SOBRE A POSITIVIDADE TEÓRICA DO CONCEITO DE INDÚSTRIA CULTURAL: A PERDA DA SUA DIMENSÃO CRÍTICA

  • Cleidson de Jesus Rocha Universidade Federal do Acre

Resumo

É propósito deste trabalho expor os fundamentos filosóficos do conceito de Indústria Cultural, indicando brevemente suas características principais, a fim de resgatar o sentido original desenvolvido por Adorno e Horkheimer, autores frankfurtianos, inscritos na tradição crítica do Instituto de Investigação Social, encarregada de investigar as contradições e os antagonismos de diversos fenômenos da realidade social do capitalismo tardio. Indicaremos circunstâncias da gênese da Escola de Frankfurt e da Teoria Crítica, apontando a controvérsia fundamental entre esta e a teoria tradicional. Em seguida apontaremos que no livro Dialética do Esclarecimento (1944) onde aparece pela primeira vez o conceito de Indústria Cultural, o conhecimento é tratado como equivalente à racionalidade instrumental, destinada a instituir formas de dominação da natureza e do homem. Finalizamos discutindo a perspectiva de Adorno e Horkheimer para quem o esclarecimento se converte na total mistificação das massas, sendo a Indústria Cultural uma das faces do esclarecimento que se apresenta como um engodo, como uma espécie de novo mito. O método utilizado é o bibliográfico e a fundamentação teórica apoia-se na obra inicial e Adorno e Horkheimer (1985).

Publicado
2020-07-14
Seção
Artigos