A SÉRIE BLACK MIRROR E OS ELEMENTOS DA NARRATIVA PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO CONTEXTO DA CULTURA DIGITAL

Palavras-chave: Black Mirror, Narrativas Digitais, Formação de professores, Cultura digital

Resumo

Os programas direcionados a incrementar o uso das tecnologias digitais nas escolas parecem considerar os aspectos da formação menos importantes que o fornecimento de equipamentos. Os elementos relacionados às máquinas normalmente são priorizados, em detrimento dos elementos relacionados às pessoas, como se as tecnologias, por si só, fossem capazes de funcionar de forma autônoma e de promover mudanças. Neste sentido, as narrativas sobre as percepções do professorado em relação ao uso das tecnologias em sala de aula podem ser mais efetivas que políticas públicas criadas em gabinetes, distantes do contexto de suas práticas pedagógicas, que chegam às escolas sem a anuência e a participação docente na construção/elaboração dessas políticas. Deste modo, acreditamos que os professores precisam construir narrativas sobre seu uso das tecnologias digitais em sala de aula, de forma crítica e reflexiva. Assim, este artigo tem o objetivo de mostrar que a apropriação social das tecnologias, por parte dos professores, e a ampliação da cultura digital operam no sentido de empoderá-los para o compromisso político e cidadão, individual e coletivo, de lutar por questões fundamentais da sociedade. Neste viés, as narrativas da série Black Mirror favorecem inúmeras reflexões sobre o uso das tecnologias digitais, que reconfiguram as relações das pessoas com as coisas, com os processos e com as demais pessoas. Esses elementos da série podem contribuir para a construção das narrativas digitais dos professores e seu processo de consolidação da cultura digital.

Referências

ALVES, Thelma Panerai; CARVALHO, Ana Beatriz Gomes; FREIRE, Robson Garcia. Cultura digital, redes sociais e narrativa transmidiática nos novos filmes de Stars Wars. In: XVI Encontro de Cinema de Viana do Castelo, Portugal, 2016.
BEZERRA, Arthur Coelho. Os Reflexos do Grande Irmão no Admirável Espelho Novo de Black Mirror. 2017. Disponível em , acesso realizado em maio de 2018.
BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. Rio de Janeiro: Bertrand, 2012.
BOURDIEU, Pierre; EAGLETON, Terry. A doxa e a vida cotidiana: uma entrevista. In: ŽIŽEK, S. (Org.). Um mapa da ideologia. Rio de Janeiro: Contraponto, 2007, pp. 265-278.
BROOKER, Charlie. «Charlie Brooker: the dark side of our gadget addiction». The Guardian (01 de dezembro de 2011). Consultado em 06 de agosto de 2018.
CARVALHO, Ana Beatriz Gomes de; ALVES, Thelma Panerai; SILVA, Heitor Felipe da. “Drag Queens e representatividade midiática: Uma luta contra a violência simbólica”. In: Anais Eletrônicos do VI Seminário Nacional Gênero e Práticas Culturais: interfaces com as relações étnico-raciais. Fortaleza: EdUECE, 2018.
CASTELLS, Manuel. A Era da Informação: economia, sociedade e cultura. Vol. 3. São Paulo: Paz e terra, 1999.
CASTELLS, Manuel. A Era da Informação: economia, sociedade e cultura. Vol. 1. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2002.
CASTELLS, Manuel. A Galáxia da Internet: Reflexões sobre a Internet, os negócios e a sociedade. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.
CASTELLS, Manuel. Redes de indignação e esperança. Movimentos sociais na era da internet. 2ª ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2017.
GRZEGORZ, Wójcik. Rzeczywistość nie istnieje…? Media i nowoczesne technologie w społeczeństwie przyszłości na przykładzie serialu Black Mirror. In: Annales Universitatis Paedagogicae Cracoviensis, Studia de Cultura VIII (2) 2016. Disponível em < http://studiadecultura.up.krakow.pl/article/view/3356>, acesso realizado em julho de 2018.
IMBd – Internet Movie Database. Lista de episódios de Black Mirror. 2018. Disponível em , acesso realizado em julho de 21018.
JENKINS, Henry; FORD, Sam; GREEN, Joshua. Cultura Transmedia. Barcelona: Gedisa, 2015.
LEVINSON, Paul. New new media. Boston: Pearson Higher Education, 2012.
LUCENA, Jorge Martínez; SOLA, Javier Cigüela. Pensamiento pop en Black Mirror. El monstruo y su linchamento. In: Doxa.Comunicación, nº 19, pp. 85-107, 2014.
MASSAROLO, João Carlos. “Storytelling Transmídia: Narrativas multiplataformas” In Tríade, Sorocaba, SP, v.1, n.2, p 335-347, 2013.
ROMÁN, Carlos Tutievén; BUJANDA, Héctor; ZEREGA, María Mercedes. The Future is Broken: Lecturas Heterotópicas de Black Mirror. In: Nómadas 47, octubre de 2017, Universidad Central, Colombia.
RECUERO, Raquel. “Discurso mediado por computador nas redes sociais”. IN: ARAÚJO, Júlio e LEFFA, Vilson (Org). Redes sociais e ensino de línguas: o que temos que aprender. São Paulo, Parábola, 2016.
SCOLARI, Carlos A. Narrativas Transmedia: Cuando los medios cuentan. Barcelona: Deusto, 2013.
VISCONTI, Maria. “Black Mirror e a cegueira moral da Modernidade”. In: Revista Temporalidades, Vol 9, nº1, UFMG, 2017.
WILSON, Carolyn. Alfabetização midiática e informacional: currículo para formação de professores. Brasília: UNESCO, UFTM, 2013.
Publicado
2020-05-29
Como Citar
Carvalho, A. B. G., & Alves, T. P. (2020). A SÉRIE BLACK MIRROR E OS ELEMENTOS DA NARRATIVA PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES NO CONTEXTO DA CULTURA DIGITAL. REVISTA COMMUNITAS, 4(7), 182-197. Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/COMMUNITAS/article/view/3257
Seção
Dossiê Temático