VIOLÊNCIA DAS/NAS ESCOLAS E A AÇÃO DA POLÍCIA MILITAR: UMA PERSPECTIVA DE SEGURANÇA PÚBLICA COM CIDADANIA

Autores

  • Reginâmio Bonifácio de Lima Universidade Federal do Acre
  • João José Marques do Nascimento Polícia Militar do Acre

Resumo

A violência escolar é todo ato ou ação de violência, comportamento, agressivo e antissocial, incluindo conflitos interpessoais, danos ao patrimônio, atos criminosos, marginalização, discriminação, dentre outros, praticados tanto na e pela comunidade escolar quanto na e pela a sociedade em geral. Com este trabalho objetivamos analisar a violência em ambiente escolar, como ela se apresenta especialmente na perspectiva de distinguir a violência das escolas e nas escolas, para perceber qual deve ser a atuação da Polícia Militar do Acre em meio a esses contextos. A Polícia Militar tem sido de fundamental importância para a segurança nas escolas de Rio Branco por sua atuação de forma ostensiva e preventiva; e, ao atuar em ambiente escolar, tem como alvo os adolescentes, jovens e adultos, efetuando palestras e atividades lúdicas atrativas para os estudantes, com foco no bom relacionamento interpessoal, cidadania, respeito ao próximo e, como estar longe das drogas e da violência. Ao rever a literatura sobre violência das e nas escolas, há o ensejo em verificar qual a postulação do papel constitucional de prevenção da Polícia Militar no ambiente das relações de ensino, bem como a ação de repressão de conflitos que ensejem a presença policial.

 

PALAVRAS-CHAVE: Violência; Escola, Polícia Militar; Segurança Pública; Cidadania.

Biografia do Autor

Reginâmio Bonifácio de Lima, Universidade Federal do Acre

Professo EBTT de História no Colégio de Aplicação da Universidade Federal do Acre. Coordenador do Grupo de Pesquisa Sobre Terras e Gentes. Membro da Academia Acreana de Letras.

João José Marques do Nascimento, Polícia Militar do Acre

Professor de História e Oficial da Polícia Militar do Acre.

Referências

ABRAMOVAY, Miriam. Escola e violência. Brasília (DF): Unesco, 2002a.

ABRAMOVAY, Mirian et alii. Violências nas escolas. – Brasília: UNESCO, Coordenação DST/AIDES do Ministério da Saúde, Secretaria de Estado dos Direitos Humanos do Ministério da Justiça, CNPq, Instituto Ayrton Senna, UNAIDES, Banco Mundial, USAIDE, Fundação Ford, CONSED, UNDIME, 2002b.

ACRE. Companhia Independente de Policiamento Escolar. Rio Branco: PMAC (mimeo), 2006.

ACRE. Primeiro Levantamento sobre psicotrópicos e violência infanto-juvenil de Rio Branco. Rio Branco (AC): PMAC, 2008.

BORGES, Evandro Geraldo Ferreira. A violência nas escolas, o trabalho da formação ameaçado por uma questão de segurança pública. 2003. 66f. Monografia (Especialização em Criminalidade e Segurança Pública) – Centro de Estudos da Criminalidade e Segurança Pública, Universidade Federal de Minas Gerais, 2003.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, Senado, 1998.

BRUNETTA, Antônio Alberto. Autoridade policial na escola. Araraquara, SP: Junqueira&Marin, 2006.

CALDEIRA, Teresa Pires do Rio. Cidade de muros: crime, segregação e cidadania em São Paulo. São Paulo: Ed. 34 /Edusp, 2000.

CHARLOT, Bernard. A violência na escola: como os sociólogos franceses abordam essa questão. Sociologias, Porto Alegre, ano 4, p. 432-442, 2002.

CHARLOT, Bernard; ÈMIN, Jellab. A violência na escola: como os sociólogos franceses abordam essa questão. Sociologias. Porto Alegre: Armand Colin, 2002.

COUTO, Karine Gusmão do. Violência e escola: o que pensam os diferentes atores sociais sobre a intervenção policial na instituição escolar. 2003. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade Federal de Minas Gerais. Belo Horizonte, 2003.

CRUZ, Bianca Sales; SILVA, Luana Carla Torres da. A contribuição do Proerd no combate a violência no cotidiano da escola de Ensino Fundamental Clínio Brandão. Rio Branco: UFAC, 2004.

CUNHA, Fabrício Costa da. Perfil da Violência nas Escolas de Rio Branco. Rio Branco: UFAC, 2008.

DEBARBIEUX, E. Violência nas escolas e políticas públicas. Brasília: UNESCO, 2002. 268p.

FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. 24 ed. São Paulo: Edições Graal, 2007.

GUIMARÃES, Áurea Maria. A dinâmica da violência escolar: conflito e ambigüidade. Campinas: Autores associados, 1996.

LIMA, Reginâmio B.; REIS, José A.. Proerd Rio Branco: crianças e adolescentes de bem com a vida. Rio Branco: Boni, 2007.

LONGO, Malu. Violência e medo rondam as escolas. O Popular, Goiânia, p. 5, 18 nov. 2008.

MONLEVADE, J. A. Segurança na sociedade e nas escolas. 4 ed. Cuiabá: Universidade Federal de Mato Grosso / Rede e-Tec Brasil, 2013.

OLIVEIRA, Windson J. M. A policialização da violência em meio escolar. Belo Horizonte: mimeo, 2008.

PRIOTO, E. P.; BONETI, L. W.. Violência escolar: na escola, da escola e contra a escola. IN: Rev. Diálogo Educ., Curitiba, v. 9, n. 26, p. 161-179, jan./abr. 2009.

RODRIGUES S. A.. Plano de segurança para as escolas do Estado de São Paulo: o controle eletrônico através das câmeras. IN: Vigilância, Segurança e Controle Social. Curitiba: PUCPR, 2009.

SILVA, Pedro. N. Ética, indisciplina e violência nas escolas. Petrópolis, RJ: Vozes, 2004.

VIANA, Nildo. Escola e violência. In: VIANA, N.; VIEIRA, R. (Org.). Educação, cultura e sociedade: abordagens críticas da escola. Goiânia: Edições Germinal, 2002.

ZAVERUCHA, Jorge. Polícia Civil de Pernambuco: O Desafio da Reforma. Pernambuco: Editora da Universidade Federal de Pernambuco, 2003.

Downloads

Publicado

2018-10-09

Como Citar

Lima, R. B. de, & do Nascimento, J. J. M. (2018). VIOLÊNCIA DAS/NAS ESCOLAS E A AÇÃO DA POLÍCIA MILITAR: UMA PERSPECTIVA DE SEGURANÇA PÚBLICA COM CIDADANIA. South American Journal of Basic Education, Technical and Technological , 5(2). Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/SAJEBTT/article/view/1563

Edição

Seção

Artigos de Revisão

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)