OS DESAFIOS DO ENSINO DE PLAc PARA OS INDÍGENAS WARAO EM BELÉM

  • Ana Paula Brandao UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARA
  • Flávio da Silva Universidade Federal do Pará
  • Samily dos Santos Universidade Federal do Pará
Palavras-chave: PLAc, Warao, Abordagem comunicativa e intercultural

Resumo

O artigo tem como objetivo apresentar uma experiência de ensino de PLAc para os indígenas da Warao, em projeto de extensão da Universidade Federal do Pará (que teve início em janeiro e término em dezembro de 2018). Desde 2014, os Warao estão migrando da Venezuela para o Brasil por causa da crise econômica no país deles. Com o fim de favorecer as relações entre os Warao e a sociedade brasileira, começamos a ensinar português para eles no abrigo onde moravam. Para o ensino de PLAc, utilizamos das abordagens comunicativa e intercultural com base em autores como Caels (2016), Lopez (2016), Costa e Taño (2017), Cardoso (2018), São Bernardo e Barbosa (2018) e Bulegon e Soares (2019). As reflexões feitas indicam que é imprescindível conhecer e valorizar o perfil sociolinguístico dos alunos, além de abrir espaço para que eles reflitam e promovam ações com reflexos diretos no cotidiano.

Referências

BULEGON, Mariana; SOARES, Laura Fontana. Impactos sociais dos novos fluxos migratórios e políticas linguísticas no Brasil: o ensino de Português como Língua de Acolhimento (PLAc). Revista on line de Política e Gestão Educacional, Araraquara, v. 23, n. 3, p. 638-655, set./dez., 2019. E-ISSN:1519-9029.

CAELS, Fausto. Guia para o ensino de português enquanto Língua de Acolhimento no contexto da educação não formal (ENF). Lisboa: ACM, IP, 2016.

CAMPETELA, Cilene. Proposta de material didático para ensino e aprendizagem do português como segunda língua em escolas indígenas. Letras Escreve, v. 4, n. 1, 2014.

CARDOSO, Samuel. As lendas da Amazônia como recurso de ensino-aprendizagem intercultural de Português Língua Estrangeira. Faculdade de Letras da Universidade do Porto, 2018.

COSTA, Eric; TAÑO, Renata. Ensino de português como língua de acolhimento a imigrantes e refugiados em São Paulo. Revista CBTecLE, São Paulo, v. 1, nº 2, 2017.

LOPEZ, A. P. A. Subsídios para o planejamento de cursos de português como língua de acolhimento para imigrantes deslocados forçados no Brasil. Dissertação (Mestrado em Letras). Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais. 260 f. Belo Horizonte, 2016. Disponível em: http://bit.ly/2NhjT4Y. Acesso 20 agosto 2018.

OLIVEIRA, Talita et al. Pode entrar: Português do Brasil para refugiadas e refugiados. 1ª Ed. São Paulo, 2015.

RAMOS, Luciana; BOTELHO, Emília; TARRAGÓ, Eduardo. Sobre a situação dos indígenas da etnia Warao, da região do delta do Orinoco, nas cidades de Boa Vista e Pacaraima. Parecer Técnico n. 208/2017/ Seap/6aCCR/PFDC. Brasília: Procuradoria-Geral da República, 2017.

SÃO BERNARDO, Mirelle; BARBOSA, Lúcia. Ensino de português como língua de acolhimento: uma experiência em um curso de português para imigrantes e refugiados(as) no Brasil. Fólio- Revista de Letras, Vitória da Conquista, v.10, n.1, p.475-493, 2018.

SILVA, Sidney da; TORELLY, Marcelo (org.). Diagnóstico e avaliação da migração indígena da Venezuela para Manaus, Amazonas. Brasília: Organização Internacional para as Migrações (OIM), Agência das Nações Unidas para as Migrações, 2018.

SOARES, Laura; TIRLONI, Larissa. Rakonte mwen: um projeto de ensino de português brasileiro a imigrantes haitianos a partir da literatura popular. Revista X, Curitiba, vol. 12, n.2, 2017.

Publicado
2019-12-31
Como Citar
Brandao, A. P., da Silva, F., & dos Santos, S. (2019). OS DESAFIOS DO ENSINO DE PLAc PARA OS INDÍGENAS WARAO EM BELÉM. Muiraquitã: Revista De Letras E Humanidades, 7(2). https://doi.org/10.29327/212070.7.2-10
Seção
DOSSIÊ