Percepções da canção “Sou fronteira”

uma análise a partir de sua narrativa verbal

Palavras-chave: Canção. Fronteira. Território. Interculturalidade

Resumo

 O presente artigo propõe fazer uma discussão sobre alguns pontos levantados a partir da análise da canção “Sou Fronteira”. Entre os pontos discutidos estão: fronteira, espaço/lugar, território, multiterritorialidade, territorialidade, interculturalidade, conflitos, territorialização, desterritorialização e identidade. Na letra da canção são tecidas representações sobre a seringueira, as fronteiras entre o Brasil, Peru e Bolívia, práticas interculturais, conflitos internos e externos, entre outras questões. No texto busca-se dialogar com o argumento de que as coisas, enquanto signo, estão no campo da linguagem, como forma de interpretar o mundo, e nenhum ser do mundo pertence a uma determinada categoria, as pessoas é que as criam e se encaixam nelas. Uma das observações aponta para a ideia de que não existe um sujeito desterritorializado, mas precariamente territorializado e multiterritorializado.

Referências

ALBUQUERQUE, Gerson Rodrigues de. Acre. In: Uwakürü: dicionário analítico / Organizado por: Gerson Rodrigues de Albuquerque, Agenor Sarraf Pacheco. – Rio Branco: Nepan Editora, 2016a, pp. 13 – 28.

ALBUQUERQUE, Gerson Rodrigues de. Amazonialismo. In: Uwakürü: dicionário analítico / Organizado por: Gerson Rodrigues de Albuquerque, Agenor Sarraf Pacheco. – Rio Branco: Nepan Editora, 2016b, pp. 73 – 96.

ALBUQUERQUE, José Lindomar C. A dinâmica das fronteiras: deslocamento e circulação dos “brasiguaios” entre os limites nacionais. In: Horizontes Antropológicos. Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social - IFCH-UFRGS, v. 15, n. 31, p. 137-166, 2009.

AZAMBUJA, Luciano de. Jovens alunos e aprendizagem histórica: perspectivas a partir da canção popular. Tese de Doutorado. Setor de Educação, Universidade Federal do Paraná. – Curitiba, 2013.

BARBOSA, Raildo Brito. O Festival Acreano de Música Popular – FAMP: entre práticas e representações. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Letras: Linguagem e Identidade da Universidade Federal do Acre, Rio Branco, Acre, 2016.

CATAIA, M. A. (2008). Fronteiras: territórios em conflito. In: Anais do XIII Encontro Paranaense de Estudantes de Geografia (EPEG). Cascavel: Universidade Estadual do Oeste do Paraná.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano: Artes de fazer. Editora: Vozes. 3ª ed. Petrópolis, 1998.

CHIRIF, Alberto. Identidad, interculturalidad e inclusión en la Amazonía peruana hoy. 2012. Disponível em: https://bit.ly/2ue6If8 Acesso em 15/11/2019.

COMEGNA. Maria A. Conflitos ambientais e movimentos sociais na Amazônia Boliviana. In: Revista Geográfica de América Central. Número Especial EGAL, 2011- Costa Rica II Semestre 2011 pp. 1-17.

CUNHA, Euclides da. À margem da história. São Paulo: Editora Lello Brasileira S.A, 1967.

DANTAS, Kelen Gleysse Maia Andrade. Nas Fronteiras da “Terra Prometida”: trajetórias de trabalhadores rurais do alto Acre. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Letras, Linguagem e Identidade da Universidade Federal do Acre, Rio Branco, Acre, 2009.

FOUCAULT, M. Microfísica do poder. Tradução de Roberto Machado, 14. ed., Rio de Janeiro (RJ): Edições Graal, 1999.

HAESBAERT, Rogério. Identidades territoriais: entre a multiterritorialidade e a reclusão territorial. In: Identidades e Territórios: questões e olhares contemporâneos. Rio de Janeiro: Acess, 2007.

HAESBAERT, Rogério. Hibridismo, mobilidade e multiterritorialização numa perspectiva geográfico-cultural integradora. In: SERPA, ngelo (org.). Espaços culturais: vivências, imaginações e representações. Salvador: EDUFBA, 2008.

HAESBAERT, Rogério. Da desterritorialização à multiterritorialidade. In: Anais do X Encontro de Geógrafos da América Latina – 20 a 26 de março de 2005 – Universidade de São Paulo.

HALL, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Tradução Adelaine La Guardia Resende. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003.

LIMA, Geórgia Pereira. Fronteiras fluidas, religiosidade e as perspectivas dos lugares. In: Jamaxi, Revista de História do Centro de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal do Acre e da Associação Nacional de História – ANPUH/Seção Acre. v.1, n.1, 2017.

MENDONÇA, Fernanda Cougo. Memórias e artes verbais de Luiz Mendes do Nascimento: o orador do Mestre Irineu. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Letras: Linguagem e Identidade da Universidade Federal do Acre, Rio Branco, Acre, 2016.

MOLINA W.; VARGAS C. ; SORUCO P. Estado, identidades territoriales y Autonomías en la región amazónica de Bolívia. La Paz: Fundación PIEB, 2008.

MORAES, A. de Oliveira. Literatura e geografia nos que cantam a Amazônia. In: Anais do Colóquio Nacional Poéticas do Imaginário: literatura, história, memória. UEA. Org. Allison Leão, Juciane Cavalheiro e Otávio Rios. Manaus, 2009 p. 37 a 50.

MORAIS, Maria de Jesus. “Acreanidade”: invenção e reinvenção da identidade acreana. Rio Branco: Edufac, 2016.

PAULA, Elder Andrade de. Seringueiros e sindicatos: um povo da floresta em busca da liberdade. 1ª. ed. Rio Branco - AC: Nepan Editora, 2016.

PINHO, Felipe Saraiva Nunes de. O Pop não poupa ninguém: Relações discursivas entre o Pop Rock e a “pós-modernidade”. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-graduação em Linguística da Universidade Federal do Ceará, 2007.

PROTZEL, Javier. Comunicación intercultural: confrontando concepciones y problemas. In: Correspondencias & Análisis, nº 5, Venezuela, 2015. Disponível em: https://bit.ly/2SjVehX Acesso em 15/11/2019.

SILVA, Francisco Bento da. Acre, a Sibéria tropical: desterros para as regiões do Acre em 1904 e 1910. 1. ed. - Manaus: UEA Edições, 2013.

SILVA, Marlon Lima da; TOURINHO, Helena Lúcia Zagury. Território, territorialidade e fronteira: o problema dos limites municipais e seus desdobramentos em Belém/PA. In: Revista Brasileira de Gestão Urbana (Brazilian Journal of Urban Management), 2017 jan./abr., 9(1), 96-109.

SOLÍZ, Silvia; COLLAZOS, Andrea y CALVO, Guillermo. Revalorización de la Chicha, como Patrimonio Cultural de la Ciudad de Sucre. In: M. Ramos. (eds.) Ciencias Sociales Handbooks -©ECORFAN, Sucre, 2014. Disponível em: https://bit.ly/2RJabdc Acesso em: 30/07/2019.

SOUZA, Romário Ney Rodrigues de. Versões discursivas da Amazônia: entre a “ficção e o real” na obra “À margem da História”, de Euclides da Cunha In: Muiraquitã, Revista de Letras e Humanidades da UFAC, ISSN 2525-5924, v. 4, n. 1, 2016.

TIRADO, Pablo Ortiz. Tres notas sobre conflictos e interculturalidad en el centro sur de la Amazonia. In: Universitas. Revista de Ciencias Sociales y Humanas, 2004.

VERAS, João. Canções Acreanas: Sonbook. Rio Branco, 2000.

Publicado
2020-12-07
Como Citar
Barbosa, R. B. (2020). Percepções da canção “Sou fronteira”: uma análise a partir de sua narrativa verbal. Muiraquitã: Revista De Letras E Humanidades, 8(2). https://doi.org/10.29327/210932.8.2-3