O ENSINO-APRENDIZAGEM DE PTERIDÓFITAS POR MEIO DA AULA PRÁTICA EM UMA ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO-RO

Autores

  • Felipe Sant'Anna Cavalcante Faculdade São Lucas
  • Deizieny Aires Silva Faculdade São Lucas.
  • Juciele Firmino Freitas Faculdade São Lucas.
  • Renato Abreu Lima Doutorando em Biodiversidade e Biotecnologia pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Pertencente ao Laboratório de Pesquisa em Química de Produtos Naturais.

Resumo

Pteridófitas são plantas vasculares sem sementes, popularmente conhecidas como samambaias, avencas, xaxins e cavalinhas. Precisam de água para facilitar a reprodução e sua sobrevivência. Além disso, apresentam importância econômica, medicinal e ornamental. O ensino de Botânica na sua grande maioria apresentam conceitos altamente complexos dificultando o ensino-aprendizagem dos alunos. E as práticas enfatizam a relevância para o desenvolvimento de conceitos científicos, pelo fato destas atividades transformarem o processo de aprendizagem dinâmico e mais interessante, principalmente quando associadas ao cotidiano dos alunos. Com isso, este trabalho teve como objetivo demonstrar as estruturas das Pteridófitas de forma diferenciada por meio de uma aula prática. O presente trabalho foi desenvolvido na Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Eduardo Lima e Silva em Porto Velho-RO com duas turmas do sétimo ano do ensino fundamental (ensino regular) atendendo 60 alunos. O trabalho foi dividido em duas etapas, sendo que no primeiro momento, os alunos tiveram aulas teóricas com auxílio de recursos multimídia, onde verificaram conceito, importância, ciclo de vida, reprodução e exemplos de Pteridófitas e no segundo momento, aulas práticas no laboratório da escola, na qual os alunos tiveram que visualizar, desenhar e pintar as estruturas vistas a olho nu e na lupa de amostras coletadas de Pteridófitas. No final das aulas, foi solicitada aos alunos uma resenha para verificar o que eles tinham aprendido sobre o conteúdo. Com base nos resultados obtidos, verificou-se que durante as aulas teóricas, os alunos interagiram uns com os outros, além de serem participativos no andamento das aulas fazendo questionamentos e discussões relevantes sobre o tema em questão. Além disso, a visualização das imagens por meio dos slides facilitou muito na compreensão de termos relacionados sobre Pteridófitas. Com relação às aulas práticas, os alunos demonstraram maior interesse, uma vez que os mesmos tiveram contato com alguns materiais disponibilizados no laboratório da própria escola como lupa, placas de Petri, pinças e espátulas. Inicialmente, cada aluno visualizou, desenhou e pintou amostras vista a olho nu e posteriormente na lupa, questionaram bastante e foram detalhistas nos desenhos que fizeram, possibilitando um maior rendimento do ensino-aprendizagem por meio da visualização do ensino lúdico. No tocante à complexidade dos conteúdos, os alunos comentaram que o mesmo é repleto de termos de difícil assimilação e a linguagem utilizada principalmente no que se refere à nomenclatura botânica, é em latim ou latinizada. Este fato acaba prejudicando o acesso a estes conteúdos por parte dos alunos. Conclui-se que o trabalho desenvolvido na escola foi bastante proveitoso, onde os alunos puderam tirar dúvidas, argumentar e compreender o ensino de Pteridófitas, uma vez que este conteúdo estava sendo abordado durante as aulas de Ciências.

Biografia do Autor

Felipe Sant'Anna Cavalcante, Faculdade São Lucas

Estudante do 7º período do curso de Ciências Biológicas.

Deizieny Aires Silva, Faculdade São Lucas.

Estudante do 7º período do curso de Ciências Biológicas.

Juciele Firmino Freitas, Faculdade São Lucas.

Estudante do 7º período do curso de Ciências Biológicas.

Renato Abreu Lima, Doutorando em Biodiversidade e Biotecnologia pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Pertencente ao Laboratório de Pesquisa em Química de Produtos Naturais.

Biólogo, Pós-Graduado em Gestão Ambiental, Mestre em Meio Ambiente e Doutorando em Biodiversidade e Biotecnologia pela UFAM.

Referências

SILVA, P. G. P. O ensino da Botânica no nível fundamental: um enfoque nos procedimentos metodológicos. 146 f. Dissertação (Programa de pós-graduação em educação para a ciência), Universidade Estadual Paulista, Bauru. 2008.

SILVA, L. M.; CAVALLET, V. J.; ALQUIMI, Y. Contribuição à reflexão sobre a concepção de natureza no ensino de Botânica. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v.86, n.213/214, p.110-120. 2005.

SOUZA, S. C.; ALMEIDA, M. J. P. M. A fotossíntese no Ensino Fundamental: compreendendo as interpretações dos alunos. Ciência & Educação, v.8, n.1, p.97-111. 2002.

NOGUEIRA, A. C. O. Cartilha em quadrinhos: um recurso dinâmico para se ensinar botânica. In: Encontro Perspectivas do Ensino de Biologia, n.6, São Paulo, p.248-249. 1997.

SANTOS, F. S. A Botânica no Ensino Médio: será que é preciso apenas memorizar nomes de plantas? p.223-243. In: SILVA, C. C. (Org.). Estudos de história e filosofia das ciências: subsídios para aplicação no ensino. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2006.

SILVA, P. G. P. O ensino da Botânica no nível fundamental: um enfoque nos procedimentos metodológicos. 146 f. Dissertação (Programa de pós-graduação em educação para a ciência), Universidade Estadual Paulista, Bauru. 2008.

KINOSHITA, L. S.; TORRES, R. B.; TAMASHIRO, J. Y.; FORNI-MARTINS, E. R. A botânica no ensino básico: relatos de um experiências transformadora. São Carlos: Rima. 2006.

RAVEN, P. H.; EVERT, R. F.; EICHHORN, S. E. Biologia Vegetal. 7. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2007.

SILVA, R. M.; TRIVELATO, S. L. F. Os livros didáticos de biologia do século XX. In: Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, n.2, Valinhos, 1999.

SILVA, L. M.; CAVALLET, V. J.; ALQUIMI, Y. Contribuição à reflexão sobre a concepção de natureza no ensino de Botânica. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v.86, n.213/214, p.110-120. 2005.

SENICIATO, T; CAVASSAN, O. Aulas e campo em ambientes naturais e aprendizagem em ciências – um estudo com alunos do ensino fundamental. Revista Ciência & Educação, v.10, n.1, p.133-147, 2004.

BIZZO, N. Ciências: fácil ou difícil? 2 ed. São Paulo: Ática, 2000.143p.

Downloads

Publicado

2016-12-21

Como Citar

Cavalcante, F. S., Silva, D. A., Freitas, J. F., & Lima, R. A. (2016). O ENSINO-APRENDIZAGEM DE PTERIDÓFITAS POR MEIO DA AULA PRÁTICA EM UMA ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE PORTO VELHO-RO. South American Journal of Basic Education, Technical and Technological , 3(2). Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/SAJEBTT/article/view/566

Edição

Seção

Artigos Originais Ciências Biológicas

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

> >>