ENCONTRO COM A LINGUAGEM DO POVO HUNI KUIN: CURRÍCULO EM DEVIR

  • Valda Inês Fontenele Pessoa Universidade Federal do Acre/Centro de Educação, Letras e Artes
Palavras-chave: Linguagem, Indígena, Currículo, Devir, Metáfora

Resumo

O artigo alinhava contribuições ao conceito de currículo do devir, veiculado em um artigo anterior. A metodologia pautou-se no levantamento da literatura pertinente à temática e a produção de currículos diferenciados, esboçados nas duas últimas décadas, veiculados em dissertações e teses originárias de Programas de Pós-Graduação do norte do Brasil. Resgata-se discussões acerca dos desenhos curriculares e articula-se a duas metáforas da linguagem Huni Kuin, oferecendo outras possibilidades que superem o cerceamento das propostas nacionais. A compreensão do conceito de currículo em devir está articulada à perspectiva dos estudos de Deleuze (1988; 2003), no qual os sujeitos do processo educativo assumem eticamente o protagonismo das ações, embasados em estudos, diálogos e reflexões, sem a submissão a outros que não vivenciam a escola. Para Deleuze a arte seria o apogeu do processo de articulação da linguagem. O artista incumbe-se do processo de ressignificação dos signos, libertando-os das âncoras sociais que os aprisionam. O currículo do devir teria esse desenho, livre, polissêmico, aberto à criação de possibilidades. Duas metáforas da linguagem Huni Kuin são articuladas por conter um potencial explicativo capaz de esclarecer o conceito de currículo do devir: Yube (jibóia) e Kene ku (desenhos verdadeiros), revertendo a ordem predominante do desenho arbóreo que orienta os currículos.

 

 

Referências

COSTA, Marisa Vorraber. Estudos culturais e educação. In. SILVEIRA, Rosa Maria Hessel. Cultura, poder e educação: um debate sobre estudos culturais em educação. 2ª ed. Canoas, Ed. Ulbra, 2011.

DELEUZE, Gilles. Diferença e repetição. Tradução de Luiz Orlandi e Roberto Machado. Rio de Janeiro, Graal, 1988.

DELEUZE, Diálogos: Gilles Deleuze – Claire Parnet. Tradução de Eloisa Araújo Ribeiro. São Paulo, Escuta, 1998.

DELEUZE, Gilles. Proust e os signos. Tradução de Antônio Piquent e Roberto Machado. Rio de Janeiro, Forense Universitária, 2003.

FERREIRA, Paulo Roberto Nunes. Terra alta e terra baixa, escolas para índios e escolas indígenas: “tudo não é igual”. In: Bispo, Sheila da Costa Mota et al (Orgs.). Anais do Simpósio Linguagens e identidades da/na Amazônia Sul/Ocidental (2007). Rio Branco: Edufac, 2010. P. 169-184.

FERREIRA, Paulo Roberto Nunes. Na “remenda do céu com a terra” escolas diferenciadas não são Huni Kui. Dissertação de mestrado. Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social. Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2010a.

GALLO, Silvio. Transversalidade e formação de professores. In. RIVERO, Cléia Maria L.; GALLO, Silvio (Orgs.) A formação de professores na sociedade do conhecimento. Bauru-SP: Edusc, 2004.

GALLO, Silvio. Em torno de uma educação menor. Educação e Realidade, n. 27(2), p.169-178, 2002.

LAGROU, Elsje. Caminhos, duplos e corpos: uma abordagem perspectivista da identidade e alteridade entre os Kaxinawá. Universidade de São Paulo – USP. Tese de doutorado. São Paulo, 1998.

LAGROU, Elsje. A fluidez da forma: alteridade e agência em uma sociedade amazônica (Kaxinawá, Acre). Rio de Janeiro: Topbook, 2007.

MOREIRA, Antonio Flavio Barbosa. Currículo e estudos culturais: tensões e desafios em torno das identidades. In. SILVEIRA, Rosa Maria Hessel. Cultura, poder e educação: um debate sobre estudos culturais em educação. 2ª ed. Canoas, Ed. Ulbra, 2011.

PESSOA, Valda Inês Fontenele. Currículo sitiado: pluralidade negada. In. PESSOA, Valda Inês Fontenele e SANTOS, Zuila Guimarães Cova dos (Orgs.). Identidades: culturas, currículos e margens. Curitiba: CRV, 2018.

RIBEIRO, Cintya Regina. O agenciamento Deleuze-Guattari: considerações sobre método de pesquisa e formação de pesquisadores em educação. Revista Unisinos - Educação, volume 20, n. 1, jan./abr., 2016. file:///C:/Users/SONY/Downloads/8528-39082-1-PB.pdf - Data: 20/08/2019.

ZOURABICHVILI, François. O vocabulário de Deleuze. Tradução de André Telles. Rio de Janeiro, 2004.

Publicado
2019-12-31
Como Citar
Pessoa, V. I. F. (2019). ENCONTRO COM A LINGUAGEM DO POVO HUNI KUIN: CURRÍCULO EM DEVIR. Muiraquitã: Revista De Letras E Humanidades, 7(2). https://doi.org/10.29327/212070.7.2-5
Seção
DOSSIÊ