LÍNGUA PORTUGUESA COMO L2 PARA SURDOS: ANÁLISE DOS ELEMENTOS LINGUÍSTICOS E TEXTUAIS EMPREGADOS POR UM ESTUDANTE SURDO BILÍNGUE

  • CARLOS ANTONIO JACINTO Universidade Federal de Viçosa - UFV
  • MICHELLE NAVE VALADÃO Universidade Federal de Viçosa - UFV
  • ADRIANA DA SILVA Universidade Federal de Viçosa - UFV
Palavras-chave: Língua Brasileira de Sinais, Interlíngua, Bilinguismo, Letramento

Resumo

Em uma sociedade multiletrada, a aquisição da Língua Portuguesa (LP) escrita, para os surdos, é primordial para a inserção, além de ampliar o universo sociocomunicativo. Diante disso, buscou-se analisar textos de um surdo bilíngue do ensino médio, visando identificar a influência da Libras nas produções em LP. A metodologia utilizada foi qualitativa, baseada na investigação bibliográfica e na pesquisa documental. Na análise das produções foram identificados os movimentos linguísticos a partir de elementos textuais como coesão e coerência. Os resultados demonstraram que o aluno realizou pequenas produções, na sua maioria descritiva, e que em alguns trechos houve rupturas na coesão. Constatou-se a influência da Libras na estrutura da LP, a qual foi atribuída como produto de uma interlíngua. Os achados mostram ser necessário a reflexão sobre a formação de professores de línguas, através do foco em questões metodológicas que considerem e valorizem as diversidades linguísticas, culturais e sociais dos surdos.

Biografia do Autor

CARLOS ANTONIO JACINTO, Universidade Federal de Viçosa - UFV

Guaduado em Letras (Português/Espanhol), mestrando em Linguísitca Aplicada. ambas formações pela Universidade Federal de Viçosa- UFV

MICHELLE NAVE VALADÃO, Universidade Federal de Viçosa - UFV

Professora Adjunta do Departamento de Letras da Universidade Federalde Viçosa- UFV

ADRIANA DA SILVA, Universidade Federal de Viçosa - UFV

Professora Adjunta do Departamento de Letras da Universidade Federal de Viçosa- UFV

Referências

ANTUNES, I. Análise de textos: fundamentos e práticas. Parábola, 2010.

BARROS, A. L. E. C.; NASCIMENTO, J. P.; BORGES, J. P. O.; Aquisição da Língua Portuguesa pelo surdo. Interletras, v. 06, n. 25, p. 1-10, 2017.

BASTOS, L. K. Coesão e coerência em narrativas escolares. Martins Fontes, 1994.

BRASIL. Decreto nº 5.626 de 22 de dezembro de 2005, que regulamenta a Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o Art. 18 da Lei no 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Publicado no Diário Oficial da União em 22 de dezembro de 2005.

BRITO, L. F. Por uma gramática de língua de sinais. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1995.

CHAROLLES, Michel. Introduction aux problemes de la coherence des textes:(Approche théorique et étude des pratiques pédagogiques). Langue française, 1978, 38: 7-41.

DECHANDT, S. B. A apropriação da escrita por crianças surdas. In: QUADROS, R. M. (Org). Estudos Surdos I. Rio de Janeiro: Arara Azul, 2003, p. 284-322.

DUARTE, A. S.; PADILHA, S. de J. Relações entre língua de sinais e língua portuguesa em materiais didáticos: a notação pelos números semânticos. ReVEL, v. 10, n. 19, p. 309-326, 2012.

FÁVERO, L. L. Coesão e coerência textuais. 11 ed., 2. impr.; ed. rev. e atual. São Paulo: Ática, 2007.

FELIPE, T. A. Os processos de formação de palavras em LIBRAS. Educação temática digital, v. 8, n. 2, 2007.

FERNANDES, S. Educação bilíngue para surdos: identidades, diferenças, contradição e mistérios. Curitiba, 2003. Tese (Doutorado em Letras) – Universidade Federal do Paraná.

______. Avaliação em Língua portuguesa para alunos surdos: algumas considerações. Curitiba, SEED/SUED/DEE, 2007.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6ª Ed. São Paulo: Atlas, 2011.

GÓES, M. C. R. de.; LOPES, P. A. linguagem no brincar: repercussões do "faz-de-conta" para o processo de letramento. In: LODI, A. C. B.; HARRISON, K. M. P.;

CAMPOS, S. R. L. de. Leitura e Escrita no contexto da diversidade. Porto Alegre: Editora mediação, 2004.

GUARINELLO, A. C. O papel do outro na escrita de sujeitos surdos. São Paulo: Plexus, 2007.

KARNOPP, L. B. O poder da escrita e a escrita do poder. In: Lodi, A. C. Leitura e escrita no contexto da diversidade. Porto Alegre: Mediação, 2004.

KOCH, I. G. V. Desvendando os segredos do texto. 5 ed. São Paulo: Cortez, 2002.

____________. A coesão textual. 20 ed. São Paulo: Contexto, 2005.

____________. ELLIAS, V. M. Ler e compreender: os sentidos dos textos. 2 ed. São Palo: Contexto, 2008.

____________. As tramas do texto. 2 ed. São Paulo: Contexto, 2014.

LODI, A. C. B.; BORTOLOTTI, E. C.; CAVALMORETTI, M. J. Z. Letramentos de surdos: práticas sociais de linguagem entre duas línguas/culturas. Bakhtiniana, v. 9, n. 2, p. 131-149, 2014.

MEIRELLES, V.; SPINILLO, A. G. Uma análise da coesão textual e da estrutura narrativa em textos escritos por adolescentes surdos. Estudos de Psicologia, v. 9, n. 1, p. 131-144, 2004.

OLIVEIRA, L. M. Prática social da escrita: um estudo de caso envolvendo a educação de adultos. Viçosa, 2013. Dissertação (Mestrado Letras) – Universidade Federal de Viçosa.

PEREIRA, M. C. C. Maria Cristina da Cunha Pereira fala sobre o ensino da Língua Portuguesa para surdos. Nova escola: 01 de dezembro de 2010. Entrevista concedida a Paula Takada. Disponível em: <https://novaescola.org.br/conteudo/1743/maria-cristina-da-cunha-pereira-fala-sobre-o-ensino-de-lingua-portuguesa-para-surdos>. Acesso em: 21 ago 2019.

______. Reflexões sobre a escrita de alunos surdos expostos à abordagem bilíngue de educação. Desafios para uma nova escola: um olhar sobre o processo ensino-aprendizagem de surdos. João Pessoa: Editora da UFPB, 2011, p. 49-64.

QUADROS, R. M.; KARNOPP, L. B. Língua de sinais brasileira: estudos linguísticos. Porto Alegre: Artmed, 2004.

SABANAI, N. L. A criança surda escrevendo na língua portuguesa: questões de interlíngua. Brasília, 2008. Dissertação (Mestrado Letras) – Universidade Federal de Brasília.

SALLES, H. M. M. L. Ensino de língua portuguesa para surdos: caminhos para a prática pedagógica. Brasília: MEC, SEESP, 2004.

SANTOS, F. M. A. dos. Marcas da Libras e indícios de uma interlíngua na escrita de surdos em língua portuguesa. Salvador, 2009. Dissertação (Mestrado em Letras) – Universidade Federal da Bahia.

SIGNORINI, I. Apresentação. In: SIGNORINI, I. (Org.). Investigando a relação oral/escrito e as teorias do letramento. Campinas: Mercado das Letras, 2001, p. 7-19.

SILVA, A. S. Linguagem e surdez: a coesão em textos de surdos. São Paulo, 2013. Dissertação (Mestrado Letras) – Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

SILVA, A. A. Linguística textual e ensino: coesão e coerência na alfabetização. Claraboia, 2018, 10: 95-118.

STREIECHEN, E. M.; KRAUSE-LEMKE, C. Análise da produção escrita de surdos alfabetizados com proposta bilíngue: implicações para a prática pedagógica. Revista Brasileira de Linguística Aplicada, Belo Horizonte, v. 14, n. 4, p. 957-986, 2014.

STUMPF, M. R. Aprendizagem de Escrita de Língua de Sinais pelo Sistema Signwriting: Línguas de Sinais no papel e no computador. Porto Alegre, 2005. Tese (Doutorado Educação) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Faculdade de Educação. Programa de Pós-graduação em Informática na Educação.

VALADÃO, M. N.; JACINTO, C. A. Teaching and Learning Portuguese as a Second Language for Deaf Students: Reflections on Teaching Practices in An Inclusive Context. European Journal of Social Sciences Education and Research, v. 11, n. 2, p. 301-307, 2017.

Publicado
2019-12-31
Como Citar
JACINTO, C. A., MICHELLE NAVE VALADÃO, & ADRIANA DA SILVA. (2019). LÍNGUA PORTUGUESA COMO L2 PARA SURDOS: ANÁLISE DOS ELEMENTOS LINGUÍSTICOS E TEXTUAIS EMPREGADOS POR UM ESTUDANTE SURDO BILÍNGUE. Muiraquitã: Revista De Letras E Humanidades, 7(2). https://doi.org/10.29327/212070.7.2-8
Seção
DOSSIÊ