REVISÃO BIBLIOGRÁFICA DA FAMÍLIA MALVACEAE, COM ÊNFASE NAS ESPÉCIES Theobrama cacao L. e Theobrama grandiflorum (Willdex Spreng.) Schum

  • Carolyne Cristina da Silva Gomes Discente do Curso de Licenciatura em Ciências: Biologia e Química, Instituto de Educação Agricultura e Ambiente (IEAA), Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Rua Circular, 69800-000, Humaitá, AM, Brasil;
  • Renato Abreu Lima Doutorando em Biodiversidade e Biotecnologia pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Pertencente ao Laboratório de Pesquisa em Química de Produtos Naturais.

Resumo

O Brasil é considerado atualmente como o país que obtém a maior biodiversidade tanto na fauna como na flora, e nessa ampla diversidade destaca-se a família Malvaceaee, que é representada por 243 gêneros e 4.300 espécies. Entretanto, dentro desta família se sobressai pelo valor econômico o gênero Theobrama, especificamente duas espécies Theobrama cacao L.e Theobrama grandiflorum (Willdex Spreng.) Schum. O Theobrama cacao L., pode favorecer a saúde cardiovascular por meio do aumento dos níveis de óxido nítrico (NO), como atividade antioxidante na prevenção de reações oxidativas e de formação de radicais livres, devido à presença de polifenóis. Por outro lado o Theobrama grandiflorum (Willdex Spreng.) Schum., se destaca por suas qualidades nutricionais, mas mesmo assim ainda apresenta efeitos medicinais  devido a versatilidade do cupuaçu na atuação contra o avanço da carie dental vinda diretamente do extrato de suas sementes, por possuir compostos antioxidantes com propriedades restritivas. Este trabalho vem com objetivo expor a história das espécies e os valores que estas possuem atualmente no meio econômico, culinária, nutricional e até mesmo medicinal. Desta forma, foi selecionado referências dos últimos vinte anos, com ênfase nos dez primeiros anos, usando as plataformas google, google acadêmico e Scielo para a seleção das bibliografias.

Biografia do Autor

Carolyne Cristina da Silva Gomes, Discente do Curso de Licenciatura em Ciências: Biologia e Química, Instituto de Educação Agricultura e Ambiente (IEAA), Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Rua Circular, 69800-000, Humaitá, AM, Brasil;
Discente do Curso de Licenciatura em Ciências: Biologia e Química, Instituto de Educação Agricultura e Ambiente (IEAA), Universidade Federal do Amazonas (UFAM), Rua Circular, 69800-000, Humaitá, AM, Brasil;
Renato Abreu Lima, Doutorando em Biodiversidade e Biotecnologia pela Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Pertencente ao Laboratório de Pesquisa em Química de Produtos Naturais.
Biólogo, Pós-Graduado em Gestão Ambiental, Mestre em Meio Ambiente e Doutorando em Biodiversidade e Biotecnologia pela UFAM.

Referências

SALATI, E.; SANTOS, A.A.; LOVEJOY, T.E.; KLABIN, I. Por que salvar a floresta Amazônica?. Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Manaus, 114p. 1998.

Ministério da Educação. Cupuaçu: cupuaçu. Secretaria de educação profissional e tecnológica. Brasília, p. 1-29, novembro, 2007.

FORZZA, R.C. (org). INSTITUTO DE PESQUISA JARDIM BOTÂNICO DO RIO DE JANEIRO. Catálogo de plantas e fungos do Brasil [oline]. Rio de Janeiro: Andrea Jakobsson Estúdio: Instituto de Pesquisa Jardim Botânico do Rio de Janeiro. Introdução: As angiospermas do Brasil, p. 78-89, v.1, 2010.

FERNANDES-JUNIOR, A.J.; KONNO, T.U.P. Malvaceaee do parque estadual do ipitipoca, Estado de Minas Gerais, Brasil. Hoehnea, p. 505-523, 2017.

BOVINI, M.G.; CARVALHO-OKANO, R.M.; VIEIRA, M.F. Malvaceae A. Juss. no Parque Estadual do Rio Doce, Minas Gerais, Brasil. Viçosa. p. 17-41. 2001.

GRINGS, Martin. 20011. O gênero Pavonia cav.(Malvaceaee) no Rio Grande do Sul, Brasil. Dissertação de Pós-Graduação em Botânica. Porto Alegre, p. 1-153.

ALVERSON, W.S.; WHITLOCK, B.A.; NYFFELER, R.; BAYER, C.; BAUM, D.A.; Phylogeny of core Malvales: Evidence from ndhF sequence data. American J. Bot.86.1474-1486, 1999.

NETO, G.G.; SILVA, F.H.B. Plantas da Amazônia mato-grossense: o cacauí – theobroma SPECIOSUM willd. EX spreng (Malvaceaee). Flovet, n. 3, dezembro, p. 1-8, 2011.

ALVES, R. M.; GARCIA, A. A. F.; CRUZ, E. D.; FIGUEIRA, A. Seleção de descritores botânico-agronômicos para caracterização de germoplasma de cupuaçuzeiro. Pesq. agropec. bras., Brasília, v. 38, n. 7, p. 807-818, jul. 2003.

SODRÉ, G. A. A espécie theobrama cacao: novas perspectivas para a multiplicação de cacaueiro. 2007.

PIASENTIN, F.B.; SAITO, C.H. Os diferentes métodos de cultivo de cacau no sudeste da Bahia, Brasil: aspectos históricos e percepções. Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Cienc. Hum., Belém, v. 9, n. 1, p. 61-78, jan.-abr. 2014.

CARVALHO, A.V.; GARCIA, N.H.P.; FARFÁN, J.A. Proteínas das sementes de cupuaçu e alterações devidas à fermentação e à torração. Ciência Tecnologia e Alimento. Campinas, p. 986-993, outubro-novembro. 2008.

CABALLERO, J. La Etnobotânica. In: BARRERA, A. (Ed.) La Etnobotânica: três puntos de vista y uma perspectiva. Xalapa: INIREB, 1979. p. 27-30.

DAVID, M.; PASA, M.C. Saccharum officinarum L. E A etnobotânica: da reprodutora ao cacaueiro cuiabano. Biodiversidade, v.16. n°2, Mato Grosso, p. 1-9, 2017.

CUENCA, M.A.G.; NASÁRIO, C.C. Importância economia e evolução da cultura do cacau no Brasil e na região dos tabuleiros costeiros da Bahia entre 1990 e 2002. Embrapa. Aracaju, Sergipe. Dezembro, p. 1-7. 2004.

ALMEIDA, C.M.V.; FACUNDO, V.A.; BRAZIL, H.O.B.; DIAS, L.A.S.; MEDEIROS, J.R.P.; COSTA, J.L.A. Diversity of cacao of at in germplasm from Rodônia, Brazil. Crop breeding and Aplieed Biotecnology, v.8, p. 141-148. 2008.

IBGE, 2004. MAPA DE VEGETAÇÃO DO BRASIL E MAPAS DO BIOMA DO BRASIL DO BRASIL. Disponivél em <http://www.ibge.cov.br.

TTI, R.; FURLAN NETTO, S.; PINZAUTI, S.; CAVRINI, V. Analysis of catechins in Theobroma cacao beans bycyclodextrin-modified micellareletrokinetic chromatography. Journal of Chromatography A, New York, v. 1112, p. 345-352. 2003.

BEKELE, F. L.; BEKELE, I. A sampling of the phonetic diversity of cacao in the International Cocoa Gene Bank of Trinidad. Crop Science, Madison, v. 36, p. 57-64, 1996.

SAID, M. M. Aspectos culturais e potenciais de uso do cupuaçu no estado do Amazonas. Dissertação de mestrado Programa de pós graduação em Ciências do ambiente e sustentabilidadena Amazônia – PPG/CASAUfam- Manaus 2011.

GONÇALVES, K.G.; PASA, M.C. A etnobotânica e as plantas medicinais na Comunidade Sucuri, Cuiabá, MT, Brasil. Campo Grande, v. 16, n. 2, , jul./dez, p. 245-256. 2015.

TUXILL, J.; NABHAN, G.P. Plantas, comunidades y áreas protegidas: una guía para El manejo in situ. Pueblos y plantas. Manual de conservacion. Montevidéu: Editora Nordan Comunidad., 2001.

ROCHA, J.A.; BOSCOLO, O.H.; FERNANDES, L.R.R.M.V. Etnobotânica: um instrumento para valorização e identificação de potenciais de proteção do conhecimento tradicional. INTERAÇÕES, Campo Grande, v. 16, n. 1, p. 67-74, jan./jun. 2015.

VÁSQUES, S. P. F.; MENDONÇA, M. S.; NODA, S. N. Etnobotânica de plantas medicinais em comunidades ribeirinhas do Município de Manacapuru, Amazonas, Brasil. Acta Amazônia, v. 44, n° 4, p. 457-472, 2014.

CUENCA, M.A.G.; NASÁRIO, C.C. Importância economia e evolução da cultura do cacau no Brasil e na região dos tabuleiros costeiros da Bahia entre 1990 e 2002. Embrapa. Aracaju, Sergipe. Dezembro, p. 1-7. 2004.

SCHROETER, H.; HEISS, C.; BALZER, J. (-)-Epicatechin mediates beneficial effects of flavanol-rich cocoa on vascular function in humans. Proceedings of the National Academy of Sciences (U.S.A), v. 103, p. 1024-1029. 2006.

KWIK-URIBE, C. Potential Health Benefits of Cocoa Flavanols. The Manufacturing Confectioner, Princeton, v. 85, n. 10, p. 43-49. 2005.

FALLER, A, L. K. FIALHO, E. Disponibilidade de polifenóis em frutas e hortaliças consumidas no Brasil. Ver. Saúde Publica, 43 (2): 211, 2008.

GOTTI, R.; FURLANETTO, S.; PINZAUTI, S.; CAVRINI, V. Analysis of catechins in Theobroma cacao beans by cyclodextrinmodified micellareletrokinetic chromatography. Journal of Chromatography A, New York, v. 1112, p. 345-352, 2006.

LOPES, A.S.; PEZOA-GARCIA, N.H.; AMAYRA-FARFÁN, J. Qualidade nutricional das proteínas de cupuaçu e de cacau. Ciência tecnologia e alimentos. Campinas, Abri-Jun, p. 263-268. 2008.

ALFAIA, S.S.; AYRES, M.I.C. Efeitos de doses de nitrogênio, fosforo e potássio em duas cultivares de cupuaçu, com e sem sementes na região do Amazonas central. Rev. Bras. Frutic., Jabotical – SP, v. 26, n. 2, p.320-325. 2004.

LOPÉZ, P.A.B. Avaliação da cadeia produtiva do cupuaçu (Theobrama grandiflorum (Willd. Ex Spreng.) Schum) nos municípios de Itacoatiara, presidente figueredo e Manaus. Manaus-AM. P. 1-100. 2015.

BRAZ. J. Polifenóis em cacau e derivados: teores, fatores de variação e efeitos na saúde. Food Technol., Campinas, v. 14, n. 3, p. 181-201, jul./set. 2011.

ESTEVES, G.L.; KRAPOVICKAS, A. Flora de grão-mogol, minas gerais: Malvaceaee. Bol. Bot. Univ. São Paulo 27(1): 63-71. 2009.

TAKEUCHI, C.; ESTEVES, G.L. São taxonômicas de Gaya Kunth (Malvoideae, Malvaceaee) no Brasil. Hoehnea, 44-69, 2017.

Publicado
2020-01-09
Como Citar
Gomes, C. C. da S., & Lima, R. A. (2020). REVISÃO BIBLIOGRÁFICA DA FAMÍLIA MALVACEAE, COM ÊNFASE NAS ESPÉCIES Theobrama cacao L. e Theobrama grandiflorum (Willdex Spreng.) Schum. South American Journal of Basic Education, Technical and Technological , 6(2), 218-228. Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/SAJEBTT/article/view/2633
Seção
Artigos Originais Ciências Biológicas