ORGANIZAÇÃO E FUNDAMENTOS DO CURRÍCULO NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES

olhando o caminho percorrido e traçando novas rotas

Autores

Palavras-chave:

Currículo; Base Nacional Comum Curricular; Formação continuada

Resumo

Este trabalho apresenta o percurso de formação continuada com professores das escolas públicas da rede estadual e municipal de ensino do município de Santiago do Sul-SC, que objetivou aprofundar as discussões voltadas ao currículo, às Diretrizes Curriculares Nacionais, à Proposta Curricular de Santa Catarina, à Base Nacional Comum Curricular e à elaboração de propostas que fundamentem os projetos pedagógicos. A formação ofertada atendeu as normas estabelecidas para a certificação da especialização em Fundamentos e Organização Curricular, ofertada pela Universidade Comunitária da Região de Chapecó – Unochapecó. Quanto aos aspectos metodológicos, esta pesquisa classifica-se como bibliográfica e relato de experiência, na perspectiva multiplicadora. Propôs-se a discutir e articular conceitos essenciais para a educação realçando: como a formação continuada dos docentes pode contribuir com a implementação das políticas educacionais estabelecidas para a educação básica? Evidenciou-se a relevância do trabalho do professor na e para a implementação das políticas educacionais estabelecidas para a educação básica como mediador para a garantia de um ensino de qualidade e equidade a todos os estudantes das escolas envolvidas.

 

 

Biografia do Autor

Cláudia Brunetto dos Santos, Universidade Comunitária da Região de Chapecó - Unochapecó.

 

 

 

Referências

ARROYO, Miguel Gonzalez. Currículo, território em disputa. 2. ed. - Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.
BORGES, Gabriela Ferreira de Mello; ARAÚJO, Clarice Alves de; PEREIRA, Dulceana. Políticas públicas e políticas educacionais: primeiras aproximações. Revista Encontro de Pesquisa em Educação. Uberaba, v. 1, n.1, p. 62-75, 2013.
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base Nacional Comum Curricular. Brasília, DF, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/#/site/inicio. Acesso em: 09 jan. 2020.
BRASIL, Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais da Educação Básica. Brasília: MEC, SEB, DICEI, 2013.
BRASIL. Ministério de Educação e Cultura. LDB - Lei nº 9394/96, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da Educação Nacional. Brasília: MEC, 1996.
CANDAU, Vera Maria; MOREIRA, Antonio Flavio Barbosa. Indagações sobre currículo: currículo, conhecimento e cultura. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2007.
CLAUDINO, Sergio. et al. (orgs.). Geografia, educação e cidadania. Centro de Estudos Geográficos, Instituto de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Lisboa. Lisboa: ZOE, 2019.
DALAROSA, Adair Angelo. Anotações à questão: para que estudar história da educação? In: LOMBARDI, J. C. (org). Pesquisa em educação: história, filosofia e temas transversais. Campinas: Autores Associados, 1999. p. 43 -53.
FREIRE. Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 37. ed. São Paulo: Paz e Terra, 1996.
FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2010. (Coleção Leitura).
LIBÂNEO, Antônio Carlos. Organização e gestão da escola: teoria e prática. Goiânia: Ed. Alternativa, 2001.
MASETTO, Marcos Tarciso. Competência pedagógica do professor universitário. São Paulo: Summus Editorial, 2003.
MEDEIROS, Laércia Maria Bertulino; BEZERRA, Carolina Cavalcanti. Algumas considerações sobre a formação continuada de professores a partir das necessidades formativas em novas tecnologias na educação. In: SOUSA, Renan Pedra de. et al. Orgs. Teorias e práticas em tecnologias educacionais [online]. Campina Grande: EDUEPB, 2016, p. 17-37. Disponível em: http://books.scielo.org. Acesso em: 14 dez. 2019.
NÓVOA, António; FINGER, Matthias. O método (auto) biográfico e a formação. Lisboa: Ministério da Saúde, 1988.
NÓVOA, António. História da educação: percursos de uma disciplina. Lisboa/Portugal. Universidade de Lisboa. Texto traduzido em 1996.
SANTA CATARINA. Secretaria de Estado da Educação, Ciência e Tecnologia. Proposta Curricular de Santa Catarina: eixos temáticos. Florianópolis: IOESC, 2005.
SANTA CATARINA. Currículo base da educação infantil e do ensino fundamental do território catarinense. Florianópolis: SED, 2019.
SCHEIBE, Leda; BOMBASSARO, Ticiane. Sala ambiente currículo, cultura e sociedade escolar. Obra retirada da Biblioteca Virtual do Curso de Especialização em Coordenação Pedagógica. Disponível em: http://coordenaçãoescolagestores.mec.gov.br/ufsc. Acesso em: 06 jan. 2020.
TUMA, Magda Madalena. Da escrita de intenções aos discursos sobre o processo histórico: a história da educação como disciplina do curso de Pedagogia na década de 1960. In: ABBUD, Maria Luiza Macedo; FAVARO, Maria Regina Gimenez. et al. (Orgs.). 50 anos da Pedagogia: da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Londrina à Universidade Estadual de Londrina (1962 a 2012). Universidade Estadual de Londrina, Londrina, PR, 2012, p. 55 a 64.

Downloads

Publicado

2021-09-29

Como Citar

BASTEZINI KRONBAUER, N.; BRUNETTO DOS SANTOS, C.; CAMPANHOLO BORDIGNON, L. H. . ORGANIZAÇÃO E FUNDAMENTOS DO CURRÍCULO NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES: olhando o caminho percorrido e traçando novas rotas. Communitas, [S. l.], v. 5, n. 11, p. 285–297, 2021. Disponível em: https://periodicos.ufac.br/index.php/COMMUNITAS/article/view/4737. Acesso em: 3 dez. 2021.

Edição

Seção

Demanda Contínua