A INFLUÊNCIA DAS CORRENTES GEOGRÁFICAS AO LONGO DA GEOGRAFIA ESCOLAR NO BRASIL

Palavras-chave: Geografia; Correntes geográficas; Geografia escolar.

Resumo

Este artigo objetiva realizar uma análise histórica a respeito da geografia escolar ao longo dos anos e o modo como as correntes geográficas influenciaram em tal processo. Para tanto, realizamos várias leituras de diversos autores que se debruçam sobre tal tema, realizando alguns breves apontamentos sobre as quatro principais correntes da geografia que contribuíram de alguma forma com o campo escolar dessa disciplina: determinismo, possibilismo, nova geografia e geografia crítica. Desde que os jesuítas instauraram o primeiro sistema de ensino em nosso país, a geografia possuía um caráter descritivo e tratava de assuntos muitas vezes alheios aos alunos. Com o passar do tempo, mudanças significativas foram implementadas em nossos currículos, de modo que a geografia chega aos dias atuais com um caráter muito mais renovado mas ainda assim com uma forte tendência tradicionalista.

Referências

BARBOSA, Ruy. Reforma do ensino primário e várias instituições complementares da educação pública. In: BARBOSA, Ruy. Obras completas de Ruy Barbosa. Rio de Janeiro: Ministério da Educação e Saúde, 1946.
CORRÊA, Roberto Lobato. Região e Organização Espacial. São Paulo: Ática, 2000.
ISSLER, Bernardo. A geografia e os estudos sociais. 1973. 253f. Tese (Doutorado em Geografia) - Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras, Universidade de São Paulo, Presidente Prudente (SP).
LEAL, Carmem Luyara Canabarro. Correntes do Pensamento Geográfico e Condições de Trabalho: ensinar geografia na rede municipal de Santa Maria/RS. 2016. 118f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Centro de Ciências Naturais e Exatas, Programa de Pós-Graduação em Geografia e Geociências da Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria (RS).
MORAES, Antonio Carlos Robert. Geografia Pequena História-Crítica. São Paulo: Hucitec, 2002.
PESSOA, Rodrigo Bezerra. Um Olhar Sobre a Trajetória da Geografia Escolar no Brasil e a Visão dos Alunos de Ensino Médio Sobre a Geografia Atual. 2007. 132f. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Centro de Ciências Exatas e da Natureza, Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa (PB).
ROCHA, G.O.R. A trajetória da disciplina geografia no currículo escolar brasileiro (1837 1942). 1996. 297f. Dissertação (Mestrado em Educação: supervisão e currículo) - Pontifica Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.
VLACH, Vânia Rubia Farias. A propósito do ensino de geografia: em questão, o nacionalismo patriótico. 1988, 206f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.
______. Carlos Miguel de Carvalho e a “orientação moderna” em Geografia. In: VESENTINI, José William (Org.). Geografia e ensino: textos críticos. 5. ed. Campinas: Papirus, 2001. p. 149-160.
______. O ensino de Geografia no Brasil: uma perspectiva histórica. In: VESENTINI, José William (Org.). O ensino de Geografia no século XXI. São Paulo: Papirus, 2004. p.187-218.
VESENTINI, José William. Para uma geografia crítica na escola. Editora do Autor: São Paulo, 2008. Disponível em: . Acesso em: 04 de maio de 2020.
Publicado
2020-06-01