LA DIOSA Y LA NOCHE E O CAVALO DE SANTO:

uma reflexão sobre dramaturgias negras sul-americanas

Autores

Palavras-chave:

Teatro Negro; Dramaturgia Negra; Decolonialidade; Sul-americano

Resumo

Este ensaio se propõe a refletir sobre a dramaturgia negra do pampa sul-americano, no século XXI, a partir das obras La diosa y la noche: el musical de Rosa Luna , do escritor afro-uruguaio Jorge Chagas (2018), e Cavalo de Santo, da dramaturga afro-gaúcha Viviane Juguero (2018), como produções literárias decoloniais potentes no “espaço cênico do Pampa”. Essa escrita inicialmente apresenta uma breve reflexão sobre a relação Negritude/Branquitude no contexto histórico dessa região da América Latina, posteriormente uma contextualização sobre o teatro negro através do trajeto do Teatro Experimental do Negro no Brasil e o Teatro Negro Independiente no Uruguai no século passado, enquanto precursores da cena negra. A seguir, são analisadas as obras citadas por meio de um cotejamento realizado com os aportes teóricos dos campos da literatura, teatro, história e sociologia, pautados pela perspectiva decolonial. Por fim, serão apresentadas as considerações finais sobre essa reflexão.

 

 

Referências

ANDREWS, George. Reid. Negros en la nación blanca: história de los afro-uruguayos, 1830-2010. Trad. Betina González Azcárate. Montevidéo: Librería Linarde y Risso, 2010.

ASANTE, Molefi Kete. Postura epistemológica e fundamentos teóricos. In: NASCIMENTO, Elisa Larkin (Org.). Afrocentricidade: uma abordagem epistemológica inovadora. São Paulo: Selo Negro, 2009. p. 93-109.

ASSUMPÇÃO, Euzébio. Gaúchos e brasileiros, negros. In: ASSUMPÇÃO, Euzébio; MAESTRI, Mario. (Coords.). Nós, os afro-gaúchos. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, 1996.

ASSUMPÇÃO, Euzébio. Por que não festejo o 20 de setembro. In: ASSUMPÇÃO, Euzébio; MAESTRI, Mario. (Coords.). Nós, os afro-gaúchos. Apresentação. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, 1996.

BAUMAN, Zygmunt. Identidade. Rio de Janeiro: Editora Zahar, 2005.

BISIAUX, Lîlâ Deslocamento Epistêmico e Estético do Teatro Decolonial. Rev. Bras. Estud. Presença, Porto Alegre, v. 8, n. 4, p. 644-664, out. /dez. 2018. Disponível em: <http://dx.doi.org/10.1590/2237-266078793>. Acesso em: 10 dez. 2020.

CABELLA, Wanda; NATHAN, Mathías; TENENBAUM, Mariana. La población afro-urugauya em el Censo 2011. In: CALVO, Juan José (Coord.). Atlas sociodemográfico y de la desigualdade del Uruguay. Montevideo: Ediciones Trilce, 2013. Disponível em: <https://www.ine.gub.uy/c/document_library/get_file?uuid=1726c03f-aecd-4c78-b9be-f2c27dafba1d&groupId=10181> . Acesso em: 20 nov. 2020.

CARDOSO, Lourenço. O branco ante a rebeldia do desejo: um estudo sobre a branquitude no Brasil. 2014. 290 f. Tese (Doutorado). Doutorado em Ciências Sociais. Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Ciências e Letras. Araraquara, 2014. Disponível em: <http://hdl.handle.net/11449/115710>.Acesso em: 20 nov. 2020.

CASTRO-GÓMEZ, Santiago; GROSFOGUEL, Ramón. Prólogo. Giro decolonial, teoría crítica y pensamiento heterárquico. In: CASTRO-GÓMEZ, Santiago; GROSFOGUEL, Ramón (Orgs.). El giro decolonial: reflexiones para una diversidad epistémica más allá del capitalismo global – Bogotá: Siglo del Hombre Editores. Universidad Central, Instituto de Estudios Sociales Contemporáneos y Pontificia Universidad Javeriana: Instituto Pensar, 2007.

CÉSAIRE, A. Discurso sobre a Negritude; Carlos Moore Org. Belo Horizonte: Nandyala,

CHAGAS, Jorge. La Diosa y la noche: el musical de Rosa Luna. Montevidéo. Não publicado 2018.

CORDONES-COOK, Juanamaria. Surgimento y desaparición del Teatro Negro uruguayo. Montevideo: Editorial Graffiti, 1993.

ESCOBAR, A. Sentipensar con la Tierra: Las Luchas Territoriales y la Dimensión Ontológica de las Epistemologías del Sur. Cali, Revista de Antropología Iberoamericana, v. 11, n. 1, p. 13-32, jan/abr. 2004. Disponível em: <http://www.aibr.org/antropologia/netesp/numeros/1101/110102.pdf>. Acesso em: 18 jun. 2019

FANON, Frantz. Pele negra, máscara branca. Trad. Renato da Silveira. Salvador: EDUFBA,

FERNANDES, Florestan. O negro no mundo dos brancos. São Paulo: Difusão Européia do Livro,

GADEA, Carlos Alfredo Castro. Negritude e pós-africanidade: críticas das relações raciais contemporâneas. Porto Alegre: Sulina, 2013.

GONZALEZ, Lélia; HASENBALG, Carlos. Lugar de negro. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1982.

HALL, Stuart. Da Diáspora: identidades e mediações culturais. Tradução de Adelaine La Guardia Resende. Belo Horizonte: UFMG, 2003.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. 2010. Disponível em: <https://censo2010.ibge.gov.br/>. Acesso em: 20 mar. 2020.

JUGUERO, Viviane. Cavalo de Santo. In: LIMA, Eugênio: LUDEMIR, Júlio (Org.). Dramaturgia Negra. Rio de Janeiro: Funarte, 2018. p. 427-471.

LIMA, Evani Tavares. Por uma história negra do teatro brasileiro. Florianópolis, Urdimento – Revista de Estudos em Artes Cênicas, v. 1, n. 24, p. 92-104, jul/2015. Disponível em: < https://www.revistas.udesc.br/index.php/urdimento/article/view/1414573101242015092>. Acesso em: 20 mar. 2020.

MARTINS, Leda. Maria. A fina lâmina da palavra. In: DUARTE, Eduardo de Assis; FONSECA, Maria Nazareth Soares (Org.). Literatura e Afrodescêndencia no Brasil: antologia crítica. História, teoria, polêmica. 1. ed. Belo Horizonte: Editora UFMG/SEPPIR/PR, 2014, p. 279-308.

MAZAMA, Ama. Afrocentricidade como um novo paradigma. In: NASCIMENTO, Elisa Larkin. (Org.). Afrocentricidade: uma abordagem epistemológica inovadora. São Paulo: Selo Negro, 2009, p. 111-127.

MELO, Itamar. Aumenta proporção de negros na população gaúcha, aponta IBGE. Porto Alegre: Gaúchazh, 2017. Disponível: <https://gauchazh.clicrbs.com.br/comportamento/noticia/2017/11/aumenta-proporcao-de-negros-na-populacao-gaucha-aponta-ibge-cjadvcfym0fpe01mxniljl5kh.html>. Acesso em: 25 fev. 2021.

NASCIMENTO, Abdias. Teatro Experimental do Negro: testemunhos. Rio de Janeiro: Edições

GRD, 1966.

NASCIMENTO, Abdias. Teatro negro do Brasil: uma experiência sócio-racial. Revista Civilização

Brasileira. Caderno Especial 2. Rio de Janeiro: 1968, n.2, p. 193-211.

NASCIMENTO, Abdias. O negro revoltado. In: NASCIMENTO, Abdias do (Org.). O negro revoltado. Rio de Janeiro: Edições GRD, 1968.

NASCIMENTO, Elisa Larkin. O olhar afrocentrado: Introdução à uma abordagem polêmica in: NASCIMENTO, Elisa Larkin (Org.). Afrocentricidade: uma abordagem epistemológica inovadora. São Paulo: Selo Negro, 2009, p. 181-196.

ROSA, Marcus Vinicius de Freitas. Além da invisibilidade: história social do racismo em Porto Alegre durante o pós-abolição. Porto Alegre: EST Edições, 2019.

RUFINO, Luiz. Pedagogias das encruzilhadas. Rio de Janeiro; Editorial Mórula, 2019.

SANTOS, Joel Rufino dos. A História do Negro no Teatro Brasileiro. Rio de Janeiro: Editora Novas, Direções, 2014.

SILVA, Liliam Ramos. Decolonizando saberes: conceitos de literatura latino-americana de autoria negra. In: TETTAMANZY, Ana Lucia Liberato; SANTOS, Cristina Mielczarski dos. (Orgs.). Lugares de fala, lugares de escuta nas literaturas africanas, ameríndias e brasileira. 1. ed. Porto Alegre: Zouk, 2018, v. 1, p. 115-136.

SOARES, Mozart Pereira. Traços peculiares do Rio Grande. In: FISCHER, Luis Augusto; GONZAGA, Sergius (Coords.). Nós, os gaúchos. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, 1992.

Downloads

Publicado

2021-08-02

Como Citar

FLORES PIEGAZ, A. LA DIOSA Y LA NOCHE E O CAVALO DE SANTO:: uma reflexão sobre dramaturgias negras sul-americanas. Communitas, [S. l.], v. 5, n. 10, p. 169–181, 2021. Disponível em: https://periodicos.ufac.br/index.php/COMMUNITAS/article/view/4863. Acesso em: 5 ago. 2021.