GÊNEROS TEXTUAIS EM PROPOSTAS DE PRODUÇÃO ESCRITA EM PROVAS DO EXAME CELPE-BRAS

  • Jefferson Alves da Rocha UFPB
  • Judithe Genuíno Henrique
  • Matheus de Almeida Barbosa Universidade Federal da Paraíba
Palavras-chave: Gêneros textuais, Ensino de PLE, Produção de texto, Exame Celpe-Bras

Resumo

Este artigo consiste em analisar propostas de produção de texto com base nas teorias dos gêneros textuais. Para tratar do assunto, realiza-se o levantamento de algumas questões teóricas relacionadas ao trabalho com textos nas aulas de língua portuguesa. Há, dessa forma, o desenvolvimento da abordagem da língua que contempla os aspectos dos gêneros textuais. Há, ainda, algumas questões a respeito do mesmo trabalho realizado nas aulas de PLE. Para análise do presente artigo, observam-se as propostas de produção de texto das três últimas edições do Exame Celpe-Bras, mais especificamente, a terceira e a quarta tarefa das provas. Essa análise procurou investigar se tais propostas seguiam de fato a abordagem de um determinado gênero textual, corroborando com o processo de ensino-aprendizagem nas aulas de PLE.

Referências

ALMEIDA FILHO, J. C. P. Ensinar uma nova língua para aquisição. In: Fundamentos de Abordagem e Formação no Ensino de PLE e de outras línguas. Campinas, SP: Pontes Editores, 2011.

ANTUNES, I. As funções do léxico na construção do texto. In: ___. Língua, texto e ensino: outra escola possível. São Paulo: Parábola Editorial, 2009, p. 141-160.

BAKTHIN, M. Estética da criação verbal. 4. ed., São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BAZERMAN, C. Gêneros, agência e escrita. In: HOFFNAGEL, J. C. e DIONÍSIO, A. P. São Paulo: Cortez, 2006.

BRONCKART, J. P. Atividade de linguagem, textos e discursos: por um interacionismo sócio-discursivo. São Paulo: EDUC, 2003.

DELL´ISOLA, R. L. P. Retextualização de gêneros escritos. Rio de Janeiro: Lucerna, 2007.

CAPUTO, C. O uso de gêneros textuais no ensino de PLE na educação à distância. In: Revista Digital dos Programas de Pós-Graduação do Departamento de Letras e Artes da UEFS. Feira de Santana, v. 19, n. 3, p. 159-168, 2018.

DOLZ, J. e SCHNEUWLY, B. Gêneros e progressão em expressão oral e escrita - elementos para reflexões sobre uma experiência suíça (francófona). In Gêneros Orais e escritos na escola. Campinas - SP: Mercado de Letras, 2004.

CRISTÓVÂO, V. L. L. Aprendendo a planificar o próprio trabalho: genros textuais na formação de professores de língua estrangeira. In: CRISTÓVÂO, V. L. L. e NASCIMENTO, E. L. Gêneros textuais: teoria e prática II. Palmas e União da Vitória: Kayagangue, 2005, p. 153-162.

GERALDI, J. W. Unidades básicas do ensino do português. In: ___. O texto na Sala de Aula. 4. ed., São Paulo: Ática, 2007, p. 73-74.

GERALDI, J. W. No espaço do trabalho discursivo, alternativas. In: ___. Portos de Passagem. São Paulo: Martins Fontes, 2003, p. 189-217.

HALLIDAY, M. A. K. Language as Social Semiotic. London: Edward Arnold, 1978.

KLEIMAN, A. B. e ASSIS, J. A. Significados e ressignificações do letramento: desdobramentos de uma perspectiva sociocultural sobre a escrita. Campinas, SP: Mercado de Letras, 2016.

KOCH, I. G. V. Concepção de língua, sujeito, texto e sentido. In: ___. Desvendando os segredos do texto. São Paulo: Cortez, 2002, p. 13-20.

Manual do Exame – Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para estrangeiros, 2019.

MARCUSCHI, B. O que nos dizem o SAEB e o ENEM sobre o currículo de língua portuguesa para o ensino médio. In: BUNZEN, C. e MENDONÇA, M. Português no ensino médio e formação do professor. São Paulo: Parábola Editorial, 2006, p. 53-82.

MARCUSCHI, L. A. Gêneros Textuais: definição e funcionalidade. In: DIONISIO, A. P.; MACHADO, A. R. e BEZERRA, M. A. Gêneros Textuais e Ensino. Rio de Janeiro: Editora Lucerna, 2002, p. 19-36.

MILLER, C. Genre as social action. In: FREEMAN e MEDWAY. Genre and new rhetoric. London: Taylor & Francis Ltd, 1984.

MORITZ, M. E. W.; MATIELO, R. e DELLAGNELO, A. K. Gêneros textuais e produção escrita em livros didáticos de Português para estrangeiros: uma análise do livro Muito Prazer – Fale o Português do Brasil. In: SILVEIRA, R. e EMMEL, I. Um retrato do português como segunda língua: ensino, aprendizagem e avaliação. Campinas – SP: Pontes Editora, 2015, p. 33-56.

POSSENTI, S. Gramática e Política. In: GERALDI, J. W. O Texto na Sala de Aula. 4. ed. São Paulo: Ática, 2007, p. 47-53.

POSSENTI, S. Ensinar língua ou ensinar gramática? In: ___. Por que (não) ensinar gramática na escola. Campinas - SP: Mercado de Letras, 1998, p. 53-56.

SOARES, M. Concepções de linguagem e o ensino da Língua Portuguesa. In: BASTOS, N. B. Língua Portuguesa: História, Perspectivas, Ensino. São Paulo: Educ, 1998, p. 53-60.

SWALES, J. M. Genre analysis: English in academic and research settings. Cambridge: Cambridge University Press, 1990.

TOSCANO, G e RIEMMA, R. Palavra Colhida: Redação e Texto. 2. ed., Brasília: HTC, 2015.

TOSSATI, N. M. Gêneros textuais em livros didáticos para ensino de português para estrangeiros: ocorrência e funcionalidade. Anais do SILEL, v. 1, Uberlândia: EDUFU, 2009.

Publicado
2019-12-31
Como Citar
Rocha, J. A. da, Henrique, J. G., & Barbosa, M. de A. (2019). GÊNEROS TEXTUAIS EM PROPOSTAS DE PRODUÇÃO ESCRITA EM PROVAS DO EXAME CELPE-BRAS. Muiraquitã: Revista De Letras E Humanidades, 7(2). https://doi.org/10.29327/212070.7.2-15
Seção
DOSSIÊ