“MILAGRE DA FLECHA”:

DEVOÇÃO A SÃO SEBASTIÃO EM XAPURI - AC

Resumo

Este artigo aborda, por meio de uma perspectiva sócio-histórica, a devoção a São Sebastião e sua festividade realizada em Xapuri - AC como um aspecto de constituição identitária de uma comunidade que consolida e ressignifica a sua religiosidade com as características regionais que permeiam seu cotidiano.  No que tange ao arcabouço teórico-metodológico, trata-se de uma pesquisa qualitativa, bibliográfica e de campo, utilizando-se fontes visuais, artigos científicos e livros como: “História do Acre: novos temas, nova abordagem” e “Trópicos Rebeldes: homens e mulheres da floresta e suas resistências contra as dominações na Amazônia Ocidental (Séculos XIX e XX) – Varadouros da Liberdade”, de 2013 e 2016, respectivamente, ambos de Carlos Alberto Alves de Souza; “Aquirya: a origem do Acre”, de Rogério Cavalcante (2015) e “Lugares de memória da princesinha do Acre”, de Wladimyr Sena Araújo (2018). Como resultado, percebeu-se as modificações na representação do santo por meio das práticas sociais existentes e sua importância, que perpassam a esfera do sacro ao secular, contribuindo economicamente para a cidade e para a formação identitária local. Concluiu-se que a festividade e a devoção são partes da cidade e de sua população, constituindo-se em algo que se adapta e ressignifica ao longo do tempo.

PALAVRAS-CHAVE: São Sebastião; Devoção Popular; Religiosidade; Xapuri; Ressignificação.

Biografia do Autor

Ramon Nere de Lima, Universidade Federal do Acre - UFAC

Bacharel em Ciência Política pelo Centro Universitário UNINTER. Graduando em Licenciatura em História pela Universidade Federal do Acre – UFAC. Pós-graduando em Tecnologias Digitais Aplicadas à Educação, Metodologia de Ensino de História e Gestão Pública pelo Centro Universitário Leonardo da Vinci UNIASSELVI.

Jardel Silva França, Faculdade de Educação Superior Euclides da Cunha

Especialista em Educação Especial Inclusiva pela Faculdade de Educação Acriana Euclides da Cunha (INEC). Licenciado em História, pela Universidade Federal do Acre - UFAC (2019). Aperfeiçoado Uniafro em Políticas de Promoção de Igualdade Racial na Escola (2016). Membro do corpo editorial da Revista Em Favor de Igualdade Racial e Revista Das Amazônias / Revista Discente de História da UFAC. Filiado à Associação Brasileira de Pesquisadores Negros e Negras (ABPN). Membro do Grupo de Pesquisa Núcleo de Estudos Afro-Brasileiros e Indígenas (NEABI) da Universidade Federal do Acre

Publicado
2020-11-23