RELATOS REAIS, RELATOS SONHADOS:

a marronagem de Juan Francisco Manzano e Maryse Condé

Autores

Palavras-chave:

Juan Francisco Manzano, Maryse Condé, Tituba, marronagem cultural, pedagogia da cimarronaje

Resumo

Este artigo apresenta uma análise comparativa das obras A Autobiografia do poeta-escravo, de Juan Francisco Manzano (2015) e Eu, Tituba: Bruxa negra de Salem, de Maryse Condé (2020), evidenciando as aproximações e diferenças entre elas, visto que ambas as narrativas se propõem a relatar a vida de sujeitos escravizados nos séculos XVII e XVIII, no caso de Tituba, e XIX para Manzano. Mesmo estando distantes no tempo e no espaço, além da autobiografia de Tituba ser ficcional por ser escrita por Maryse Condé, os autores/narradores demonstram estratégias que coincidem com o que Depestre (2001) caracterizou como marronagem cultural, conceito também desenvolvido por Coelho (2020) sob a denominação de pedagogias da cimarronaje, que, notoriamente, se estendem ao fazer literário. Assim, busca-se evidenciar esses aspectos comuns às literaturas caribenhas que visam uma releitura da história dos negros da diáspora nas Américas.  



Referências

CASTRO, Alex. Apresentação. In: MANZANO, Juan Francisco. A autobiografia do poeta-escravo. São Paulo: Hedra, 2015.

CAVAGNOLI, Ana Carolina Andrade Pessanha. Descolonizando o eu autobiográfico feminino: a questão da memória e história nas narrativas da escravidão. Entrelaces, v. 1, n. 9, p. 46-61, jun. 2017. Disponível em: http://www.periodicos.ufc.br/entrelaces/article/view/11706. Acesso em: 16 mar. 2021.

CÉSAIRE, Ina. Un avatar historique du conte guadeloupéen : le Récit de Type Nouveau. Cahiers de Littérature Orale: Aux sources des paroles de Guadeloupe, Paris, v. 1, n. 21, p. 97-114, jan. 1987. Disponível em: http://www.potomitan.info/atelier/contes/ina2.php. Acesso em: 28 mar 2021.

COELHO, Rogério Mendes. Pedagogias da cimarronaje: a contribuição das cosmogonias e cosmovisões africanas e afrodescendentes para a crítica literária e literaturas (afro) latino-americanas. 2019. Tese (Doutorado em Letras) – Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2019.

CONDÉ, Maryse. Eu, Tituba: bruxa negra de Salem. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 2020. Tradução de Natalia Borges Polesso.

CONDÉ, Maryse. La parole des femmes: Essai sur des romancières des Antilles de langue française. Paris: Éditions l'Harmattan, 1993.

CONFIANT, Raphaël. Traduire la littérature en situation de diglossie. Palimpsestes, [s. l.], ed. 12, 2000. Disponível em: https://journals.openedition.org/palimpsestes/1635#bibliography. Acesso em: 29 out. 2020.

DEPESTRE, René. Bom-dia e adeus à negritude, 2001. Tradução de Maria Nazareth Fonseca e Ivan Cupertino. Disponível em: http://www.ufrgs.br/cdrom/depestre/depestre.pdf. Acesso em: 28 mar. 2021.

EVARISTO, Conceição. Prefácio. In: CONDÉ, Maryse. Eu, Tituba: bruxa negra de Salem. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 2020.

GLISSANT, Édouard. Le Discours antillais. Paris: Éditions Gallimard, 1997.

LEJEUNE, Philippe. O pacto autobiográfico: de Rousseau à internet. Belo Horizonte: UFMG, 2008.

LÖWY, Michael. Walter Benjamin: aviso de incêndio. São Paulo: Boitempo, 2005. Tradução de Wanda Nogueira Caldeira Brant, Jeanne Marie Gagnebin e Marcos Lutz Müller.

MANZANO, Juan Francisco. A autobiografia do poeta-escravo. São Paulo: Hedra, 2015. Organização, tradução e notas de Alex Castro.

MOLLOY, Silvia. De la sujeción al sujeto: La "Autobiografía" de Juan Francisco Manzano. In: ______. Acto de presencia: La escritura autobiográfica en Hispanoamérica. Ciudad de México: El Colégio de México, 1996. p. 52-77. Traducción de José Esteban Calderón.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidade do poder e classificação social. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula (Org.). Epistemologias do sul. São Paulo: Cortez, 2010. p. 84-130.

RAMA, Ángel. La ciudad letrada. Montevideo: Arca, 1998.

RAMA, A. Transculturación narrativa en América Latina. México: Siglo XXI, 1982.

SALLES, Ricardo. Prefácio. In: MANZANO, Juan Francisco. A autobiografia do poeta-escravo. São Paulo: Hedra, 2015.

VELASCO, Tiago Monteiro. Escritas de si contemporâneas: uma discussão conceitual. In: CONGRESSO INTERNACIONAL DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE LITERATURA COMPARADA, 14., 2015, Belém. Anais eletrônicos. Belém: Abralic, 2015. p. 1-12. Disponível em: https://abralic.org.br/anais/arquivos/2015_1456108793.pdf. Acesso em: 16 mar. 2021.

Downloads

Publicado

2021-08-02

Como Citar

POZZI, J.; KERCHNER DA SILVA, A. . RELATOS REAIS, RELATOS SONHADOS:: a marronagem de Juan Francisco Manzano e Maryse Condé. Communitas, [S. l.], v. 5, n. 10, p. 236–249, 2021. Disponível em: https://periodicos.ufac.br/index.php/COMMUNITAS/article/view/4849. Acesso em: 4 ago. 2021.