“BECO DO MIJO”

DO CONTO AO DRAMA – ALGUNS DIÁLOGOS

  • Juliana Feitosa Albuquerque Universidade Federal do Acre
Palavras-chave: Beco do Mijo. Drama. Literatura. Linguagem. Amazônia Acreana

Resumo

Com o presente artigo, procura-se analisar algumas dimensões do processo de o processo de “adaptação” do conto “Beco-do-mijo”, da escritora acreana Florentina Esteves, em drama com o mesmo título, produzido pelo Grupo Beco. O foco central é descrever e abrir um diálogo em torno dos textos moldados durante o processo de criação dos personagens, constituída pelos textos/cenas produzidos durante Processo esse que envolveu leitura, tradução, criação, recriação, transcriação do texto literário em drama. Os exercícios de leituras e de contatos com os teóricos e os críticos contribuíram para pensar o objeto da pesquisa e foram de fundamental importância para definir seus resultados. A ênfase recai sobre a produção das personagens e dos seus corpos, assim como os espaços e tempos das cenas e seus textos/atos em diferentes etapas.

Referências

ALBUQUERQUE, G. R.; SARRAF PACHECO, A. (Orgs.). Uwa’kürü – Dicionário Analítico. Rio Branco (AC): Nepan Editora, 2016.

ARENDT, H. A vida do espírito: o pensar, o querer, o julgar. Tradução de Cesar Augusto R. Almeida. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2008.

ARGAN. G. C. História da arte, como história da cidade. Tradução: Pier Luigi Cabra. São Paulo: Martins Fontes, 1993.

BAKHTIN, M.; VOLOCHINOV, V. N. Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Tradução de Michel Lahud e Iara Frateschi Vieira. 16. ed., São Paulo: Hucitec, 2014.

BENJAMIN, W. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. Tradução: Sérgio Paulo Rouanet. 5. Ed., São Paulo: Brasiliense, 1993.

BORNHEIM, G. Brecht: a estética do teatro. Rio de Janeiro: Graal 1992.

CERTEAU, M. A escrita da história. Tradução de Maria de Lourdes Menezes. 3. Ed., Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2011.

DAVIS, N. Z. Culturas do povo: sociedade e cultura no início da França moderna. Tradução de Mariza Corrêa. 2. Ed., Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2001.

ESTEVES, F. Enredos da memória. 2. Ed., Rio Branco (AC): Fundação Elias Mansour, 2002.

HALL. S. Da diáspora: identidades e mediações culturais. Tradução de Adelaine La Guardia Resende e outros. Belo Horizonte: Editora da UFMG; Brasília: Unesco do Brasil , 2003.

HERRERA, L. A. L. La poética. Una proposición desde la literatura americana. In: ALBUQUERQUE, G. R.; ANTONACCI, M. A. (Orgs.). Desde as Amazônias – Colóquios 2. Rio Branco (AC): Nepan Editora, 2014, pp. 251-270.

MÈLICH, J. C. A palavra múltipla: por uma educação (pó)ética. In LARROSA, J.; SKLIAR, C. (Orgs.). Habitantes de Babel: políticas e poéticas da diferença. Tradução de Semíramis Gorini da Veiga. Belo Horizonte (MG): Autêntica, 2001, pp. 269-280.

NOVAES, A. O homem-máquina: a ciência manipula o corpo. São Paulo: Cia das Letras, 2003.

OLIVEIRA, V. N. de. Filtros e margens do corpo: trajetórias de alunos do Curso de Artes Cênicas – Teatro, na Amazônia acreana. Rio Branco (AC): PPGLI/UFAC, 2014. Dissertação de mestrado.

PORTELLI, A. A filosofia e os fatos: narração, interpretação e significado nas memórias e nas fontes orais. Tradução de Ingeborg K. de Mendonça e Carlos Espejo Muriel. In: Tempo. Rio de Janeiro, v.1, n.2, 1996, pp. 59-72 [1-9]. Disponível em https://goo.gl/ Q4tOl0.

PORTELLI, A. Ensaios de história oral. Tradução de Fernando Luiz Cássio e Ricardo Santhiago. São Paulo: Letras e Voz, 2010.

RANCIÈRE, J. O espectador emancipado. Tradução de Ivone C. Benedetti. São Paulo: Editora Martins Fontes, 2012.

SANT’ANNA, D. B. (Org.). Políticas do corpo. São Paulo: Estação Liberdade, 1995.

STANISLAVSKI, C. A construção da personagem. Tradução de Pontes de Paula Lima. 24.ed., Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2014.

VOLOCHÍNOV, V. (Círculo de Bakhtin). Marxismo e filosofia da linguagem: problemas fundamentais do método sociológico na ciência da linguagem. Tradução de Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo. São Paulo: Editora 34, 2017.

WILLIAMS, R. Drama em cena. Tradução de Rogério Bettoni. São Paulo: Cosac Naify, 2010.

WILLIAMS, R. Marxismo e literatura. Tradução de Waltensir Dutra. Rio de Janeiro: Zahar editores, 1979.

Publicado
2017-12-31
Como Citar
Albuquerque, J. F. (2017). “BECO DO MIJO”: DO CONTO AO DRAMA – ALGUNS DIÁLOGOS. Muiraquitã: Revista De Letras E Humanidades, 5(2). https://doi.org/10.29327/216344.5.2-10
Seção
OUTROS ARTIGOS