RESTRIÇÕES À ACESSIBILIDADE DAS CONSTRUÇÕES RELATIVAS EM LÍNGUAS DOS TRONCOS TUPI E MACRO-JÊ

  • Gabriela Oliveira-Condinhoto Universidade Federal do Acre
Palavras-chave: Oração relativa, Línguas indígenas, Acessibilidade

Resumo

Este trabalho objetiva descrever e discutir as restrições à acessibilidade das orações relativas em línguas Tupi e Macro-Jê, buscando evidências que confirmem a revisão da Hierarquia de Acessibilidade de Keenan e Comrie (1977) proposta por Dik (1997). O trabalho pioneiro de Keenan e Comrie (1977) elege critérios essencialmente sintáticos para definir as restrições à acessibilidade das orações relativas, critérios esses facilmente criticáveis à luz de teorias de base funcionalista, que não admitem nem a supremacia nem a independência da sintaxe para a determinação dos processos linguísticos. Desse modo, as críticas à HA de Keenan e Comrie (1977) dizem respeito tanto a razões empíricas – algumas línguas não dispõem nenhuma forma de se construir orações relativas –, quanto a razões teóricas – as funções sintáticas não são universalmente relevantes. O material de análise é composto por oito línguas indígenas brasileiras e conta com descrições previamente feitas, como gramáticas e outros manuais descritivos.

Referências

BASTOS, W. Relativização no português do Brasil: uma abordagem funcional. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos). Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, São José do Rio Preto, 2002.

BORGMAN, D. M. Sanuma. In: DERBYSHIRE, D.C.; PULLUM, G.K. (Eds.) Handbook of Amazonian Languages. Vol. 2. Berlin: Mounton de Gruyter, 1990, p. 17-248.

CARDOSO, V. F. Aspectos morfossintáticos da língua kaiowá (guarani). Tese (Doutorado em Linguística), Universidade Estadual de Campinas, 2008.

COMRIE, B. Language universals and linguistic typology. Oxford: Blackwell, 1989.

CROFT, W. Explaining language change: an evolucionary approach. Harlow, Essex: Longman, 2000.

CROWELL, T. H. A Grammar of Bororo. Ph.D thesis, Cornell University, 1979.

DIK, S. C. The theory of functional grammar. Part II: Complex and derived constructions. 2 ed., by K. Hengeveld. Berlim/Nova Iorque: Mouton de Gruyter, 1997.

GIVÓN, T. On understanding grammar. New York: Academic Press, 1979.

______. Syntax: a functional-typological introduction. Amsterdam/Philadelphia: J. Benjamins. 1990.

GOMES, D. M. Estudo morfológico e sintático da língua munduruku (Tupi). Tese (UnB). Brasília: 2006.

______. Oração relativa em mundurukú? In: handout da comunicação apresentada no II Encontro Internacional de Línguas e Culturas dos Povos Tupi. Brasília: 2007.

KAKUMASU, J. Urubu-Kaapor. In: DERBYSHIRE, D.C., PULLUM, G. (Eds). Handbook of Amazonian Languages. Vol. 1. Berlim: Mouton de Gruyter, 1986. p.326-403.

KEENAN, E. L. Relative clauses. In: SHOPEN, T. (Ed.) Language typology and syntactic description. Cambridge: University Press. 1985, v.2.

______.; COMRIE, B. Noun phrase accessibility and universal grammar. Linguistic Inquiry 8. 1977, p. 63-99.

OLIVEIRA, C. C. The language of the Apinajé people of central Brazil. PhD Thesis, University of Oregon, 2005.

OLIVEIRA, G.; CAMACHO, R. G. Estratégias de relativização e construções alternativas nas línguas indígenas do Brasil. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2013.

MAGALHÃES, M. M. S. Sobre a morfologia e a sintaxe da língua guajá (família tupi-guarani). Tese (Doutorado em Linguística, português e línguas clássicas), Universidade de Brasília, 2007.

POPJES, J., POPJES, J. Canela-Krahô. In: DERBYSHIRE, D.C., PULLUM, G. (Eds). Handbook of Amazonian Languages. Vol. 1. Berlim: Mouton de Gruyter, 1986. p.128-199.

RODRIGUES, A. D. Línguas brasileira: para entender as línguas indígenas brasileiras. 4. ed. São Paulo: Edições Loyola, 2002.

SEKI, L. Gramática do kamaiurá: língua tupi-guarani do Alto Xingu. Campinas: Imprensa Oficial, 2000.

SONG, J. S. Linguistic typology: morphology and syntax. London: Lonmans, 2001.

Publicado
2019-06-30
Como Citar
Oliveira-Condinhoto, G. (2019). RESTRIÇÕES À ACESSIBILIDADE DAS CONSTRUÇÕES RELATIVAS EM LÍNGUAS DOS TRONCOS TUPI E MACRO-JÊ. Muiraquitã: Revista De Letras E Humanidades, 7(1). https://doi.org/10.29327/212034.7.1-7
Seção
DOSSIÊ