Acolhimento e colaboração na Brincada dos gestores educacionais: uma análise multimodal

a multimodal analysis

Autores

  • Marli SILVA PUC-SP
  • Maria Cristina MEANEY Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, Brasil. Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem
  • Sandra Virgínia André BORGES Saint Mary's University, Halifax, Canadá

Palavras-chave:

Multimodalidade, Colaboração Crítica, Colaboração Confortável, Acolhimento

Resumo

Este artigo propõe analisar multimodalmente as trocas entre as gestoras de escolas de ensino da terceira edição da Brincada de Gestores e verificar se a interação promoveu acolhimento e colaboração entre as participantes. Os pressupostos teóricos consideram as perspectivas de multimodalidade por Kress (2005; 2010), Bezemer e Kress (2010) e Liberali (2012), de colaboração crítica por Magalhães (2012; 2014), de colaboração confortável por Fullan & Hargreaves (2000) e o acolhimento como um compromisso, escuta e corresponsabilização do coletivo na resolução de problemas. (SONNEBORN; WERBA, 2013). Os dados analisados foram produzidos nesse encontro, foi selecionado um trecho do vídeo que se pretendia engajar as participantes e que gerou interações intensas entre elas e maior alternância de turnos. A análise resultou em um quadro com categorias multimodais de análise e interpretação e apontou para modos mais ou menos acolhedores de construção da colaboração entre as participantes.

Palavras-chave: Multimodalidade; Colaboração Crítica; Colaboração Confortável; Acolhimento.

Biografia do Autor

Maria Cristina MEANEY, Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, Brasil. Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem

Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, Brasil. Programa de Pós-Graduação em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem

Sandra Virgínia André BORGES, Saint Mary's University, Halifax, Canadá

Saint Mary's University, Halifax, Canadá; Programa da Faculdade de Educação.

Referências

ADAMI, E.; KRESS, G. The social semiotics of convergent mobile devices: new forms of composition and the transformation of habitus. In: Multimodality a social semiotic approach to contemporary communication. New York: Routledge, 2010.

BEZEMER, Jeff; KRESS, Gunther. Changing Text: A Social Semiotic Analysis of Textbooks. Designs for learning, v. 3, 2010.

BEZEMER, Jeff; JEWITT, Carey. Multimodality: A guide for linguists. L. Litosseliti (ed), Research Methods in Linguistics (2nd), p.1-18, 2018.

DUNKER, C.; THEBAS, C. O palhaço e o psicanalista: como escutar os outros pode transformar vidas. São Paulo: Planeta do Brasil, 2019.

FULLAN, Micheal.; HEAGREAVES, Andy. A escola como organização aprendente: buscando uma educação de qualidade. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 2000.

_______. Por que é que vale a pena lutar? O trabalho de equipe na escola. Porto

Editora, 2001.

KRESS, Gunther. Gains and losses: New forms of texts, knowledge, and learning. Computers and composition, v. 22, n. 1, p. 5-22, 2005.

______________. Multimodality: A social semiotic approach to contemporary communication. Taylor & Francis, 2010.

LIBERALI, F. C. A argumentação multimodal na compreensão e na transformação de contextos escolares. Discurso e Argumentação: Fotografias Interdisciplinares, v.1, p. 173-196, 2018.

LIBERALI, Fernanda; FUGA, Valdite Pereira. Argumentação e formação/gestão de educadores no quadro da Teoria da Atividade Sócio-Histórico-Cultural. Revista Desenredo, v. 8, n. 2, 2012.

LIBERALI, F.C. ; MAGALHAES, M. C. C. ; MEANEY, M. C. ; DIEGUES, U. C. C. ; SOUSA, S. S. ; PARDIM, R. P. . Critically collaborating to create the viable unheard of: connecting Vygotsky and Freire to deal with a devastating reality. EUA: Springer, 2020 (Artigo/Capítulo Submetido - prelo).

MAGALHÃES, Maria Cecília Camargo. O método para Vygotsky: a zona proximal de desenvolvimento como zona de colaboração e criticidades criativas. In: SCHETTINI, R.H. et al. (org). Vygotsky: uma revista no início do século XXI. São Paulo: Andross, 2009.

MAGALHÃES, Maria Cecília Camargo. Pesquisa Crítica de Colaboração: Escolhas epistemo-metodológicas na organização e condução de pesquisas de intervenção no contexto escolar. In: MAGALHÃES, M. C. C.; FIDALGO, S. S. (Orgs.) Questões de Método e de Linguagem na Formação Docente. Campinas, SP:Mercado de Letras, 2011, p. 13-39. (Série Faces da Linguística Aplicada).

______________. Vygotsky e a pesquisa de intervenção no contexto escolar: A pesquisa crítica de colaboração–PCCOL. A teoria da atividade sócio-histórico-cultural e a escola: recriando realidades sociais. Campinas: Pontes, p. 13-26, 2012.

______________. Escolhas teórico-metodológicas em pesquisas com formação de professores: as relações colaborativo-críticas na constituição de educadores. Estudos críticos da linguagem e formação de professores/as de línguas: contribuições teórico-metodológicas. Campinas: Pontes, p. 17-48, 2014.

_____________. Formação contínua de professores: A organização cítico-colaborativa para transformação. LING. – Est. e Pesq., Catalão-GO, vol. 22, n. 2, p. 17-35, jul./dez. 2018

SAWAIA, B. B.; PEREIRA, A.; SANTOS, L. M. C. Psicologia e população em situação de rua: apontamentos sobre a produção científica no Brasil. In: Afeto & comum: reflexões sobre a práxis psicossocial , Bader B. Sawaia, Renan Albuquerque e Flávia R. Busarello, Alexa Cultural: São Paulo, 2018.

SONNEBORN, D.; WERBA G. Contribuição para uma teoria e técnica do acolhimento em saúde mental. Conversas Interdisciplinares: v. 8, n. 3 (2013). Disponível em http://www.periodicos.ulbra.br/index.php/ci/article/view/3953/pdf

Downloads

Publicado

2021-12-22