OS EFEITOS DA REFORMA TRABALHISTA IMPLEMENTADA NO GOVERNO TEMER SOBRE O ESTADO DO ACRE

  • Ângela Maria Bastos de Albuquerque Mestrandas do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal do Acre, Rio Branco, Acre, Brasil
  • Juliana Santos de Souza Cunha Mestrandas do Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Federal do Acre, Rio Branco, Acre, Brasil https://orcid.org/0000-0002-6980-3114
Palavras-chave: Reforma Trabalhista; Acre; Precarização.

Resumo

O artigo analisa os efeitos da reforma trabalhista implementada no governo do Presidente... Temer sobre o Estado do Acre a partir de referenciais teóricos como o sociólogo Ricardo Antunes, do geógrafo Thomaz Junior (2018), com o apoio de um levantamento bibliográfico de pesquisas relacionadas à Reforma Trabalhista após o ano de 2017. O objetivo foi identificar registrar e analisar como as pessoas, as instituições econômicas, sociais, civis e políticas no Acre perceberam o processo da Reforma Trabalhista e seus efeitos sobre a sociedade brasileira e acreana. A partir dos posicionamentos midiáticos, principalmente dos jornais locais acreanos identificamos como a Reforma Trabalhista tem impactado no desemprego, no número de desocupados, nas formas de trabalhos autônomos, no enfraquecimento do Ministério do Trabalho e no endividamento da sociedade acreana. Constatamos que por ocasião da Reforma Trabalhista, apesar de ser efetivada por um presidente com apenas 5% de aprovação social e envolta em inúmera forma de corrupção, a sociedade acreana, e a sociedade brasileira de maneira geral, estavam numa espécie de letargia lúcida, sem demonstração de reações, sobre as mudanças nefastas que estavam para afetar diretamente os mais novos ingressantes no mercado de trabalho e as gerações futuras.

Referências

ACISA, ASSOCIAÇÃO... Comercial do Acre. ACISA apoia posicionamento de parlamentares que votaram a favor da reforma trabalhista. Jornal Contilnet online. Rio Branco: 2017. Disponível em: https://www.acisaac.org.br/314-2/ acesso em 09 de fevereiro de 2020.
ACISA.... apoia posicionamento de parlamentares que votaram a favor da reforma trabalhista. Jornal Contilnet online. O Acre em um só lugar. Rio Branco: 5 de Maio de 2017. Disponível em: https://contilnetnoticias.com.br/2017/05/acisa-apoia-posicionamento-de-parlamentares-que-votaram-a-favor-da-reforma-trabalhista/ acessado em 09 de fevereiro de 2020.
ACRE... é o terceiro estado com maior número de desempregados no Brasil, aponta IBGE. Jornal Contilnet, via Acre.com.br. 16 de Maio de 2019. Disponível em: https://www.acre.com.br/acre-e-o-terceiro-estado-com-maior-numero-de-desempregados-no-brasil-aponta-ibge/ Acesso em: 09 de fevereiro de 2020.
ALVES, José. As revoltas dos trabalhadores em Jirau (RO): degradação do trabalho represada na produção de energia elétrica na Amazônia. UNESP, 2014. Tese (Doutorado em Geografia) – Faculdade de Ciências e Tecnologia, Presidente Prudente, 2014.
ANTUNES, Ricardo. Os sentidos do trabalho: ensaios sobre a afirmação e a negação do trabalho. 6ª ed. Boitempo, 2002.

BRASIL, Janine; MELO, Quésia. Em Rio Branco, centrais sindicais protestam contra a Reforma Trabalhista. G1, Acre. Rio Branco: 10 de novembro de 2017. Disponível em: https://g1.globo.com/ac/acre/noticia/em-rio-branco-centrais-sindicais-protestam-contra-a-reforma-trabalhista.ghtml. Acesso em 19 de setembro de 2019.
BRASIL, IBGE, Cidades e Estados, Acre. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/cidades-e-estados/ac/ acesso em: 09 de fevereiro de 2020.
______Janine; MELO, Quésia. Em Rio Branco, centrais sindicais protestam contra a Reforma Trabalhista. G1, Acre. Rio Branco: 10 de novembro de 2017. Disponível em: https://g1.globo.com/ac/acre/noticia/em-rio-branco-centrais-sindicais-protestam-contra-a-reforma-trabalhista.ghtml. Acesso em 19 de setembro de 2019.
______Lei nº 13.467, de 13 de julho de 2017. Altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, e as Leis n º 6.019, de 3 de janeiro de 1974, 8.036, de 11 de maio de 1990, e 8.212, de 24 de julho de 1991, a fim de adequar a legislação às novas relações de trabalho. Disponível em: Acesso em: 18 de setembro de 2020.
CHAHAD, José Paulo Zeetano. Reforma Trabalhista de 2017: Principais Alterações no Contrato de Trabalho. Temas de economia aplicada, informações Fipe, 2017. Disponível em: http://downloads.fipe.org.br/content/downloads/publicacoes/bif/bif445-8-13.pdf acesso em: 24 fevereiro de 2020.
COLL, Liana. Aumento da miséria extrema, informalidade e desigualdade marcam os dois anos da Reforma Trabalhista. Jornal da Unicamp, Instituto humanista Unisinos, 11 novembro de 2019. Disponível em: http://www.ihu.unisinos.br/594278-aumento-da-miseria-extrema-informalidade-e-desigualdade-marcam-os-dois-anos-da-reforma-trabalhista acesso em: 24 de fevereiro de 2020.

COSTA, Ana Cristina Pereira da; ALMEIDA, Maria Goretti de. A reforma trabalhista e seus desdobramentos para a classe trabalhadora. VI Seminário Cetros Crise e Mundo do Trabalho no Brasil desafios para a classe trabalhadora. UECE: Agosto de 2018. Disponível em: www.uece.br/eventos/seminariocetros/anais/trabalhos... Acesso em: 09 de fevereiro de 2020.

DA AMAZÔNIA... Da Amazônia para o Mundo. Percentual de famílias endividadas no Acre aumenta pelo sexto mês consecutivo, diz Acisa. Jornal Folha do Acre, via Acre.com.br 18 de julho de 2019. Disponível em: https://www.acre.com.br/percentual-de-familias-endividadas-no-acre-aumenta-pelo-sexto-mes-consecutivo-diz-acisa/ acesso em: 09 de fevereiro de 2020.
FERREIRA Edmilson. Reforma da CLT reduz número de processos trabalhistas no Acre. Jornal on line, AC, 24 horas, dia 18 maio de 2019. Disponível em: https://www.ac24horas.com/2019/05/18/reforma-da-clt-reduz-em-247-numero-de-processos-trabalhistas-no-acre/ acesso em: 08 fevereiro de 2020.

GOVERNO... Governo prometeu 2 milhões de vagas; criou 298,3 mil até agora, 19 de dezembro de 2018. Jornal O Alto Acre. com. Disponível em: https://oaltoacre.com/contratacoes-informais-aumentam-no-pais-apos-um-ano-de-reforma-trabalhista/ acesso em: 09 de fevereiro de 2020.

GUERRA, Alexandre et al. Variação da desocupação no Brasil (2016-2017): apontamentos sobre a desigualdade regional e de gênero. In: TEIXEIRA, Marilane Oliveira et al. Contribuição crítica à reforma trabalhista. Campinas, SP: UNICAMP/IE/CESIT, 2017. 328 p. Disponível em: https://www.eco.unicamp.br/images/arquivos/Reformatrabalhista.pdf acesso em 13 de fevereiro de 2020.

HERMANSON, Marcos. "Trabalho precário, intermitente, é a antessala do desemprego", diz Ricardo Antunes. Brasil de Fato, Futuro do trabalho. São Paulo (SP): 29 de Abril de 2019. https://www.brasildefato.com.br/2019/04/29/trabalho-precario-intermitente-e-a-antessala-do-desemprego-diz-ricardo-antunes acesso em 13 de fevereiro de 2020.
KREIN, José Dari; GIMENEZ, Denis Maracci; SANTOS, Anselmo Luís dos. (Orgs). Dimensões críticas da reforma trabalhista no Brasil. Campinas, SP: Curt Nimuendajú, 2018. 304 p. acesso em: 09 fevereiro de 2020. Disponível em: https://www.eco.unicamp.br/images/arquivos/LIVRODimensoes-Criticas-da-Reforma-Trabalhista-no-Brasil.pdf acesso em 13 de fevereiro de 2020.


LAPUENTE, Rafael Saraiva. O jornal impresso como fonte de pesquisa: delineamentos metodológicos Alcar 2015. UFRGS, Porto Alegre, RS: 2015.
LÚCIO, Clemente Ganz. Desafios para o crescimento e o emprego. Estud. av. vol.29 no. 85 São Paulo Sept./Dec. 2015. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-40142015008500003 acesso em: 09 de fevereiro de 2020.

MÉSZÁROS, István. O marxismo hoje. Crítica Marxista, São Paulo, Brasiliense, v.1, n.2, 1995, p.129-137. Entrevista concedida a Chris Arthur e Joseph McCarney. Disponível em:
https://www.ifch.unicamp.br/criticamarxista/arquivos_biblioteca/entrevista20Entrevista.pdf acesso em 09 de fevereiro de 2020.
PRIEB, Sérgio A.M.; CARCANHOLO, Reinaldo A. O trabalho em Marx. In: CARCANHOLO, Reinaldo A. (Org.). Capital: essência e aparência. Vol. 1. São Paulo: Expressão Popular, 2011. p. 147-161.

ROCHA, Rafael. Reforma trabalhista! um guia completo das mudanças nos direitos trabalhistas. Publicado em julho de 2017. Acesso em 09 de fevereiro de 2020. Disponível em: https://jus.com.br/artigos/59115/reforma-trabalhista
ROUBICEK, Marcelo. Como ficou o quadro de ações trabalhistas 2 anos após a reforma. Expresso, 03 de nov de 2019. Acesso em: 09 de fevereiro de 2020. Disponível em: https://www.nexojornal.com.br/expresso/2019/11/03/Como-ficou-o-quadro-de-a%C3%A7%C3%B5es-trabalhistas-2-anos-ap%C3%B3s-a-reforma

SANZ, Raphael e NADER, Valéria. A degradação institucional brasileira chegou ao seu ponto mais agudo. Entrevista com Ricardo Antunes Correio da Cidadania 2 de abril de 2016 https://racismoambiental.net.br/2016/04/02/ricardo-antunes-a-degradacao-institucional-brasileira-chegou-ao-seu-ponto-mais-agudo/

SILVA, André Ricardo Lopes da; LEITE, Milca Micheli Cerqueira. Estratégias do capitalismo e reforma trabalhista: a instrumentalização do sujeito trabalhador. In: RAMOS, Gustavo Teixeira, et al. (coords.) O golpe de 2016 e a reforma trabalhista: narrativas de resistência. Bauru: Canal 6, 2017. 391 p.
TEIXEIRA, Marilane Oliveira et al. Contribuição crítica à reforma trabalhista. Campinas, SP: UNICAMP/IE/CESIT, 2017. 328 p Acesso físico ou digital?
THOMAZ JUNIOR, Antônio. Geografia do Trabalho por Inteiro. Revista Pegada, Presidente Prudente. Vol. 19, n. 02, pp. 06-56, maio-agosto, 2018. Disponível em: https://revista.fct.unesp.br/index.php/pegada/article/view/6000 acesso em: 12 de fevereiro de 2020.
Publicado
2020-12-29