ENSINO E APRENDIZAGEM DE PORTUGUÊS COMO LÍNGUA DE ACOLHIMENTO (PLAC): SUBSÍDIOS PARA PRÁTICAS DOCENTES DIRECIONADAS

SUBSÍDIOS PARA PRÁTICAS DOCENTES DIRECIONADAS.

  • Isabella Saliba Pereira Chilante Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul
  • João Fábio Sanches Silva

Resumo

O Brasil, nos últimos anos, vem recebendo um grande fluxo de imigrantes, muitos vindos de países fronteiriços em situação de crise social, econômica e política, em busca de melhores condições de vida. Dentre os desafios enfrentados no novo país, encontra-se o idioma. A fim de suprir essa necessidade de comunicação efetiva por parte dos imigrantes, surgiu o conceito de Português como Língua de Acolhimento (PLAc). Considerando esta ser uma área emergente no Brasil, objetivamos neste artigo propor subsídios para práticas docentes direcionadas às necessidades do aprendiz partindo de aspectos linguísticos do imigrante em um curso de PLAc. Os dados foram coletados por meio de questionário e entrevista. Os resultados sugerem que o público imigrante possui características que os diferenciam dos aprendizes de português como língua estrangeira, devendo o professor da área de PLAc estar ciente dessas especificidades e priorizar atividades que vão ao encontro das necessidades desses alunos.

Publicado
2019-12-31
Como Citar
Saliba Pereira Chilante, I., & Sanches Silva, J. F. (2019). ENSINO E APRENDIZAGEM DE PORTUGUÊS COMO LÍNGUA DE ACOLHIMENTO (PLAC): SUBSÍDIOS PARA PRÁTICAS DOCENTES DIRECIONADAS: SUBSÍDIOS PARA PRÁTICAS DOCENTES DIRECIONADAS. MUIRAQUITÃ - REVISTA DE LETRAS E HUMANIDADES, 7(2). https://doi.org/10.29327/212070.7.2-18
Seção
DOSSIÊ