MULTILINGUISMO NA ESCOLA: CRENÇAS E ATITUDES LINGUÍSTICAS DE PROFESSORES DE LÍNGUA PARA/COM IMIGRANTES REFUGIADOS EM ESCOLAS PÚBLICAS DE CHAPECÓ

  • Cristiane Horst Universidade Federal da Fronteira Sul - Campus Chapecó/SC (UFFS)
  • Julia do Nascimento Bertiotti Universidade Federal da Fronteira Sul - Campus Chapecó (UFFS)

Resumo

RESUMO: O ensino de língua portuguesa influencia no processo de integração social de estudantes em situação de refúgio e o professor tem grande importância nesse processo. Por isso, procura-se identificar e descrever crenças linguísticas de professores de línguas que lecionam em uma mesma sala de aula a alunos brasileiros e alunos imigrantes refugiados ou filhos de pessoas nessa situação. Procura-se investigar de que forma os professores se portam no acolhimento de diferentes culturas dentro dos espaços escolares, na promoção da tolerância e na inserção desses indivíduos nos contextos social e escolar. A partir da identificação das crenças, percebe-se como a formação dos professores e o suporte dado pelas instâncias organizacionais e políticas influenciam no que se refere a propiciar melhores condições para promover a manutenção e integração linguística e cultural e a sensibilização à diversidade no espaço escolar.

Publicado
2019-12-31
Como Citar
Horst, C., & do Nascimento Bertiotti, J. (2019). MULTILINGUISMO NA ESCOLA: CRENÇAS E ATITUDES LINGUÍSTICAS DE PROFESSORES DE LÍNGUA PARA/COM IMIGRANTES REFUGIADOS EM ESCOLAS PÚBLICAS DE CHAPECÓ. MUIRAQUITÃ - REVISTA DE LETRAS E HUMANIDADES, 7(2). https://doi.org/10.29327/212070.7.2-6
Seção
DOSSIÊ