Evasão e retenção na perspectiva de alunos do curso de licenciatura em Química

  • Júlia Caroline Alves Ribeiro Universidade Federal do Acre
  • José Víctor Acioli da Rosa Universidade Federal do Acre
  • Gahelyka Aghta Pantano Souza Universidade Federal do Acre
  • Shirani Kaori Haraguchi Universidade Federal do Acre
  • Adriano Antonio Silva Universidade Federal do Acre

Resumo

A evasão e retenção têm sido um problema recorrente nas instituições de ensino superior no Brasil, causando problemas financeiros, sociais e culturais, deixando de contribuir para a sociedade com a formação de profissionais e cidadãos. A retenção consiste na permanência do estudante no curso de graduação após o período determinado para a conclusão deste, enquanto a evasão consiste no abandono definitivo do mesmo, causado vários fatores pessoais, institucionais e externos. Objetivou-se nesse trabalho levantar dados sobre quais fatores influenciam direta e indiretamente a permanência dos estudantes nas instituições de ensino, visando propor e/ou consolidar ações que sejam efetivas para a permanência destes na instituição até a conclusão do curso. Através da aplicação de um questionário foram abordados, o perfil socioeconômico, a relação desempenho-dificuldade nas disciplinas ofertadas e a opinião sobre as atividades efetivamente contribuintes para a sua formação e/ou permanência no curso. Mais de 80% dos estudantes afirmaram que sua família é sustentada com, no máximo, 3 salários mínimos. 44,5% dos estudantes apontaram a Matemática como a área de maior grau de dificuldade, e os projetos de pesquisas foram os mais citados como motivação à permanência na Universidade. Quando indagados sobre quais atividades ou ações os auxiliavam mais em sua formação acadêmica, o auxílio financeiro foi o fator preponderante. Com isso, foi possível montar um panorama sobre a situação referente à evasão e retenção dos estudantes no curso de Química da Universidade Federal do Acre, servindo como base para o direcionamento de ações mais efetivas para a diminuição destes índices

Referências

BRASIL. Diplomação, retenção e evasão nos cursos de graduação em instituições de ensino superior públicas. Relatório da Comissão Especial de Estudos sobre Evasão nas Universidades Públicas Brasileiras. Brasília: ANDIFES/ABRUEM/SESu/MEC, 1996. Disponível em: <http://www.andifes.org.br/wp-content/files_flutter/Diplomacao_Retencao_Evasao_Graduacao_em_IES_Publicas-1996.pdf>. Acesso em: 27 de jul. 2018.

COSTA, B. da S. O PIBID no contexto das políticas educacionais de formação docente – análise das licenciaturas plenas do CCET / UFMA. In: VII Jornada Internacional politicas públicas, São Luiz, 2017.

FEITOSA, J.M. Análise de evasão no ensino superior: uma proposta de diagnóstico para o campus de laranjeiras. (Dissertação) Mestrado profissional em administração pública. Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão, 2016.

GILIOLI, R. Evasão em instituições federais de ensino superior no Brasil. Disponível em: http://www2.camara.leg.br/a-camara/documentos-e-pesquisa/estudos-e-notas-tecnicas/areas-da-conle/tema11/2016_7371_evasao-em-instituicoes-de-ensino-superior_renato-gilioli>. Acesso em: 04 Fev 2018

GISI, M. L. A Educação Superior no Brasil e o caráter de desigualdade do acesso e da permanência. Diálogo Educacional, Curitiba, v.6, n. 17, p. 97-112, 2006.

MARTINS, H. H. T. S. Metodologia qualitativa de pesquisa. Educação e pesquisa, São Paulo, v. 30, n. 2, p. 289 – 300, 2004.

MASSOLA, W. de J; ALEVATO, N. S. G. Dificuldades de aprendizagem matemática de estudantes ingressantes na educação superior. Brasileira de Ensino Superior, v.02 (1), p. 64 – 74.

PALHARES, I. Só 2,4% dos jovens brasileiros querem ser professor. Disponível em: < https://educacao.estadao.com.br/noticias/geral,so-2-4-dos-jovens-brasileiros-querem-ser-professor,70002364548>. Acesso em 30 jul. 2018.

PEREIRA, A. S. et al. Fatores relevantes no processo de permanência prolongada de discentes nos cursos de graduação presencial: um estudo na Universidade Federal do Espírito Santo. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação. Rio de Janeiro, v. 23, n. 89, p. 1015-1039, 2015.

PEREIRA, J. E. D. A situação atual dos cursos de licenciatura no Brasil frente à hegemonia da educação mercantil e empresarial. Rev. Eletrônica de Educação, v. 9, n. 3, p. 273-280, 2015.

PINHO, M. J. de. Ciência e ensino: contribuições da iniciação científica na educação superior. Avaliação da educação superior, v.22, n.03, p. 658-675, 2017.

SANTOS, W. L. P. dos. et al. Formação de professores: uma proposta de pesquisa a partir da reflexão sobre a prática docente. Ensaio – pesquisa e educação em Ciências, v. 08, n.01, p. 69-82, 2006.

Sindicato das mantenedoras de ensino superior – SEMESP. Mapa do ensino superior no Brasil 2016. Disponível em: <http://convergenciacom.net/pdf/mapa_ensino_superior_2016.pdf>. Acesso em 30 jan. 2018.

TERENCE, A.C.F; FILHO, E.E. Abordagem quantitativa, qualitativa e a utilização da pesquisa-ação nos estudos organizacionais. In: XXVI Encontro Nacional de Engenharia de Produção, Fortaleza, 2006.

Publicado
2019-12-26
Como Citar
Ribeiro, J. C. A., Rosa, J. V. A. da, Souza, G. A. P., Haraguchi, S. K., & Silva, A. A. (2019). Evasão e retenção na perspectiva de alunos do curso de licenciatura em Química. South American Journal of Basic Education, Technical and Technological , 6(2), 609-618. Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/SAJEBTT/article/view/2684
Seção
Artigos Originais Ciências Humanas

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##