TRADIÇÕES DISCURSIVAS E FRASEOLOGIA

MUDANÇA E PERMANÊNCIA DAS COLOCAÇÕES EM RECLAMES PUBLICITÁRIOS

Palavras-chave: Tradições Discursivas; Fraseologia; Colocações; Mudança Linguística.

Resumo

Este artigo objetiva fazer uma correlação entre as Tradições Discursivas e a Fraseologia, a partir da observação de colocações formadas pelo substantivo preço. Para tanto, compilamos um corpus de anúncios de revistas e jornais, publicados no final do século XIX e início do século XX. Procuraremos argumentar, contando, ainda, com o apoio de corpora de referência on-line, que as colocações são Tradições Discursivas, visto que são repetições linguísticas convencionais fixadas pelo uso comunitário. Ademais, elas são sócio-historicamente determinadas e evocadas em um contexto sociocomunicativo, estando sujeitas a mudanças e à permanência no tempo.

Biografia do Autor

Jean Michel Pimentel Rocha, UNESP

É graduado em Letras (Português/Inglês) pela Universidade Estadual Paulista - UNESP (2014), Mestre em Estudos Linguísticos pelo Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos da UNESP/IBILCE (2017). Atualmente é doutorando pela mesma instituição. Realizou, entre outubro de 2019 e março de 2020, estágio de doutorado sanduíche na University of East Anglia (Norwich, Reino Unido), no âmbito do programa Capes/PrInt. Desenvolve pesquisas na área de Linguística, com ênfase em Linguística Aplicada, em trabalhos que envolvem Linguística de Corpus, Fraseologia (fraseologismos metafóricos, colocações, colocações especializadas e estendidas) e Ensino de Inglês como LE. Em 2017, atuou, na UNESP/Ibilce, como docente de Fundamentos de Linguística (Estágio Supervisionado em Docência, no Departamento de Estudos Linguísticos e Literários - DELL), no curso de Licenciatura em Letras. 

Referências

ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Disponível em: http://www.arquivoestado.sp.gov.br/site/acervo/jornais_revistas. Acesso em abril de 2015.

BERBER SARDINHA, T. Linguística de corpus. Barueri: Manole, 2004.

CORPAS PASTOR, G. Manual de fraseología española. Madrid: Gredos, 1996.

COSERIU, E. Princípios de semântica estrutural. Madrid: Gredos, 1977.

COSERIU, E. Teoria da linguagem e linguística geral. Tradução de Agostinho Dias Carneiro. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1979.

DAVIES, M.; FERREIRA, M. Corpus do Português (genre/historical): 45 million words, 1300s-1900s. Disponível em: https://www.corpusdoportugues.org/web-dial/. Acesso em: 14 de agosto de 2020

DAVIES, M.; FERREIRA, M. Corpus do Português (web/dialect).Disponível em: https://www.corpusdoportugues.org/hist-gen/. Acesso em: 14 de agosto de 2020.

EVERT, S. The statistics of word cooccurrences: word pairs and collocations. 2005. 353 f. Tese (Doutorado) – Institut für maschinelle Sprachverarbeitung, University of Stuttgart, 2005.

FIRTH, J. R. Modes of meaning. In: FIRTH, J. R. (ed.). Papers in linguistics: 1934-1951. Oxford: Oxford University Press, 1957.

GRANGER, S.; PAQUOT, M. Disentangling the phraseological web. In: GRANGER, S.; PAQUOT, M.; MEUNIER, F. (ed.). Phraseology: an interdisciplinary perspective. Amsterdam: John Benjamins, 2008. p. 27 – 50.

GUEDES, M.; BERLINK, R. de A. (Org.). E os preços eram commodos... Anúncios de jornais brasileiros no século XIX. São Paulo: Humanitas, 2000.

HALLIDAY, M. A. K. Corpus studies and probabilistic grammar. In: AIJMER, K.; ALTENBERG, B. (ed.). English corpus linguistics: studies in honour of Jan Svartvik. London: Longman, 1991.

HAUSMANN, F. J. Kollokationen im deutschen wörterbuch : win beitrag zur theorie des lexikographischen beispiels’. In: BERGENHOLTZ, H.; MUGDAN, J. (Org.). Lexikographie und Grammatik. Tübingen: Niemeyer, 1985, p. 118-129.

HOUAISS, A. Dicionário eletrônico Houaiss da língua portuguesa: versão 3.0.1. Rio de Janeiro: Objetiva, 2009. 1 CD-ROM

KABATEK, J. Sobre a historicidade de textos. Tradução de José da Silva Simões, Linha D’Água, n. 17, p. 157-170, 2005. https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v0i17p157-170

KABATEK, J. Tradições discursivas e mudança linguística. In: LOBO, T.; RIBEIRO, I.; CARNEIRO, Z.; ALMEIDA, N. (Org.). Para a história do Português Brasileiro. Salvador: EDUFBA, p. 505 - 527, 2006.

KILGARRIFF et al. The sketch engine: ten years on. Lexicography: Journal of ASIALEX, v. 1, n.1, p. 7-36, 2014. DOI: https://doi.org/10.1007/s40607-014-0009-9. Disponível em: https://link.springer.com/article/10.1007/s40607-014-0009-9#citeas. Acesso em: 14 de agosto de 2020.

KOCH, P.; Diskurstraditionen: zu ihrem sprachtheoretischen Status und ihrer Dynamik. In: FRANK, B.; HAYE, T.; TOPHINKE, D. (Org.). ScriptaOralia, Tübingen, v. 99, p. 43–79, 1997.

LONGHIN, S. R. Tradições discursivas: conceito, história e aquisição. São Paulo: Cortez Editora, 2014.

LUZ, N. M. Q. P. da.; REZENDE, A. P . A cidade sob o olhar da propaganda: álbum artístico, comercial e industrial. Recife, 1912. In: Memória e História: V Encontro Nordestino de História/ V Encontro Estudual de História, Recife, 2004, p. 1-9.

NESSELHAUF, N. Collocations in a learner corpus. Amsterdam: John Benjamins Publishing Company, 2005.

ÖESTERREICHER, W. Zur Fundierung von Diskurstraditionen. In: HAYE, T.; TOPHINKE,. D. (Org.) Gattungen mittelalterlicher Schriftlichkeit. Tübingen: Narr, 1997. p. 19-41.

ORENHA-OTTAIANO, A. A compilação de um glossário bilíngue de colocações, na área de jornalismo de Negócios, baseado em corpus comparável. 2004. 246 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos e Literários) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo.

ROCHA, J. M. P.;ORENHA-OTTAIANO, A. Colocações especializadas na área médica extraídas a partir do corpus House M.D. Cadernos do IL, Porto Alegre, v. 44, p. 295-318, 2012. DOI: https://doi.org/10.22456/2236-6385.28051. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/cadernosdoil/article/view/28051.

ROCHA, J. M. P. Fraseologia jurídico-comercial e proposta de um glossário de colocações especializadas trilíngue baseado em corpus. 2017. 292 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, São José do Rio Preto, 2017.

SINCLAIR, J. Corpus, concordance, collocation. Oxford: Oxford University Press, 1991.

SAUSSURE, F. Curso de linguística geral. São Paulo: Cultrix, 2012 [1916].

SCHLIEBEN-LANGE, B. Traditionen des Sprechens. Elemente einer pragmatischen Sprachgeschichtsschreibung. Stuttgart: Kohlhammer, 1983.

SINCLAIR, J. Corpus, concordance, collocation. Oxford: Oxford University Press, 1991.

TAGNIN, S. E. O. Collecting data for a bilingual dictionary of verbal collocations: from scraps of paper to corpora research. In: PALC’ 99: practical applications in language corpora. Lodz: Lodz University Press, 1999.

TAGNIN, S. E. O. O jeito que a gente diz: expressões convencionais e idiomáticas. São Paulo: Disal, 2013.

ZULUAGA, A. Introducción al estudio de las expresiones fijas. Frankfurt: Peter D. Lang, 1980.
Publicado
2020-12-29
Seção
Artigos