EM BUSCA DO BRASIL PROFUNDO: AS DUAS VIAGENS DE MÁRIO DE ANDRADE

Palavras-chave: Cultura brasileira. Folclore. Música popular.

Resumo

Este artigo tem por objetivo detectar elementos norteadores da pesquisa etnográfica de Mário de Andrade a partir das duas viagens que empreende ao Norte e ao Nordeste do país. Essas duas investidas dizem respeito ao desejo pessoal do intelectual e escritor em voltar seus estudos para o desvelamento de elementos da cultura popular em sua origem, desvinculando-a do possa representar a indústria cultural e a música de consumo que se propaga através do rádio e disco nos centros urbanos. Desse modo, toca a Mário de Andrade reconhecer na criação musical do povo uma referência completamente diferente do lazer estéril da classe média das grandes cidades. Para tanto, recorrer a arquétipos que denunciam a originalidade de cantos de trabalho, rituais festivos e celebrações religiosas ligados à configuração da realidade cotidiana do homem diante do mundo e sua relação intrínseca com a vida. Por esse meio, cabe estabelecer a diferença do que sua pesquisa possa representar, uma vez que Mário de Andrade não pretende de modo algum vinculá-la às formas decorativas do folclore como expressão servil da nacionalidade. Seu trabalho, há que se destacar, diz respeito à coleta de um vasto material de que se serve na construção de sua obra de poeta, contista, romancista, músico, crítico e etnógrafo, amparando-se nessa vertente original para fornecer elementos referentes à composição de uma música erudita essencialmente brasileira.

Biografia do Autor

Valdemar Valente Junior, Universidade Castelo Branco
Doutor em Ciência da Literatura pela UFRJ. Pós-Doutor em Literatura Brasileira pela UERJ. Professor Assistente da UCB.

Referências

ALVARENGA, O. Na pancada do ganzá. In: Os cocos. São Paulo, Brasília: Duas Cidades, INL, 1984, p. 7-48.

ANDRADE, M. de. O turista aprendiz. São Paulo: Duas Cidades, Secretaria de Cultura, Ciência e Tecnologia, 1976.

LOPEZ, T. P. A. Mário de Andrade: ramais e caminho. São Paulo: Duas Cidades, 1972.

SCHELLING, V. A presença do povo na cultura brasileira: ensaio sobre o pensamento de Mário de Andrade e Paulo Freire. Campinas: Editora da UNICAMP, 1990.

SOUZA, E. M. de. A pedra mágica do discurso. Belo Horizonte: Editora da UFMG, 1999.

SOUZA, G. de M. e. O tupi e o alaúde: uma interpretação de Macunaíma. São Paulo: Duas Cidades, 1979.

TEIXEIRA, M. C. Riscos no fonógrafo: Mário de Andrade e os discos. In: TONI, Flávia Camargo. (Org.). A música popular brasileira na vitrola de Mário de Andrade. São Paulo: Editora Senac, 2004, p. 51-71.

TRAVASSOS, E. Os mandarins milagrosos: arte e etnografia em Mário de Andrade e Bela Bartók. Rio de Janeiro; Funarte, Zahar, 1997.

Publicado
2018-07-27
Seção
Artigos