CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE O CONSUMO DE QUELÔNIOS NA RESERVA EXTRATIVISTA RIOZINHO DA LIBERDADE, ACRE – BRASIL

Palavras-chave: Bichos de Casco, Amazônia, Educação Ambiental, Conservação

Resumo

Os quelônios, também conhecidos como bichos de casco, são frequentemente utilizados para consumo de subsistência em comunidades tradicionais. Na Reserva Extrativista Riozinho da Liberdade, Acre, o uso de quelônios na alimentação é comum, entretanto, o uso indiscriminado pode acarretar reduções irreversíveis nas populações naturais. Neste contexto, a educação ambiental se apresenta como uma ferramenta eficaz para a implantação de ações de conservação desses animais em comunidades tradicionais. O presente trabalho teve como objetivo promover a sensibilização e conscientização ambiental dos participantes da Reserva, por meio da utilização de atividades de educação ambiental, a fim de induzir uma mudança de comportamento com relação ao uso dos recursos naturais. Foram desenvolvidas várias atividades nas escolas da comunidade, para estimular a reflexão dos participantes sobre suas ações e consequentes impactos destas no ambiente, possibilitando a futura adoção de medidas que visem o consumo sustentável e conservação da biodiversidade local.

Biografia do Autor

Victor Silva Vasconcelos, Universidade Federal do Acre (UFAC) - Campus Floresta

Mestrando do Programa de Pós-Graduação em Sanidade e Produção Animal na Sustentável na Amazônia Ocidental, Universidade Federal do Acre.

 

Matheus Nascimento Oliveira, Universidade Federal do Acre (UFAC) - Campus Floresta

Graduando do Curso de Bacharelado em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Acre (Ufac) Campus Floresta.

Tiago Lucena Silva, Universidade Federal do Acre (UFAC) - Campus Floresta
Docente da Universidade Federal do Acre (UFAC), Campus Floresta, Cruzeiro do Sul. Doutor em Biologia Animal pelo Programa de Pós-Graduação em Biologia Animal (Conceito 6), área de concentração em Biologia Estrutural, Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho", UNESP/IBILCE. Coordenador do Laboratório de Biologia Animal da Universidade Federal do Acre - Campus Floresta, onde desenvolve projetos com inventariamento da biodiversidade animal no extremo ocidente Amazônico. Atua nas áreas de inventariamento de herpetofauna, reprodução e manejo de animais silvestres, morfologia e morfometria de grupos recentes, anatomia e fisiologia animal, biologia celular, genética, hematologia e ecotoxicologia.

Referências

AMORY, A. Building an Educational Adventure Game: Theory, Design, and Lessons. Journal of interactive learning research. Association for the Advancement of Computing in Education. v. 12, 2001.

ANDRADE, P. C. M.; AZEVEDO, S. H.; PINTO, J. R. DA. S.; LIMA, A. C. DE.; Projeto Pé-de-Pincha - Parceria de Futuro para conservar os quelônios das várzeas amazônicas. 1. ed. Manaus: Provárzea/Ibama, 2005.

BERTIN, R.; LIMA, M. DE F. W. DO P.; WEBBER, C. G. DESENVOLVENDO JOGOS EDUCACIONAIS POR MEIO DE SOFTWARES DE AUTORIA. RENOTE, v. 13, n. 1, p. 1–10, 5 ago. 2015. DOI: https://doi.org/10.22456/1679-1916.57637

BRASIL. Lei Federal Nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998. Dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccIVIL_03/leis/L9605.htm. Acesso em: 08 Nov de 2018.

CALISTO, A.; BARBOSA, D.; SILVA, C. Uma Análise Comparativa entre Jogos Educativos Visando a Criação de um Jogo para Educação Ambiental. In: Simpósio Brasileiro de Informática na Educação (SBIE), Anais do SBIE. 2010. Disponível em: <http://www.br-ie.org/pub/index.php/sbie/article/view/1439>. Acesso em: 08 Nov de 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.5753/cbie.sbie.2010.%25p

DEMOLY, K. R. D. A.; SANTOS, J. S. B. DOS. LEARNING, ENVIRONMENTAL EDUCATION AND SCHOOL: WAYS OF EN-ACTING IN THE EXPERIENCE OF STUDENTS AND TEACHERS. Ambiente & Sociedade, v. 21, n. 0, 10 jul. 2018. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/1809-4422asoc0087r2vu18l1ao

FACHÍN-TERÁN, A.; VOGT, R. C.; THORBJARNARSON, J. B. Patterns of Use and Hunting of Turtles in the Mamirauá Sustainable Development Reserve, Amazonas, Brazil. In: Kirsten M. Silvius, Richard E. Bodmer and Jose M. V. Fragoso (eds.). People in Nature: Wildlife Conservation in South and Central America. Columbia: Columbia University Press, p. 362–377. 2007.

MENDES, M.; PANOZZO, N. S. P. O jogo Banco Imobiliário Sustentável e os conceitos de educação para a sustentabilidade na infância. Desenvolvimento e Meio ambiente, v. 39, n. 0, 30 dez. 2016. Doi: http://dx.doi.org/10.5380/dma.v38i0.43998

ISLAS, C. A.; BEHLING, G. M. Problematizando a temática do tráfico de animais silvestres e do cativeiro ilegal na sala de aula: perspectivas da educação ambiental na percepção de professores da educação básica. Pesquisa em Educação Ambiental, v. 11, n. 1, p. 66–80, 31 jul. 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.18675/2177-580X.vol11.n1.p66-80

MARTINS, M.; MOLINA, F. B. Panorama geral dos répteis ameaçados do Brasil. In: MACHADO, A.; DRUMMOND, G. M.; PAGLIA, A. P. (Org.). Livro Vermelho da fauna brasileira ameaçada de extinção. 1. ed. Brasília/Belo Horizonte: Ministério do Meio Ambiente/Fundação Biodiversitas, p. 327–334. 2008.

MEDEIROS, A. B. DE.; MENDONÇA, M. J. DA. S. L.; SOUSA, G. L. DE.; OLIVEIRA, I. P. DE.; A Importância da educação ambiental na escola nas séries iniciais. Revista Faculdade Montes Belos, v. 4, n. 1, p. 1–17, 2011.

MELO, G.; SANTOS, R. M. DOS; TREZZA, M. C. S. F. Entendimento e prática de ações educativas de profissionais do Programa Saúde da Família de São Sebastião-AL: detectando dificuldades. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 58, n. 3, p. 290–295, 2005. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672005000300007

MENDES, M.; PANOZZO, N. S. P. O jogo Banco Imobiliário Sustentável e os conceitos de educação para a sustentabilidade na infância. Desenvolvimento e Meio Ambiente, v. 39, n. 0, 30 dez. 2016. Doi: http://dx.doi.org/10.5380/dma.v39i0.46373

OLIVEIRA, A. L. DE; OBARA, A. T.; RODRIGUES, M. A. Educação ambiental: concepções e práticas de professores de ciências do ensino fundamental. Revista Electrónica de Enseñanza de las Ciencias, v. 6, n. 3, p. 471–495, 2007.

OLIVEIRA, M. N.; SILVA, A. S.; CAVALCANTE, E. S.; VASCONCELOS, V. S.; PINHO, R. E. O.; SILVA. L. L.; LOPES-FILHO, I. I.; SILVA, T. L. EDUCAÇÃO AMBIENTAL MEDIADA POR ALUNOS DE ENSINO FUNDAMENTAL - PROJETO BICHOS DE CASCO. Educação Ambiental em Ação, v. Ano XVII, n. 65, 2018.

RANCURA, K.; ROCHA, L.; TORICELLI, B. CONTRIBUIÇÕES DO PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL “CLUBE TETÉIA” DA FUNDAÇÃO PARQUE ZOOLÓGICO DE SÃO PAULO PARA O ENVELHECIMENTO ATIVO E A INCLUSÃO SOCIAL DE IDOSOS. Rev. Brasileira de Educação Ambiental, v. 11, n. 4, p. 269–288, 2016. Doi: https://doi.org/10.14295/remea.v0i0.5384

REBÊLO, G.; PEZZUTI, J. Percepções sobre o consumo de quelônios na Amazônia: sustentabilidade e alternativas ao manejo atual. Ambiente & Sociedade, n. 6–7, p. 85–104, jun. 2000. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S1414-753X2000000100005

SALDO, P. Aspectos etnobiológicos da Reserva Extrativista Riozinho da Liberdade, no Acre. Instituto Chico Mendes. Disponível em: <http://www.icmbio.gov.br/portal/pesquisa/projetos-apoiados/2014/7309-aspectos-etnobiologicos-da-reserva-extrativista-riozinho-da-liberdade-no-acre>. Acesso em: 01 out. 2018.

SANTANA, E. M. DE; REZENDE, D. DE B. O. Uso de Jogos no ensino e aprendizagem de Química: Uma visão dos alunos do 9o ano do ensino fundamental. In: XIV Encontro Nacional de Ensino de Química (XIV ENEQ). Anais, Curitiba, PR: UFRP, 2008.

SILVA, D. X. DA; TERÁN, A. F.; ROCHA, J. M. JACAÚNA, C. L. F. S. REPRESENTAÇÕES SIMBÓLICAS / AMBIENTAIS DE ATIVIDADES DE CONSERVAÇÃO DE QUELÔNIOS POR ESTUDANTES DE ESCOLA RIBEIRINHAS NO BAIXO AMAZONAS. Educação Ambiental em Ação, v. XI, n. 41, 2012.

SILVA, T. L. PINHO, R. E. O.; OLIVEIRA M. N.; SILVA. L. L. LOPES-FILHO, I. I.; VASCONCELOS, V. S.; SILVA, A. S. Perspectivas de estudantes sobre a conservação de quelônios em uma escola da zona periférica de Cruzeiro do sul – Acre. REVISTA COMMUNITAS, v. 2, n. 3, p. 304–313, 2 jun. 2018.

SOUSA, G. L. DE.; MEDEIROS, A. B. DE.; MEN. A Importância da educação ambiental na escola nas séries iniciais. Revista Eletrônica Faculdade Montes Belos, v. 4, n. 1, p. 17, 28 set. 2011.

TRAJBER, R.; SORRENTINO, M. Políticas de Educação Ambiental do Órgão Gestor. In: Vamos Cuidar do Brasil: conceitos e práticas em Educação Ambiental na escola. Brasília: UNESCO, p. 13–22. 2007.

VOGT, R. C. Tartarugas da Amazônia. 1. ed. Manaus: INPA-Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, 2008.

Publicado
2019-06-17