Disputas entre medicinas

prática e ensino médico e as artes de curar no Brasil e nas Amazônias no século XIX

Autores

  • Ana Paula Oliveira do Nascimento Universidade Federal do Acre

Resumo

Neste trabalho, busco tratar sobre a constituição da classe médica no decorrer do século XIX no Brasil e nas Amazônias e seus confrontos contra os praticantes das artes de curar na assistência e no tratamento das enfermidades por estes segmentos a população. Também pretendo fazer diálogo com as transformações de concepção institucional sofridas pela classe médica na prática do ofício de cura e seus embates às artes de curar, e também o uso da imprensa como agente representativo e repressor dos terapeutas populares e suas práticas e seu caráter ambíguo a estes segmentos sociais juntamente com os governos locais. Como base na discussão desta temática, utilizam-se os artigos de Aldrin Moura Figueiredo, Luiz Otávio Ferreira, Gabriela dos Reis Sampaio para fundamentação da abordagem aqui desenvolvida. Busco, neste trabalho, compreender e dialogar como esses modos e práticas de cura, presentes nas populações das Amazônias e nas demais regiões do país, resistiram aos processos de restrição, proibições por governos autoritários e órgãos reguladores, e como as artes de curar continuam a desempenhar seu papel principal – curar doenças e resistir aos processos de modernização e autoritarismo por parte do poder público e da ciência.

PALAVRAS-CHAVE: Artes de curar; Saúde; Amazônias; Ciência.

Biografia do Autor

Ana Paula Oliveira do Nascimento, Universidade Federal do Acre

Bacharelanda em História pela Universidade Federal do Acre (Ufac).

Downloads

Publicado

2021-06-19

Como Citar

Paula Oliveira do Nascimento, A. . (2021). Disputas entre medicinas: prática e ensino médico e as artes de curar no Brasil e nas Amazônias no século XIX. Das Amazônias, 4(1), 12–25. Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/amazonicas/article/view/4870