PROPOSTA METODOLÓGICA PARA COLETA E MONITORAMENTO DE SEDIMENTOS DE FUNDO EM CORPOS HÍDRICOS LÊNTICOS

Palavras-chave: Decantação; Sedimentologia; Transporte de sedimento.

Resumo

O transporte e sedimentação de material particulado em suspensão nos corpos hídricos dependem da origem do material (rocha, solo, matéria orgânica, etc.), da cobertura vegetal, declividade do escoamento e do regime de chuvas. Além disso, a dinâmica dessa partícula sofre influência da dinâmica do fluido (água), que as mantém em suspensão, transportando-as na direção do fluxo de escoamento. Para iniciar o entendimento dessa dinâmica, o presente trabalho apresenta um modelo de aparato, voltado à coleta de material decantado em ambiente lêntico (açude). Esse primeiro modelo, foi construído com material reciclado, tendo como base principal, um balde de 18L de gordura vegetal. Dessa forma, as medidas dos baldes foram ajustas para altura de 13 cm e a estrutura lateral foi reforçada. As coletas foram realizados em 2 açudes da Universidade Federal do Acre (UFAC) e o tempo de amostragem de material decantado foi de 48h, 120h e 196h, obtendo-se os seguintes resultados:  (i) Inicialmente o aparato apresentou bons resultados, mostrando uma tendência no acúmulo de sedimentos ao longo do tempo; (ii) recomenda-se novas repetições ao longo do ano hidrológico para identificação da influência da precipitação na decantação dos sedimentos; (iii) Equipamento simples e pouco oneroso, pode gerar informações importantes para determinar o comportamento dos sedimentos em ambiente fluvial.

Referências

ALMEIDA FILHO, G. S. de. Processos erosivos urbanos. In: Ambiente e Sedimentos. POLETO, C. (Org.). Porto Alegre: ABRH, 2008, 404p.

Andrade, A. B. P. Modelo inteligente de avaliação de qualidade de água e da qualidade ambiental para um reservatório tropical oligo-mesotrófico. Orientador: Marley Bernadezz Rebuzzi Vellasco; Portificia Univerdidade Cátolica do Rio de Janeiro. 2013. 229f. Disponível em: https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/35322/35322_1.PDF. Acesso em: 28.05.19

Bellinaso, T. B.; Paiva, J. B. D. 2007. Avaliação da produção de sedimentos em eventos chuvosos em uma pequena bacia hidrográfica semi-urbana de encosta. Revista Brasileira de Recursos Hídricos, v.12, n. 13, p. 170-181. Disponível: https://abrh.s3.sa-east-1.amazonaws.com/Sumarios/17/2287db2c92588abbbd41c518025e3fec_29f18ccb876737648c767e44d37f6a7b.pdf. Acesso em: 10.06.19

CETESB. Amostragem do solo 6300. Projeto CETESB-GTZ, 1999. Disponível: http://www.cetesb.sp.gov.br/solo/areas_contaminadas/anexos/download/6300. Acesso em: 01.06.19.

CETESB. Guia nacional e preservação de amostras: água, sedimentos, comunidades aquáticas e fluentes líquidos / Companhia Ambiental do Estado de São Paulo; Organizadores; Carlos Jesus Brandão...[et. al.] São Paulo: Brasília: ANA, 2011. 327p.

FOSTER , G. R. Modeling the erosion process. In: HAAN, C. T. , JOHNSON, H. P. , BRAKENSIEK, D. L.Hydrologic Modeling of small watersheds. St. JOSEPH, ASAE. Chap. 1982. p. 297-380. Disponível: http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/0308-521X(84)90033-7

GÄTCHER, R., MEYER, J.S. The Role of Microorganisms in Mobilization of Phosphorus in Sediments. Hydrobiologia, v. 253, p. 103-121, 1993.

ROSSATO, M. S. & SILVA, D. L. M. A reconstrução da paisagem metropolitana de Porto Alegre: o tempo do homem e a degradação ambiental da cidade. In: VERDUM, R, BASSO, L.A., SUERTEGARAY, D.M.A. (Orgs.). Rio Grande do Sul: paisagens e territórios em transformação. Porto Alegre: Ed. da UFRGS, 2004.
Publicado
2020-12-29