A PARÓDIA MUSICAL COMO ESTRATÉGIA DE ENSINO E APRENDIZAGEM EM CIÊNCIAS NATURAIS

Autores

  • Renata Raimundo Luna Faculdade São Lucas.
  • Élen Gomes Eno Faculdade São Lucas.
  • Ivanete Saskoski Caminha Faculdade São Lucas.
  • Renato Abreu Lima Doutorando em Biodiversidade e Biotecnologia pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Pertencente ao Laboratório de Pesquisa em Química de Produtos Naturais.

Resumo

Na educação brasileira a música teve sua aplicação oficial desde 1930 por meio do canto orfeônico e repertório folclórico, nas escolas públicas, sendo inserida atualmente na disciplina de arte. As estratégias de ensino e aprendizagem possuem metodologias que são o alicerce para o sucesso em sala de aula. Sua aplicação produz instrumentos eficazes de ensino, porém requer tempo e dedicação do docente, mas com resultado certo na interação e compreensão do assunto a ser aplicado. O método teve como base a pesquisa-ação distribuída em duas etapas: uma marcada pela preparação da aula e criação da paródia; e a outra composta pela execução da aula com aplicação da prática realizada nos meses de julho a novembro de 2013 no turno vespertino com os alunos do 7º ano, turma C, e faixa etária dos 12 aos 18 anos. Sendo desenvolvida durante o estágio supervisionado em Ciências Naturais na Escola Estadual de Ensino Fundamental Padre Mário Castagna fundada em 1989 localizada no município de Porto Velho, Rondônia. Esta oferece o ensino regular, 1º e 2º segmentos, funcionando nos períodos manhã e tarde totalizando 594 alunos matriculados nos respectivos turnos. Com o objetivo de desenvolver o tema de Botânica empregando uma paródia como recurso didático a fim de facilitar a fixação do conteúdo pelos alunos e despertar o interesse pelo assunto. Resultando em participação dos estudantes de forma espontânea e instantânea. Desse modo, a paródia mostrou-se uma ferramenta preciosa, pois facilita a fixação do conteúdo, desperta a atenção, curiosidade, e possibilita aos estudantes assimilar a paródia com a realidade do cotidiano.

Biografia do Autor

Renata Raimundo Luna, Faculdade São Lucas.

Graduação em Ciências Biológicas, Faculdade São Lucas.

Élen Gomes Eno, Faculdade São Lucas.

Graduação em Ciências Biológicas, Faculdade São Lucas, Porto Velho, RO.

Ivanete Saskoski Caminha, Faculdade São Lucas.

Graduação em Ciências Biológicas, Faculdade São Lucas, Porto Velho, RO.

Renato Abreu Lima, Doutorando em Biodiversidade e Biotecnologia pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Pertencente ao Laboratório de Pesquisa em Química de Produtos Naturais.

Biólogo, Pós-Graduado em Gestão Ambiental, Mestre em Meio Ambiente e Doutorando em Biodiversidade e Biotecnologia pela UFAM.

Referências

MAZZIONI, S. As estratégias utilizadas no processo de ensino-aprendizagem: concepções de alunos e professores de ciências contábeis. Revista Eletrônica de Administração e Turismo – ReAT, vol. 2, n. 1, p. 93-109, jan./jun. 2013.

FIGUEIREDO, J. A. O ensino de botânica em uma abordagem ciência, tecnologia e sociedade: propostas de atividades didáticas para o estudo das flores nos cursos de ciências biológicas. Belo Horizonte, 2009.

LOUREIRO, A. M. A. O ensino da música na escola fundamental: um estudo exploratório. (Dissertação) Mestrado em Educação. PucMinas. Belo Horizonte, 2001.

JORDÃO, G.; ALLUCCI, R. R.; MOLINA, S.; TERAHATA, A. M. A música na escola. São Paulo: [S.n.], 2012.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: arte / Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC/SEF, 1997.

FÉLIX, G. F. R.; SANTANA, H. R. G.; OLIVEIRA JÚNIOR, W. A música como recurso didático na construção do conhecimento. Cairu em Revista, v.3, n. 4, p. 17-28 jul/ago 2014.

TRIPP, D. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Educação e pesquisa, v.31, n. 3, p. 443-466, set./dez. 2005.

TOLEDO, R. F. de; JACOBI, P. R. Pesquisa-ação e educação: compartilhando princípios na construção de conhecimentos e no fortalecimento comunitário para o enfrentamento de problemas. Educação & Sociedade, v. 34, n. 122, p. 155-173, 2013.

LORENZI, H.; SOUZA, H. M. de. Plantas ornamentais no Brasil: arbustivas, herbáceas e trepadeiras. São Paulo: Instituto Plantarum, 2001.

BARROS, R.; HENRIQUE, Z.; BENÍCIO, L. C. Flor. Intérprete: Jorge e Mateus. In: JORGE E MATEUS. A hora é agora Ao Vivo em Jurerê. Som Livre p2012. Faixa 3.

BRASIL. Lei nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998. Lei sobre os Direitos Autorais. Diário oficial Republica Federativa do Brasil/Presidência da República Casa Civil subchefia para assuntos jurídicos. Brasília, DF, 20 fev. 1998. Disponível em <http://www.planalto.gov.br/CCivil_03/leis/L9610.htm>, [acesso em 31 de maio 2015].

HOUAISS, A.; VILLAR, M. de S.; FRANCO, F. M. de M. Dicionário da língua portuguesa. 1. ed., Rio de Janeiro: Editora Objetiva, 2009.

FERREIRA, G. R. A. M.; LIMA, M. M. da C.; JESUS, R. S. de. Paródias como estratégia no ensino de biologia com intermediação tecnológica. Salvador: EMITEC/SEC, 2013.

FAZENDA, I. (Org.). O Que é interdisciplinaridade? São Paulo: Cortez, 2008.

SOUZA, E. C.; SILVA, V. R.; FONSECA, F. N.; MESQUITA NETO, J. R. de. A música no contexto acadêmico: um instrumento didático. In: congresso de pesquisa e inovação da rede norte nordeste de educação tecnológica, 5, CONNEPI, Maceió: Instituto Federal Alagoas, 2010.

LUCKESI, C. C. Filosofia da educação. São Paulo: Cortez, 1994.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2016-07-16

Como Citar

Luna, R. R., Eno, Élen G., Caminha, I. S., & Lima, R. A. (2016). A PARÓDIA MUSICAL COMO ESTRATÉGIA DE ENSINO E APRENDIZAGEM EM CIÊNCIAS NATURAIS. South American Journal of Basic Education, Technical and Technological , 3(1). Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/SAJEBTT/article/view/446

Edição

Seção

Artigos Originais Ciências Humanas

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

> >>