ÉTICA, ESTÉTICA E POÉTICA DOS SABERES INSURGENTES DA CIDADE LETRADA

Autores

Palavras-chave:

Epistemologias dissidentes, Literatura, África, América Latina

Resumo

A presente proposta de dossiê, ‘Os saberes ausentes da cidade letrada no Século XXI’, parte da observação do número que se acredita insuficiente de espaços e reconhecimentos das contribuições (inter-)culturais e acadêmicas no processo de formação e desenvolvimento das literaturas e crítica literária latino-americana. Observa-se, em razão da complexidade histórica, cultural e (geo)política a multiplicação de saberes, representações e temáticas que precisam de maior atenção e debate pelos intelectuais latino-americanos. Ao apresentar como operam e sistematizam-se as complexidades sociais, políticas e culturais pretende-se dispor de sensibilidades críticas para melhor entender e articular, de maneira interdisciplinar, a melhor compreensão da produção e crítica literária na América Latina. A proposta parte de fundamentações várias, que se articulam de saberes ancestrais, que reafirmam e definem a natureza, distinção e autonomia intelectual latino-americana fundamentada na radical diversidade à motivação de epistemologias emergentes. Ao aproximar-se dos fundamentos e reflexões do coletivo decolonial, no propósito de (re)pensar os desdobramentos históricos, políticos e sociais da relação entre a modernidade e a colonialidade para a América Latina (MIGNOLO, 2010), a proposta destaca importância e centralidade da inclusão de representações/representatividades diversas no marco de referências em busca de revisionismo e atualizações no intuito de melhor visibilizar a contribuição cultural e intelectual da diversidade no processo de formação do pensamento formativo e crítico latino-americano. Desse modo, o conceito de ciudad letrada (RAMA, 1985) foi fundamental para o desenvolvimento da presente proposta porque apresenta as bases e valores que articularam e estabilizaram a empresa colonial na América Latina. Por meio dos valores, que estimularam a unilateralidade cultural como ethos e letramentos da racionalidade colonial, que respaldou razões, violências e conflitos ao longo de quase quatrocentos anos de dominação europeia na América Latina, hoje percebe-se que nos foi oferecida instrumentalidade para (re)pensar e elucidar ideias capazes de refletir com sagacidade os desdobramentos do processo histórico e crítico latino-americano, além de articular e visibilizar autonomias capazes de fomentar reflexões ocasionadas pelas fissuras históricas e culturais herdadas.

Biografia do Autor

Liliam Ramos, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

Professora Adjunta do Departamento de Línguas Modernas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS); professora permanente do Programa de Pós-Graduação em Letras da UFRGS atuando nas linhas de pesquisa 1- Pós-colonialismo e Identidades e 2 - Literatura, sociedade, (inter)textos literários e tradução nas literaturas estrangeiras modernas (espanhol); bacharel em Letras (UFRGS), mestre em Letras (Literatura Comparada - UFRGS) e doutora em Letras (Literaturas Estrangeiras Modernas - UFRGS); coordenadora do projeto de pesquisa Literatura Afro-latino-americana (2019-2021); bolsista CAPES professora visitante na Universidade de Cartagena, Colômbia (março a novembro/2020). 

Denilson Lima Santos, Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira - UNILAB

Professor Adjunto da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira, Instituto de Humanidade e Letras, Campus dos Malês. Bacharel em Teologia (STBNE, 2000/FATIN, 2014); Licenciado em Letras Português/Espanhol (UEFS, 2005); Especialista em História e Cultura Afro-Brasileiras (Fundação Visconde de Cairu, 2007); Mestre em Estudos Literários (UEFS 2009); Doutor em Estudos Literários (UdeA, Medellín, Colômbia, 2015). Desenvolve pesquisas sobre Literatura e Sociedade; Ensino de Literatura e Língua Portuguesa Como Primeira e Segunda Língua; Leitura, Leitor, Letramento Literário e Letramentos Sociais; Linguagem e Cultura Intelectual Afro-Latino-Americana, Filosofia e Discursividade da Ancestralidade Afro-Diaspórica. Possui publicações de artigos publicados em diversas revistas científicas, bem como publicou o livro: “Para além da tragédia: África e Brasil sob o olhar literário” (2011). É líder do Grupo de Estudos, Pesquisa e Extensão em Linguagem e Cultura Intelectual (GEPECIL/CNPQ/UNILAB). Bolsista Produtividade CNPq, processo: 306596/2020-2. Atualmente desenvolve pesquisa de Pós-Doutorado no Programa de Doutorado Multi-Institucional e Multidisciplinar em Difusão do Conhecimento (DMMDC/ UFBA).

Rogério Mendes, Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN

Licenciado em Língua Portuguesa e Espanhola, mestre e doutor em Teoria da Literatura pela UFPE é professor adjunto, em regime de dedicação exclusiva, responsável pela disciplina de Literaturas e Culturas Hispânicas do curso de Letras Espanhol da UFRN/FELCS. Pós-doutorando em Difusão do Conhecimento (PPGDC/UFBA). Líder do Grupo de Pesquisa "Outras Literaturas Hispânicas". Desenvolve pesquisas sobre as contribuições literárias e culturais indígenas, africanas no processo de formação das Literaturas Latino-Americanas; manifestações literárias migrantes e fronteiriças (Portunhol, Spanglish, Nuyorican, Chicana etc) e Literaturas de Língua Espanhola na África e Ásia.

Referências

BEVERLEY, John. Subalternidad y Representación. Debates en Teoría Cultural. Trad. Marlene Beiza; Sergio Villalobos-Ruminott. Madrid: Iberoamericana, 2004.

CASTRO-GÓMEZ, Santiago. La Hybris de Punto Cero: Ciencia, Raza e Ilustración en la Nueva Granada (1750-1816). Bogotá: Editorial Pontificia Universidad Javeriana, 2005.

CASTRO-GÓMEZ, Santiago. Crítica de la razón latinoamericana. Bogotá: Editorial Pontificia Universidad Javeriana, 2015.

FUENTES, Carlos. El espejo entejado. Mexico: Alfaguara, 2016.

GAUVIN, Lise. Des littératures de l'intranquillité. In: Intercâmbio: Revue d'études françaises. Porto: 2016, 2 série, vol. 9. p. 27-33. Disponível em: <http://ler.letras.up.pt/site/default.aspx?qry=id05id1184&sum=si>. Acesso em: 23 jun. 2020.

MIGLIEVICH-RIBEIRO, Adélia. “Por uma Razão Decolonial. Desafios Éticos-Políticos-Epistemológicos à Cosmovisão Moderna”. In: Revista Civitas V. 14, N. 1 Dossiê Diálogos do Sul. Porto Alegre: PUCRS, jan-abr 2014, pp. 66-80.

MIGNOLO, Walter. Histórias Locais/Projetos Globais: Colonialidade, Saberes Subalternos e Pensamento Limiar. Tradução: Solange Ribeiro de Oliveira. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003.

MIGNOLO, Walter. Desobediencia Epistêmica: Retórica de la Modernidad, Lógica de la Colonialidad y Gramática de la Descolonialidad. Buenos Aires: Ediciones del Signo, 2010.

RAMA, Angel. A Cidade das Letras. Trad. Emir Sader. São Paulo: Editora Brasiliense, 1985.

SANTOS, Boaventura de Sousa; MENESES, Maria Paula de. Epistemologias do Sul. São Paulo: Cortez, 2010.

STREET, Brian. V. Letramentos sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação. Trad. Marcos Bagno. São Paulo: Parábola, 2014.

WALSH, Catherine. Lo pedagógico y lo decolonial. Entretejiendo caminhos. In: WALSH, Catherine (org). Pedagogías decoloniales. Prácticas insurgentes de resistir, (re)existir y (re)vivir. Quito: Ediciones Abya-Yala, 2013. p. 23-68.

WALSH, Catherine. Interculturalidad, conocimientos y decolonialidad. In: Espacios, tiempos y sujetos de la multi(inter)culturalidad. Revista Signo y Pensamiento, v.24, n.46, 2005. p.39-50.

Downloads

Publicado

2021-08-02

Como Citar

RAMOS, L.; LIMA SANTOS, D. .; MENDES, R. ÉTICA, ESTÉTICA E POÉTICA DOS SABERES INSURGENTES DA CIDADE LETRADA. Communitas, [S. l.], v. 5, n. 10, p. 3–12, 2021. Disponível em: https://periodicos.ufac.br/index.php/COMMUNITAS/article/view/5129. Acesso em: 4 ago. 2021.

Edição

Seção

Apresentação do Dossiê Temático