BLACK MIRROR, INTERNET DAS MENTES E EDUCAÇÃO

COMO MIGRAREMOS DA CULTURA DO EFÊMERO PARA AS SUPER MEMÓRIAS DA CEREBRALIDADE ARTIFICIAL?

Palavras-chave: Black Mirror. Educação. Internet das mentes. Cerebralidade artificial.

Resumo

Diante da inquietação que a série Black Mirror promove, reflexões a respeito da articulação entre a internet das mentes, a cerebralidade artificial (SQUIRRA, 2016b) e a educação contemporânea foram realizadas. O presente artigo encontra-se incluído no contexto de uma dissertação de mestrado sobre Cibervídeos na Educação Online (MARTINS, 2017). O objetivo do presente estudo é refletir a respeito dos fenômenos da cibercultura retratados no episódio “The Entire History of You”, da série Black Mirror, que nos convidam a pensar sobre a educação contemporânea. A partir do método da Pesquisa-formação na Cibercultura (SANTOS, 2014) desenvolvemos uma ambiência formativa na disciplina eletiva Cineclube, do curso de Pedagogia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). A roda de conversa foi gravada, possibilitando a emergência de narrativas que contribuíram para a compreensão de que a evolução da cerebralidade artificial pode contribuir para a produção de conhecimento e para usos educacionais, ao potencializar processos de ensino e aprendizagem contextualizados com a educação na cibercultura.

Referências

FERREIRA, Lygia Socorro S. Cibercultura, imaginário e juventude: a influência da internet no imaginário de jovens brasileiros. São Paulo. Dissertação (Mestrado em Comunicação). Faculdade de Educação. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2009. Disponível em: https://sapientia.pucsp.br/bitstream/handle/5271/1/Lygia%20Socorro%20Sousa%20Ferreira.pdf . Acessado em: 08 jul. 2017.
FREIRE, Paulo. Extensão ou comunicação? 7ª ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.
____________. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.
LAVE, Jean. Aprendizagem como/na prática. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 21, n. 44, p. 37-47, jul./dez. 2015
LEMOS, André. Isso (não) é muito Black Mirror: passado, presente e futuro das tecnologias de comunicação e informação. Salvador: EDUFBA, 2018.
____________.Cibercultura: Tecnologia e vida social na cultura contemporânea. Porto Alegre: Sulina; Meridional, 2002.
LINS, Aline. Ação e cooperação: vida em rede e as alterações de uma sociedade tecnológica comprometida. In: SOUZA, Cláudio Manoel Duarte de; FIALHO, Carolina... [et al.]. (orgs.). Link livre ebook_2arte: educação, tecnologias, comunicação e multimeios. Santo Amaro, BA: UFRB, 2016.
MELO, M. C. H. de; CRUZ, G. de C. Roda de conversa: uma proposta metodológica para a construção de um espaço de diálogo no ensino médio. Revista Imagens da Educação, v. 4, n. 2, p. 31-39, 2014.
OLIVEIRA, Inês Barbosa; ALVES, Nilda (orgs.). Pesquisa nos/dos/com os cotidianos das escolas. 3ª ed. Petrópolis: DP&A, 2008, p.13-38.
SANTOS, Edméa O. Pesquisa-formação na cibercultura. 1. ed. Santo Tirso: Whitebooks, 2014. V. 1. 202p.
SQUIRRA, Sebastião. A informação é essencial à vida, às máquinas e à comunicação. Revista Lumina (UFJF Online), v. 10, p. 1-14, 2016a.
SQUIRRA, Sebastião (org.). Cibertecs: conceitos, interações, automações, futurações. São Luís, MA: LabCom Digital, 2016b.
SOUZA, Maria Izabel et al. Produção de microvídeos para dispositivos móveis na temática do Código Florestal brasileiro. EAD em Foco. Revista de Educação a Distância Rio de Janeiro, v. 6, p. 87-101, 2016.
TOMÉ, Vítor Manuel Nabais; SOARES, Maria do Carmo Tomé. Educação para os media: atividades de análise e produção de mensagens na disciplina de português. In: ROSADO, Luiz Alexandre da Silva; FERREIRA, Giselle Martins dos Santos (orgs.). Educação e tecnologias: parcerias. Rio de Janeiro: Editora Universidade Estácio de Sá, 2015, v. 4, p. 259-299.
Publicado
2020-05-29
Como Citar
Martins, V., & Santos, E. (2020). BLACK MIRROR, INTERNET DAS MENTES E EDUCAÇÃO: COMO MIGRAREMOS DA CULTURA DO EFÊMERO PARA AS SUPER MEMÓRIAS DA CEREBRALIDADE ARTIFICIAL?. REVISTA COMMUNITAS, 4(7), 139-158. Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/COMMUNITAS/article/view/2814
Seção
Dossiê Temático