O TRATAMENTO DA PRONÚNCIA NOS MATERIAIS DIDÁTICOS DE PORTUGUÊS COMO LÍNGUA ADICIONAL

  • José Henrique Santos Tavares Instituto Federal de Rondônia e Universidade Federal de Rondônia
  • Natália Cristine Prado Universidade Federal de Rondônia
Palavras-chave: Hispanofalantes, Livro didático, PLA, Ensino de Pronúncia

Resumo

O objetivo desta pesquisa é analisar como os livros didáticos de português, como Língua Adicional (PLA), direcionam o ensino da pronúncia desse idioma para hispanofalantes. O material analisado é o primeiro módulo de PLA do e-Tec Idiomas Sem Fronteira. Pretende-se analisar os conteúdos que abordem, de forma direta ou indireta, a fonética, a fonologia do português (PB). A investigação é exploratória e fará uso de procedimentos diretos. Para o alcance dos objetivos propostos, realizamos a revisão da literatura sobre o ensino-aprendizagem de PLA, de fonética e fonologia e de pronúncia, que deram o embasamento teórico para o desenvolvimento da investigação. Com este estudo, observou-se que os áudios da mídia integrada priorizam apenas as variedades do português do sul do Brasil, o que pode estimular nos alunos uma falsa sensação de homogeneidade linguística, além de dificultar o ensino de pronúncia para os hispanofalantes residentes em regiões da fronteira amazônica

Referências

ALLEGRO, F. R. P. Ensino de pronúncia em Português língua estrangeira: análise de livros didáticos. Tese (Doutorado em Linguística) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2014.

ALMEIDA FILHO, J. C. P. (Org.). Aspectos suprassegmentais da fonologia do Português na perspectiva do professor de PLE. In URAZZA, J. S. (Org.) ; BUTI, C. (Org.) Estudos em Português Língua Estrangeira. 1. ed., São Paulo: Paco Editorial, v. 1, 2016.

ALMEIDA FILHO, J. C. P. O ensino de português como língua não-materna: concepções e contextos de ensino. 2008. Disponível em: http://bit.ly/2RmAS7w. Acesso em 20/06/2019 às 22:30 http://bit.ly/35STsJi.

ALMEIDA FILHO, J. C. P. Ensino de português língua estrangeira/EPLE: a emergência de uma especialidade no Brasil. In LOBO, T.; CARNEIRO, Z.; SOLEDADE, J.; ALMEIDA, A.; RIBEIRO, S. (Orgs.). Rosae: linguística histórica, história das línguas e outras histórias [online]. Salvador: EDUFBA, 2012, pp. 723-728

ARAÚJO, M. N. S. P. O Valor da Consciência Fonológica em Alunos com Português Língua Não Materna. Dissertação (mestrado em Educação e Organização de Bibliotecas Escolares) Instituto Politécnico da Guarda Escola Superior de Educação, Comunicação e Desporto, 2013.

BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

BARBOSA, M. H. Questões de pronúncia e inteligibilidade em contexto de inglês como língua estrangeira. Dissertação (Mestrado) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2013.

BARRETO, F. M.; ALVES, U. K. “Como inserir o ensino comunicativo de pronúncia na sala de aula de L2”, In: Consciência dos sons da língua: subsídios teóricos e práticos para alfabetizadores, fonoaudiólogos e professores de língua inglesa. 2. ed. rev,, Porto Alegre: EDIPUCRS, 2012, pp. 231-258.

BAUER, D. A.; ALVES, U. K. O ensino comunicativo de pronúncia nas aulas de inglês (L2) para aprendizes brasileiros: análise de um livro didático. Linguagem & Ensino, Pelotas, v.14, n. 2, jul/dez. 2011, p. 287-314.

BLANCO, A. Análisis del cubrimiento dado a la pronunciación en manuales vigentes de E/LE: recomendaciones para optimizar su inclusión en el Enfoque Comunicativo. Dissertação (Máster europeo en aprendizaje y enseñanza de español en contextos multilingües e internacionales), Universidad Libre de Berlín, 2014.

BRASIL. Português: módulo 1-caderno 1. Andrea Ualt Fonseca [et al.]; Coordenadora: Denise Pérez Lacerda. Pelotas: IFSul, 2015.

CARVALHO, M. V. Uma política científica com visão estratégica não pode deixar de considerar prioritária a valorização do português como língua científica internacional. CRISTÓFARO-SILVA, T. Consciência fonológica. In: Glossário Ceale: termos de alfabetização, leitura e escrita para educadores. FaE UFMG, 2014.

CUNHA V. L. O; CAPELLINI, S. A. Habilidades metalinguísticas no processo de alfabetização de escolares comtranstornos de aprendizagem. Revista de Psicopedagogia, 2011, 28(85): 85-96.

ESCARPINETE, M. L. A formação docente e o ensino de PLE. In: Jornada Nacional do grupo de Estudos Linguísticos do Nordeste, 2012.

FALCÃO, C. A. O ensino da pronúncia do espanhol na educação à distância: uma proposta didática. In: Anais da XXIV Jornada Nacional do Grupo de Estudos Linguísticos do Nordeste, 2012.

FARIAS, M. S. O ensino da pronúncia nos manuais de espanhol como língua estrangeira. Anais do I Simpósio Interdisciplinar de Estudos Linguísticos, UECE, 2015.

FERNÁNDEZ, J. G. Fonética para profesores de español: de la teoría a la práctica. Madrid: Arco/Libros, 2007

FREITAS, M. J.; ALVES, D.; COSTA, T. PNEP – O conhecimento da Língua: Desenvolver a consciência fonológica. Lisboa: Ministério da Educação, 2007.

GIL FERNÁNDEZ, J. Fonética para professores de español: de la teoría a la práctica. Madri: Arco Libros, 2007.

IFRO. Professores realizam capacitação em Português como Língua Adicional. Disponível em http://bit.ly/30qxYm7. Acesso em: 10 fev 2019. 16:50:10.

IRUELA GUERRERO, A. ¿Qué es la pronunciación? redELE: Revista Electrónica de Didáctica en ELE, n. 9, 2007. Disponível em: http://bit.ly/36UVhXD. Acesso em 09 set. 2019.

LLISTERRI, J. La enseñanza de La pronunciación. In: Revista del Instituto Cervantes en Italia, v. 4, 2003, p. 91-114.

MACHADO, T. R. M. O Exame Celpe-Bras e o funcionamento do sentido da brasilidade. Dissertação (Mestrado em Letras) - Universidade Federal de Santa Maria, Porto Alegre, 2011.

MELO, D. T. M. [et al]. Considerações sobre a docência de Português como Língua Estrangeira. Calidoscópio, v.11, n.1, 2013. p. 14-20.

NASCIMENTO, L. C.; KNOBEL, K. A. Habilidades Auditivas e Consciência Fonológica: da teoria à prática. São Paulo: Pró-Fono, 2009.

PERNA, C. L.; SUN, Y. Aquisição de português como língua adicional (PLA): o uso de hedges em português por falantes nativos de mandarim. Letras de Hoje. Porto Alegre, v. 46, n. 3, jul./set. de 2011, p. 59-70.

RIGOL, M. B. La pronunciación en la clase de lenguas extranjeras. Revista PHONICA 1, 2005.

RUIZ, P. G.; DÖRING, G. B. El modelo dialógico en la enseñanza-aprendizaje de una le (hacia una pedagogía de la interculturalidad). Actas de la Asele. XIII Congreso Internacional de la ASELE.El Español, Lengua del Mestizaje y la Interculturalidad. Murcia, 2002.

SCHERER, A. P. R.; BARRETO, F. M.; BRISOLARA, F. B.; SANTOS, R. M.; ALVES, U. K. Consciência dos sons da língua: subsídios teóricos e práticos para alfabetizadores, fonoaudiólogos e professores de língua inglesa. 2. ed., rev., Porto Alegre: EDIPUCRS, 2012, pp. 231-258.

SILVA, R. V.; RAVANELLI. M. S.; RIVAS, V. E.; GAERTNER, L. G. Línguas em contato e aspectos da integração linguística em uma das fronteiras Brasil/Bolívia. In: Despertar para a fronteira. Campo Grande, MS: Ed. UFMS. 2009.

SIM-SIM, I. Desenvolvimento da Linguagem. Lisboa: Universidade Aberta.1998.

TAVEIRA, V. R. Fonologia: ferramenta de ensino para professores de inglês como língua estrangeira. Pesquisas em Discurso Pedagógico, 10.17771. PUC-Rio. PDPe.20887. 2012.2

ZOPPI-FONTANA, M. G.; DINIZ, L. R. A. Declinando a língua pelas injunções do mercado: institucionalização do Português Língua Estrangeira (PLE). Estudos Linguísticos, v.37, 2008, p. 89-119.

Publicado
2019-12-31
Como Citar
Santos Tavares, J. H., & Prado, N. C. (2019). O TRATAMENTO DA PRONÚNCIA NOS MATERIAIS DIDÁTICOS DE PORTUGUÊS COMO LÍNGUA ADICIONAL. Muiraquitã: Revista De Letras E Humanidades, 7(2). https://doi.org/10.29327/212070.7.2-20
Seção
DOSSIÊ