CONSTITUIÇÃO IDENTITÁRIA DE UM ALUNO TRANSGÊNERO ADOLESCENTE EM UM CURSO DE INGLÊS

Autores

  • GLAUCO AUGUSTO SOUZA PUC-SP

Palavras-chave:

Desenvolvimento de agência, Teoria da Atividade Sócio-Histórico Cultural (TASHC), Estudos transgêneros, Formação de professores.

Resumo

Este artigo discute a constituição identitária e desenvolvimento de agência com base no comportamento de um aluno transgênero de 14 anos em um curso de inglês. Primeiramente, discute-se o conceito de agência articulado com a Teoria da Atividade Sócio-Histórico Cultural (TASHC), a qual enfatiza que o aprendizado humano se dá na relação e na interação com o outro em contextos mediados pela linguagem, com base nos escritos de Vygotsky (1930), Leontiev (1977) e Engeström (2011). Em seguida, debatemos a importância da Teoria da Atividade proposta por Engeström (1987), a qual enfatiza a natureza colaborativa da atividade humana e sua relevância para compreender as mudanças organizacionais. A análise de dados centra-se em uma conversa reflexiva entre o aluno focal e o professor-pesquisador, que ocorreu após o final do semestre letivo, bem como nas relações estabelecidas nas aulas do curso ministrado.

Referências

BONNEAU, C. Contradictions and their concrete manifestations: an activity-theoretical analysis of the intra-organizational co-configuration of open source software. Full paper for the 29th EGOS Colloquium, July 4–6, 2013.

EDWARDS, A. Relational Agency in professional Practice: A CHAT Analysis. An International Journal of Human Activity Theory. No. 1, p.1-17, 2007.

ENGESTRÖM, Y. Activity theory and expansive design. Theories and practice of interaction design, p. 3-23, 2006.

ENGESTRÖM, Y.; & SANINO, A. Studies of expansive learning: Foundations, findings and future challenges. Educational Research Review (2010), doi 10.1016/j.edurev.2009.12.002

GIDDENS, A. Central problems in social theory: action, structure and contradiction. Berkeley: University of California Press, 1979.

IGNACIO, Alba Valeria Alves. Repensando sentidos e significados de gramática e de ensino-aprendizagem de gramática em um grupo de estudos na universidade. 2015. 209 f. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada) - PUC-SP.

LEONTIEV, A. N. Activity, consciousness, and personality. Englewood Cliffs, NJ: Prentice Hall, 1977.

NININ, M.O.G. Da Pergunta Como Ato Monológico Avaliativo à Pergunta Como Espaço Para Expansivo Dialógica. São Carlos: Pedro & João Editores, 2013.183p.

NININ, M.O.G.; MAGALHÃES, M.C. A Linguagem da Colaboração Crítica No Desenvolvimento da Agência de Professores de Ensino Médio Em Serviço. Alfa, São Paulo, v.61, n.3, p.625-652, 2017

STETSENKO, A. From relational ontology to transformative activist stance on development and learning: expanding Vygotsky´s (CHAT) project. Springer Science+Business Media B.V. 2008

VYGOTSKY, L.S. (1930) A Formação Social da Mente. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

Esta imagem foi produzida pelo ilustrador Flávio Wetten

Downloads

Publicado

2021-07-27

Edição

Seção

Artigos