ESCRITAS, DESDOBRAMENTOS, DEVORAÇÕES:

UM DEVIR SEM FIM

Palavras-chave: Literatura do século XXI, Estudos literários, Literatura e outras linguagens

Resumo

Texto de abertura para o dossiê temático “Desdobramentos: paisagens literárias no século XXI”

Biografia do Autor

Tânia Regina Oliveira Ramos, Universidade Federal de Santa Catarina

Professora titular da Universidade Federal de Santa Catarina, atua na área de Literatura Brasileira e Estudos Literários e é uma das editoras da Revista Estudos Feministas e uma das organizadoras do Seminário Internacional Fazendo Gênero. Organizou na área de gênero os livros Falas de Gênero e Leituras em Rede, publicados pela Editora Mulheres e uma das organizadoras de Mídia, Misoginia e Golpe, publicado pela Faculdade de Comunicação da UnB e Problemas de Gênero publicado pela FUNARTE. Coordena o nuLIME - núcleo Literatura e Memória na |UFSC CCE e os projetos www.portalcatarina.ufsc com acervos digitais de escritores catarinenses junto ao NUPILL e o projeto A Mala de Jorge Amado, organização de aproximadamento 1.500 páginas de documentos dos anos 1941-1942. Pesquisa e publica nas áreas de gênero e subjetividades, história e memória literária.

Jair Zandoná, Universidade Federal de Santa Catarina

Doutor e mestre em Literatura pela Universidade Federal de Santa Catarina. Graduado em Letras Português Habilitação em Língua Espanhola e Respectivas Literaturas pela Universidade do Oeste de Santa Catarina (2003). É um dos editores da Revista Anuário de Literatura (PPGL/UFSC), editor de resenhas da Revista Estudos Feministas (REF), integra o quadro de pesquisadores/as associados/as do Instituto de Estudos de Gênero (IEG/UFSC) e do Núcleo de Literatura Atual - Estudos Feministas e Pós-Coloniais de Narrativas da Contemporaneidade (LITERATUAL/UFSC). Atualmente, realiza estágio de pós-doutorado no Programa de Pós-Graduação em Linguística daa UFSC (PNPD/CAPES).

Referências

BRAS, Luiz. Crítica é cara ou coroa?. In: BRAS, Luiz. Muitas peles. São Paulo: Terracota, 2011, p. 122-126.

CAMPOS, Maria Consuelo Cunha. Gênero. In: JOBIM, José Luís (org.). Palavras da Crítica. Rio de Janeiro: Imago, 1992. p. 111-126.

COSTA, Maria João. Lídia Jorge sobre a pandemia: “Estamos espantados e não sabemos se esta lição vai servir para alguma coisa”. Entrevista. Renascença. 19 jun. 2020 às 13:04. Disponível em: https://rr.sapo.pt/especial/197090/lidia-jorge-sobre-a-pandemia-estamos-espantados-e-nao-sabemos-se-esta-licao-vai-servir-para-alguma-coisa?fbclid=IwAR1zCjPiHvIjfdE9sSN4ksYA03Nkycva-kCM2ULVLd4ol3ZHyBeb-wic53Q. Acesso em: 16 jul. 2020.

COUTO, Mia. A imortal quarentena. Mapeador de Ilhas. Visão. 22 abr. 2020 às 08h20. Disponível em: https://visao.sapo.pt/opiniao/a/mapeador-de-ilhas/2020-05-22-a-imortal-quarentena/. Acesso em: 16 jul. 2020.

COELHO, Thalita. Terra molhada. São Paulo: Patuá, 2018.

DANIEL, Herbert. “O primeiro AZT a gente nunca esquece”. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 30 set. 1990.

FOUCAULT, Michel. Nietzsche, a genealogia e a história. In: FOUCAULT, Michel. Microfísica do poder. 14. ed. Trad. de Roberto Machado. Rio de Janeiro: Edições Graal, 2009 [1971]. p. 15-37.

GABRIEL, Ruan de Sousa. Romances sobre a ditadura militar e a Guerra do Paraguai vencem Prêmio São Paulo de Literatura. O Globo, 09/12/2020 às 6h. Disponível em: https://oglobo.globo.com/cultura/romances-sobre-ditadura-militar-a-guerra-do-paraguai-vencem-premio-sao-paulo-de-literatura-24787953?fbclid=IwAR1qFdgEQcB0YcypXmBvg13OLMXiBCo-MyjHEEZByBjAv2TOKwSemy1fTGk. Acesso em: 09 dez. 2020.

KILOMBA, Grada. Memórias da plantação: episódios de racismo cotidiano. Trad. de Jess Oliveira. Rio de Janeiro: Cobogó, 2019.

MARKENDORF; Marcio; ZANDONÁ, Jair. Duas margens esquerdas de um mesmo rio: uma leitura da poética marginal em Nossos ossos, de Marcelino Freire. Cadernos de Estudos Culturais. v. 8, n. 16, p. 191-208, 2016. Disponível em: https://periodicos.ufms.br/index.php/cadec/article/view/4241. Acesso em: 05 dez. 2020.

MÜLLER CAMOZZATO, Nathália. Vozes dissonantes, gênero e heterotopia. Porto das Letras, v. 6, n. 1, p. 250-275, 17 abr. 2020. Disponível em: https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/portodasletras/article/view/8111. Acesso em: 31 jul. 2020.

RESENDE, Beatriz. Poéticas do contemporâneo. Rio de Janeiro: E-galácia, 2017. E-book.

RODOVALHO, Amara Moira. O cis pelo trans. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 25, n. 1, p. 365-373, 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2017000100365&lng=en&nrm=iso&tlng=pt. Acesso em: 02 nov. 2020.

SOUZA, Pedro de; ZOPPI-FONTANA, Mónica. Entre a tecnologia e o político: modos de subjetivação no governo em tempos de coronavírus. Linguística Live, @linguisticaufsc. 29 maio 2020. Disponível em: https://www.instagram.com/tv/CAxT0bnjZmN/, https://www.instagram.com/tv/CAxTIcHDI31/, https://www.instagram.com/tv/CAxQTunD78B/. Acesso em: 25 out. 2020.

Publicado
2020-12-15
Como Citar
RAMOS, T. R. O.; ZANDONÁ, J. ESCRITAS, DESDOBRAMENTOS, DEVORAÇÕES:: UM DEVIR SEM FIM. Communitas, v. 4, n. 8, p. 2-8, 15 dez. 2020.
Seção
Apresentação do Dossiê Temático