A PERSPECTIVA DO OUTRO NA INSTÂNCIA CURRICULAR (DE)COLONIAL

ALIJAMENTOS HISTÓRICOS E POSSIBILIDADES DE MUDANÇA

Autores

Resumo

Este estudo investiga a construção teórico-metodológica de currículo, entendendo-o como elementar à formação humana, e analisa o quanto se tornou um dispositivo preso a dogmas e preceitos externos euroamericanizados, provocando distorções e exclusões aos subalternizados historicamente. Trata-se de uma pesquisa de cunho qualitativo e teórico-analítico. Nesta perspectiva, os estudos decoloniais (BERNARDINO-COSTA E GROSFOGUEL 2016), (QUIJANO, 2002), (BALLESTRIN, 2013), (QUINTERO et al, 2019), bem como os que se referem a currículo educacional alicerçaram esta pesquisa. Ademais, numa visão pós-crítica de currículo, assentou-se nos teóricos (VEIGA NETO, 2002; 2005), (GOODSON, 2010), (MACEDO, 2012); em outra instância teórica, denominada de interculturalidade crítica, fincada nos estudos decoloniais, WALSH (2009; 2009a; 2019), Candau (2008; 2010; 2011) foram referenciais. Ademais, tem como alicerce o seguinte problema de pesquisa: de que maneira a construção teórico-metodológica do campo de saber denominado currículo acentuou a exclusão de sujeitos subalternizados, relegando-os a planos secundários, no que tange à educação?

Downloads

Publicado

2020-08-04

Como Citar

Oliveira, M. R. de . (2020). A PERSPECTIVA DO OUTRO NA INSTÂNCIA CURRICULAR (DE)COLONIAL: ALIJAMENTOS HISTÓRICOS E POSSIBILIDADES DE MUDANÇA. MUIRAQUITÃ - REVISTA DE LETRAS E HUMANIDADES, 8(1). Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/mui/article/view/3765

Edição

Seção

ARTIGOS