A GEOGRAFIA E A CRISE PARADIGMÁTICA: APONTAMENTOS E CONTRIBUIÇÕES

Autores

  • Francisca da Silva Reis Mestrandas da Universidade Federal do Acre, Programa de Pós-graduação em Geografia, Rio Branco, Acre, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-8627-6045
  • Juliana Santos de Souza Cunha 1Mestrandas da Universidade Federal do Acre, Programa de Pós-graduação em Geografia, Rio Branco, Acre, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-6980-3114
  • RAVELA DE SOUZA MARINHO 1Mestrandas da Universidade Federal do Acre, Programa de Pós-graduação em Geografia, Rio Branco, Acre, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-1616-884X

DOI:

https://doi.org/10.47418/uaquiri.vol3.n2.2021.5634

Palavras-chave:

Crise paradigmática; Geografia; Ciência geográfica

Resumo

O presente artigo busca evidenciar alguns motivos sobre a crise paradigmática da Geografia, e explicar as causas e seus principais problemas para a ciência geográfica, essa reflexão é baseada em alguns autores que fazem uma discussão sobre o assunto. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica de caráter descritivo analítico tendo em vista a fundamentação teórica e metodológica para aquisição de informações e interpretações do tema.

Biografia do Autor

RAVELA DE SOUZA MARINHO, 1Mestrandas da Universidade Federal do Acre, Programa de Pós-graduação em Geografia, Rio Branco, Acre, Brasil.

Geografia Licenciatura

Referências

ANDRADE, Manuel Correia. Geografia Ciências da Sociedade. São Paulo: Atlas, 1987.

BERNARDES, Nilo. O pensamento geográfico tradicional. Revista brasileira de geografia. Rio de Janeiro: IBGE - Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. n. 44(3), p.391-413, 1982.

CAMARGO, José Carlos Godoy; REIS JÚNIOR, Dante Flávio da Costa. A filosofia (neo) positivista e a Geografia Quantitativa. In: VITTE, Antonio Carlos (org.) Contribuições à História e à Epistemologia da Geografia. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2007.

CIRQUEIRA, José Vandério. Élisée Reclus e a excentricidade de sua geografia anarquista. Terra Brasilis (Nova Série) 7 2016. Disponível em: <https://journals.openedition.org/terrabrasilis/1787>. Acesso em 03 fev. 2020.

COSTA, Fábio Rodrigues da; ROCHA, Márcio Mendes. Geografia: Conceitos e Paradigmas - Apontamentos Preliminares. Rev. GEOMAE. Campo Mourão, PR v.1n. 2 p.25 - 56 2ºSem 2010 ISSN 2178-3306.

GEIGER, Pedro P. Industrialização e urbanização no Brasil. Conhecimento e atuação da Geografia. Revista Brasileira de Geografia. Rio de Janeiro, nº 50, 1.2, p. 59-84. 1988.

GONÇALVES, Carlos Walter Porto. A geografia está em crise viva à geografia. Boletim Paulista de Geografia, Fortaleza, n. 55, pág. 5-29, nov., 1978. Disponível em: < file:///E:/artigo%20silvio/a%20geografia%20esta%20em%20crise%20viva%20a%20geografiapdf >. Acesso em 03 fev. 2020.

OLIVEIRA, Ariovaldo. U. de, et al. Para onde vai o ensino de geografia. 1989.

Disponível em: < http://geografiaacademicadownload.blogspot.com/2014/01/livros-academicos-por-autor.html >. Acesso em 03 fev. 2020.

PÁDUA, Letícia Carolina Teixeira, CAMPOS, Ellen Del Biondo. A evolução do Pensamento Geográfico nos livros didáticos. 2009

ROCHA, Genylton Odilon Rego da. A trajetória da disciplina Geografia no currículo escolar brasileiro (1839 – 1942). Dissertação (Mestrado em Educação) - FE – PUC. São Paulo: PUC, 1996.

SANTOS, Milton. Por uma Geografia Nova: Da Crítica da Geografia a uma Geografia Crítica. 4 ed. São Paulo: Hucitec, 1996.

SPOSITO, Eliseu Savério. Geografia e Filosofia: contribuições para o ensino do pensamento geográfico. São Paulo: UNESP, 2004.

Downloads

Publicado

2021-12-22

Como Citar

Silva Reis, F. da ., Souza Cunha, J. S. de ., & MARINHO, R. D. S. (2021). A GEOGRAFIA E A CRISE PARADIGMÁTICA: APONTAMENTOS E CONTRIBUIÇÕES. UÁQUIRI - Revista Do Programa De Pós Graduação Em Geografia Da Universidade Federal Do Acre, 3(2). https://doi.org/10.47418/uaquiri.vol3.n2.2021.5634