RECOMENDAÇÕES DO BANCO MUNDIAL (BM) PARA AS POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS BRASILEIRAS

Autores

  • Egeslaine de Nez
  • Berenice Lurdes Borssoi

Resumo

Historicamente, as reformas da Educação Superior na América Latina sofrem influências do Banco Mundial, que seguem o pensamento hegemônico, além do diagnóstico realizado pelos organismos internacionais. A educação é considerada por essas agências como mola propulsora do desenvolvimento econômico e combate da desigualdade. Contudo, apostar somente na educação não resolverá o problema social. O presente texto tem como objetivo compreender as atuais propositivas do Banco Mundial que estão presentes na construção de políticas públicas educacionais em países em desenvolvimento como o Brasil. Com base na abordagem qualitativa, este texto foi construído por meio da pesquisa bibliográfica e documental. As análises preliminares dos documentos sinalizam que o BM é chamado para assumir um papel nítido no sentido de organizar a economia. Sua ação vai se configurando politizada, abrangente e intrusiva. Há muito que se pesquisar e analisar sobre suas práticas e a incidência na reestruturação das políticas sociais brasileiras.

Downloads

Publicado

2020-08-04

Como Citar

Nez, E. de, & Borssoi, B. L. . (2020). RECOMENDAÇÕES DO BANCO MUNDIAL (BM) PARA AS POLÍTICAS PÚBLICAS EDUCACIONAIS BRASILEIRAS. MUIRAQUITÃ - REVISTA DE LETRAS E HUMANIDADES, 8(1). Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/mui/article/view/3689

Edição

Seção

DOSSIÊ