v. 24, n. 35/2, p. 122-138, jan./jun. 2017
TEIXEIRA, Gustavo. Manual do Autismo: Guia dos pais para o tratamento completo. Rio de Janeiro: BestSeller, 2016.
WALTER, Cátia C. de Figueiredo; NETTO, Márcia Mirian F. Corrêa; NUNES, Leila Regina d’Oliveira de P. A comunicação alternativa e a adaptação pedagógica no processo de inclusão de alunos com autismo. In.: GLAT, Rosana; PLETSCH, Márcia Denise. (Orgs.) Estratégias Educacionais diferenciadas para alunos com necessidades educacionais especiais. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2013.
ZANON, Regina Basso; BACKES, Bárbara; BOSA, Cleonice Alves. Identificação dos Primeiros Sintomas do Autismo pelos Pais. Rio Grande do Sul: Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Revista Psicologia: Teoria e Pesquisa. Jan-Mar 2014, Vol. 30 n 1, pp 25-33.
Publicado
2020-05-29
Como Citar
da Costa, D. V., & Lione, V. de O. F. (2020). MATERIAL ESTRUTURADO PARA ALFABETIZAÇÃO DE ALUNOS SURDOS-AUTISTAS A PARTIR . REVISTA COMMUNITAS, 4(7), 396-407. Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/COMMUNITAS/article/view/3805
Seção
Demanda Contínua