ENSINO DE ORALIDADE E CULTURA LATINO-AMERICANA NO CENTRO DE ESTUDOS DE LÍNGUAS DE RIO BRANCO

Autores

  • Dina Yajaira Vera Cavero SANCHEZ Centro de Estudo de Línguas Rio Branco Acre
  • Luciano Mendes SARAIVA Universidade Federal do Acre

Palavras-chave:

Ensino; Oralidade; Cultura; Centro de Idiomas.

Resumo

O presente estudo delimitou como objetivo descrever uma proposta para o ensino da oralidade em espanhol, utilizando-se de sequências didáticas ministradas no Centro de Estudos de Línguas (CEL) no município de Rio Branco, como uma possibilidade de colaborar com os alunos no desenvolvimento da competência oral da língua, associado ao ensino de culturas latino-americana. Trata-se de um estudo qualitativo, pesquisa-ação, descritivo. Como pressupostos teóricos propomos diálogos entre os estudiosos Moita Lopes (2006), Gargallo (1999), Vygotsky (1989), Canclini (2015) e Hall (2005, 2008). Como resultado, defendemos que além da preocupação com o ensino dos conteúdos sistêmicos da língua espanhola e o domínio da competência oral da língua, a escola também precisa levar em conta a pluralidade cultural das sociedades latino-americanas, buscando desafiar as relações de poder que produzem e preservam as diferenças e os discursos hegemônicos que minimizam as culturas dos diferentes povos latinos.

Biografia do Autor

Luciano Mendes SARAIVA, Universidade Federal do Acre

Professor adjunto 2 da Universidade Federal do Acre, no curso de Letras Espanhol e respectivas literaturas. Doutor em Linguística Aplicada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro com pesquisa em Estudos Culturais,dialogando com análise do discurso e análise da narrativa, América Latina, canção como gênero discursivo e ensino de línguas. Mestre em Letras: linguagem e identidade pela Universidade Federal do Acre com trabalho relacionado ao Ensino da Fonética em Manuais Didáticos. Membro pesquisador do grupo Geadel.

Referências

CALATRAVA, María Carmen Ruiz. La enseñanza de idiomas a través de la música. Revista digital: innovación y experiencias. Diciembre 2008. Disponível em: https://redined.educacion.gob.es/xmlui/bitstream/handle/11162/. Acesso em: 10/05/2022.

CANCLINI, Nestor Garcia. Culturas híbridas: estratégias para entrar e sair da modernidade. Trad. Heloísa P. Cintrão e Ana Regina Lessa. São Paulo: EDUSP, 2015.

GARGALLO, Santos Isabel. Lingüística Aplicada a la Enseñanza-Aprendizaje del Español como Lengua Extranjera. Madrid: Arco, 1999.

GIDDENS, Anthony. Modernidade e identidade. Tradução de Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: J. Zahar, 2001.

HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. 11. ed. Tradução de Tomaz Tadeu da Silva e Guacira Lopes Louro. São Paulo: DP & A, 2006.

______. Identidade e diferença. Rio de Janeiro: Vozes, 2005.

MOITA LOPES, Luiz Paulo. Introdução. In: MOITA LOPES, L. P. (Org.). Por uma linguística aplicada indisciplinar. São Paulo: Parábola, 2006.

______. Oficina de linguística aplicada: A natureza social e educacional dos processos de ensino/aprendizagem de línguas. Campinas: Marcado de Letras, 1996.

PROJETO POLÌTICO PEDAGÓGICO. Centro de Estudo de Línguas, Rio Branco, 2019. SANTOS, Charles Roberto Oliveira. Dados sobre o Projeto Político Pedagógico do Centro de Estudo de Línguas.

SOUZA, Eneida Maria de. Nem samba nem rumba. In: __. Crítica Cult. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2002)

VYGOTSKY, L.S. Pensamento e Linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

Downloads

Publicado

2022-08-02