O INCOMUM INCOMODA:

REFLEXÕES E RESISTÊNCIAS SOBRE “JUNTAR OS BOIS” EM UMA ESCOLA

Palavras-chave: Cotidiano escolar; recreio; resistências e adolescentes.

Resumo

O presente artigo tem como finalidade compartilhar experiências de uma história vivida, ouvida e partilhada, numa escola pública, da rede estadual de ensino na cidade de Viçosa - Minas Gerais. O grupo pesquisado foi o segundo segmento do Ensino Fundamental (alunos do 6º ao 9º ano), ou seja, estudantes adolescentes. As cenas narradas tratam-se dos conflitos, resistências e invenções produzidas no momento do “recreio”. O acompanhamento na escola partiu de uma perspectiva cotidiana, a qual vai além da rotina e da repetição, uma vez que o cotidiano é o campo da multiplicidade, da diversidade, das tensões e dos processos inventivos produzidos pelos sujeitos pesquisados. O caminho metodológico utilizado parte do princípio construtivista, em que os pesquisadores não “coletam os dados”, mas “produzem” por meio da participação das redes tecidas no cotidiano. Para a produção dos dados, fizemos o uso do diário de campo, que podem conter acontecimentos da vida cotidiana, informações, reflexões, reações afetivas, conversas informais e escritos teóricos. Em suma, tentamos atribuir outras experiências à tentativa de encaminhar os alunos para o retorno à sala de aula após o momento recreio, evitando gritar, zangar ou ameaçá-los. Nosso objetivo foi compor com os alunos outras vivências, outros sentidos, outras conexões. Acreditamos na necessidade de criar formas interativas e saudáveis com os adolescentes, de modo a contribuir com a boa convivência dos sujeitos/participantes no cotidiano escolar.

Referências

ALVES, Nilda. Decifrando o pergaminho – os cotidianos das escolas nas lógicas das redes cotidianas. IN: OLIVEIRA, Inês Barbosa de; Alves, Nilda (orgs.). Pesquisas nos/dos/com os cotidianos das escolas: sobre redes de saberes. Petrópolis: DP et Alii, 2008.
AZEVEDO, Joanir Gomes de. A tessitura do conhecimento em redes. IN: OLIVEIRA, Inês Barbosa de; Alves, Nilda (orgs.). Pesquisas nos/dos/com os cotidianos das escolas: sobre redes de saberes. Petrópolis: DP et Alii, 2008.
BRAZÃO, P. O diário do diário etnográfico electrónico. In: J. Sousa, & Fino, C. (orgs). A escola sob suspeita. Porto: Asa Editores, 2007.
CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: as artes de fazer. Petrópolis: Vozes, 1998.
DAYRELL, João Guilherme. Entre os muros da escola: exílio, multiculturalismo e zonas de contato. Interdisciplinar: Revista de Estudos em Língua e Literatura, Itabaiana, v. 10, a. 05, p. 405-416, 2010.
KASTRUP, Virginia. O Funcionamento da Atenção no Trabalho do Cartógrafo. Psicologia & Sociedade, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p. 15-22, 2007.
LACERDA, Mitsi Pinheiro de. Traços do cotidiano, essa vida de “pouco caso”. Momento- Diálogos em Educação, Rio Grande do Sul, v. 26, n. 1, p. 118-142, 2017.
PARAÍSO, Marlucy Alves. Metodologias de pesquisas pós-críticas em educação e currículo: trajetórias, pressupostos, procedimentos e estratégias analíticas. IN: MEYER, Dagmar Estermann; PARAÍSO, Marlucy Alves. Metodologias de pesquisas pós-críticas em educação. Belo Horizonte: Mazza Edições, 2012.
OLIVEIRA, Inês Barbosa de; Alves, Nilda. Contar o passado, analisar o presente e sonhar o futuro. IN: OLIVEIRA, Inês Barbosa de; Alves, Nilda (orgs.). Pesquisas nos/dos/com os cotidianos das escolas: sobre redes de saberes. Petrópolis: DP et Alii, 2008.
OLIVEIRA, Inês Barbosa de. Certeau e as artes de fazer: as noções de uso, tática e trajetória na pesquisa em educação. IN: OLIVEIRA, Inês Barbosa de; Alves, Nilda (orgs.). Pesquisas nos/dos/com os cotidianos das escolas: sobre redes de saberes. Petrópolis: DP et Alii, 2008.
VEIGA-NETO, Alfredo. Incluir para saber, saber para excluir. Pro-posições, v. 12, n. 2-3, 2001.
Publicado
2020-12-15
Como Citar
LOPES, J.; CINTIA CASTRO MONTEIRO; HERNECK, H. R. O INCOMUM INCOMODA:: REFLEXÕES E RESISTÊNCIAS SOBRE “JUNTAR OS BOIS” EM UMA ESCOLA. Communitas, v. 4, n. 8, p. 187-198, 15 dez. 2020.