OS FAZERESSABERES TECIDOS PELXS PROFESSORXS DE UMA ESCOLA PÚBLICA MUNICIPAL: UMA EXPERIÊNCIA BASEADA NA ECOLOGIA DOS SABERES

Eliane Fernandes de Lacerda, Sandra Regina Cardoso de Brito

Resumo


OS FAZERESSABERES TECIDOS PELXS PROFESSORXS DE UMA ESCOLA PÚBLICA MUNICIPAL: UMA EXPERIÊNCIA BASEADA NA ECOLOGIA DOS SABERES

RESUMO: Este artigo origina-se de uma pesquisa de campo realizada em uma escola da rede pública municipal de Angra dos Reis/RJ. Tem por objetivo compreender como professores tecem suas ações, dialogando com as decisões das esferas oficiais e como se inscrevem as práticas pedagógicas emancipatórias nas escolas. Desenvolve-se a partir de uma postura teórico-político-epistemológico-metodológica das pesquisas nos/dos/com os cotidianos e defende a ideia de que os professores tecem os currículos pensadospraticados, nos quais práticas com potencial emancipatório estão sendo inscritas, apesar do processo de desqualificação da educação pública e de seus profissionais. Reconhece uma potência emancipatória nas práticas pesquisadas, ao promoverem o diálogo horizontal entre os saberes e os sujeitos, na busca pela justiça cognitiva e social. Pretende contribuir para a desinvisibilização das ações emancipatórias, por meio de sua percepção e compreensão, podendo favorecer a processos de democratização das escolas e da sociedade, e de tessitura da emancipação social.

Palavras-chave: Currículo; Cotidianos escolares; Justiça cognitiva; Emancipação social.

 

THE FACTS AND KNOWLEDGE BY THE TEACHERS OF A MUNICIPAL PUBLIC SCHOOL: AN EXPERIENCE BASED ON THE ECOLOGY OF KNOWLEDGE

ABSTRACT: This article originates from a field survey conducted at a public school in Angra dos Reis / RJ. Its purpose is to understand how teachers weave their actions, dialoguing with the decisions of the official spheres and how they inscribe the educational practices emancipatory in the schools. It develops from a theoretical-political-epistemological-methodological position of the researches with the daily ones and defends the idea that the teachers weave the curricula thought and practiced, in which practices with emancipatory potential are being inscribed, in spite of the disqualification process Of public education and of its professionals. It recognizes an emancipatory power in the researched practices by promoting horizontal dialogue between knowledge and subjects in the search for cognitive and social justice. It aims to contribute to the disinvisibilization of emancipatory actions, through their perception and understanding, and can favor processes of democratization of schools and society, and of the fabric of social emancipation.

Keywords: Curriculum; School daily; Cognitive justice; Social emancipation.

 

LOS HACERES Y SABERES TEJIDOS POR LOS PROFESORES DE UNA ESCUELA PÚBLICA MUNICIPAL: UNA EXPERIENCIA BASADA EN LA ECOLOGÍA DE LOS SABERES

RESUMEN: Este artículo se origina de una encuesta de campo realizada en una escuela de la red pública municipal de Angra dos Reis / RJ. Tiene por objetivo comprender cómo los profesores tejen sus acciones, dialogando con las decisiones de las esferas oficiales y cómo se inscriben las prácticas pedagógicas emancipatorias en las escuelas. Se desarrolla a partir de una postura teórico-político-epistemológico-metodológica de las investigaciones con los cotidianos y defiende la idea de que los profesores tejen los currículos pensados y practicados, en los cuales prácticas con potencial emancipatorio están siendo inscritas, a pesar del proceso de descalificación De la educación pública y de sus profesionales. Reconoce una potencia emancipatoria en las prácticas investigadas, al promover el diálogo horizontal entre los saberes y los sujetos, en la búsqueda de la justicia cognitiva y social. Pretende contribuir a la desinvisibilización de las acciones emancipatorias, a través de su percepción y comprensión, pudiendo favorecer a procesos de democratización de las escuelas y de la sociedad, y de tesitura de la emancipación social.

Palabras clave: Currículo; Cotidianos escolares; Justicia cognitiva; Emancipación social.


Palavras-chave


Currículo; Cotidianos escolares; Justiça cognitiva; Emancipação social.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Nilda. Decifrando o pergaminho – os cotidianos das escolas nas lógicas das redes cotidianas. In: ALVES, Nilda; OLIVEIRA, Inês Barbosa de. (orgs.). Pesquisa nos/dos/com/ os cotidianos das escolas: sobre redes de saberes. Petrópolis: DP et Alii, 2008, p. 15-38.

________; GARCIA, Regina Leite.(orgs.). O Sentido da escola. 3ª Ed. Rio de Janeiro: DP & A, 2001.

BRASIL Lei nº 11.738/2008, de 16 de julho de 2008. Estabelece o piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público da educação básica. Brasília, DF: Diário Oficial da União, 17 de julho de 2008.

_______. Ministério da Educação. Parecer CNE/CEB nº 018/2012, aprovado em 2 de outubro de 2012. Reexame do Parecer CNE/CEB nº 9/2012, que trata da implantação da Lei nº 11.738/2008, que institui o piso salarial profissional nacional para os profissionais do magistério público da Educação Básica. Brasília, DF: Diário Oficial da União, 1º de agosto de 2013.

CERTEAU, Michel de. A Invenção do Cotidiano 1: artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1994.

LACERDA, Eliane Fernandes de. As redes de poderes e saberes tecidas nos/dos/com os cotidianos escolares e suas relações com a tessitura de práticas pedagógicas emancipatórias. Dissertação de Mestrado em Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro (ProPed/UERJ), 2016.

OLIVEIRA, Inês Barbosa de. O currículo como criação cotidiana. Petrópolis: DP et Alii; Rio de Janeiro: FAPERJ, 2012.

_______. Uma história da contribuição dos estudos do cotidiano escolar ao campo do currículo. In: LOPES, Alice Casimiro; MACEDO, Elizabeth. (orgs.). Currículo: debates contemporâneos. São Paulo: Cortez, 2002, p. 78-102.

OLIVEIRA, Inês Barbosa de. Sobre a democracia. In: A democracia no cotidiano da escola. Rio de Janeiro: DP&A: SEPE, 1999, p. 11-34.

SANTOS, Boaventura de Sousa. A Gramática do Tempo: para uma nova cultura política. 2ª ed. São Paulo: Cortez, 2008.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 REVISTA COMMUNITAS

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.

     Licença Creative Commons Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional

REVISTA COMMUNITAS - ISSN: 2526-5970 - Publicação Semestral do Grupo de Pesquisas em Memórias, Identidades, Currículos e Culturas vinculado ao Centro de Educação e Letras da Universidade Federal do Acre.