DESAFIOS NA SALA DE AULA: AS HISTÓRIAS DOS ANTEPASSADOS COMO APORTE À CONSTRUÇÃO DE ALTERIDADE E EMPATIA

  • Reginâmio Bonifácio de Lima Universidade Federal do Acre
  • Maria Iracilda Gomes Cavalcante Bonifácio Universidade Federal do Acre
  • Arivaldo D'Avila de Oliveira Universidade Federal do Acre
  • Tavifa Smoly Araripe Universidade Federal do Acre
  • Vânia Nogueira de Oliveira Carmo Universidade Federal do Acre
  • Roberto Mamédio Bastos Universidade Federal do Acre
  • Luciana Vasconcelos de Oliveira Universidade Federal do Acre

Resumo

Somos diferentes e isso é um fato. Nenhum ser humano é igual ao outro, nem por isso é melhor ou pior. Também aprendemos de forma diferente uns dos outros, e isso precisa ser levado em consideração. O que fazer em uma sala de aula onde há alunos surdo, com TDAH, com déficit de atenção e, ainda, vários que discutem e brigam por causa de suas raízes da família nuclear? E quando a escola é atrativa, mas a sala de aula é vista pelos alunos como localidade necessária a marcar território independentemente da existência do outro, o que fazer? No contexto dos procedimentos, elegemos a abordagem da Pesquisa-Ação, de Michel Thiollent, por ser este tipo de atividade social com base empírica que apresenta estreita associação com uma ação ou com a resolução de um problema coletivo e no qual os professores e os alunos, representativos da situação ou problema estão envolvidos de modo cooperativo ou participativo, ou seja, o aluno aprende fazendo e faz aprendendo. Acreditamos que a escola tem que se posicionar sobre isso, e foi assim que procedemos. Os professores não devem ficar isolados em sala de aula, é preciso montar estratégias para vencer os obstáculos. No caso do terceiro ano do Ensino Fundamental I do Colégio de Aplicação, o apoio mútuo e o dar as mãos deu certo e é sobre essa parceria para resolução de práticas conflituosas com empatia e alteridade que produzimos nosso relato de experiência.

Biografia do Autor

Reginâmio Bonifácio de Lima, Universidade Federal do Acre
Professo EBTT de História no Colégio de Aplicação da Universidade Federal do Acre. Membro do Laboratório de Estudos Educacionais e Humanísticos Aplicados - LEEHAp. Membro da Academia Acreana de Letras.
Maria Iracilda Gomes Cavalcante Bonifácio, Universidade Federal do Acre
Professora EBTT de Língua Portuguesa da Ufac. Membro do Gescam/Ufac.
Arivaldo D'Avila de Oliveira, Universidade Federal do Acre
Professor EBTT de Geografia da Ufac. Membro do Gescam e do LEEHAp/Ufac.
Tavifa Smoly Araripe, Universidade Federal do Acre
Professora EBTT de Pedagogia da Ufac. Membro do Gescam/Ufac.
Vânia Nogueira de Oliveira Carmo, Universidade Federal do Acre
Professora Substituta EBTT de Pedagogia da Ufac.
Roberto Mamédio Bastos, Universidade Federal do Acre
Pedagogo da Ufac. Atuou como Pedagogo no Colégio de Aplicação da Ufac.
Luciana Vasconcelos de Oliveira, Universidade Federal do Acre
Técnica em Assuntos Educacionais no Colégio de Aplicação da Ufac.

Referências

. LIMA, Reginâmio B.; OGANDO, L. P.; NASCIMENTO, D. S.. Uma história do Acre em retalhos (Orgs.).Rio Branco: Edufac, 2014.

. PIMENTA, Nelson; QUADROS, Ronice Muller de. Curso de Libras 1. Rio de Janeiro: LSB Vídeo, 2006.

. GOLDSTEIN, Sam. Hiperatividade: como desenvolver a capacidade de atenção da criança. São Paulo: Papirus, 1998.

. TIBA, Içami. Quem ama educa. 6. ed. São Paulo: Gente, 2002.

. CHARTIER, Roger. A história cultural: entre prática e representações. Trad. Maria Manuela Galhardo. 2 ed. Rio de Janeiro: Difel, 2002.

. THOMPSON, E. P. A Miséria da Teoria. Trad. Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Zahar, 1981.

. HALL, STUART. Cultura e representação. Trad. Daniel Miranda e William Oliveira. Rio de Janeiro: PUC-Rio; 2016.

. HALL, Stuart. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Belo Horizonte: EdUFMG, 2003.

. CHARTIER, Roger. Inscrever e apagar. Cultura escrita e literatura (séculos XI-XVIII). Tradução de Luzmara Curcino Ferreira, São Paulo: Editora da UNESP, 2007.

. THIOLLENT, Michel. Metodologia da pesquisa-ação. 12. ed. São Paulo: Cortez, 2003.

. ANDRADE, Ênio Roberto de. Indisciplinado ou hiperativo. Nova Escola. São Paulo, n. 132, p. 30-32, maio 2000.

. SILVA, Ana Beatriz B. Mentes Inquietas. Rio de Janeiro: Napads, 2003.

Publicado
2020-05-20
Como Citar
Lima, R. B. de, Bonifácio, M. I. G. C., Oliveira, A. D. de, Araripe, T. S., Carmo, V. N. de O., Bastos, R. M., & Oliveira, L. V. de. (2020). DESAFIOS NA SALA DE AULA: AS HISTÓRIAS DOS ANTEPASSADOS COMO APORTE À CONSTRUÇÃO DE ALTERIDADE E EMPATIA. South American Journal of Basic Education, Technical and Technological , 7(1), 699-710. Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/SAJEBTT/article/view/2305
Seção
Relatos de Experiência

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##

> >>