PENSAR, AGIR E VIVER DE MANEIRA EST-É-TICA EM TEMPOS DE INTERREGNO

Grassinete OLIVEIRA, Shelton SOUZA, Gabriela OLIVEIRA-CODINHOTO , Paula Tatiana SILVA-ANTUNES , Maristela DINIZ

Palavras-chave: EDUCAÇÃO. LINGUAGENS. SENTIR-VIVER

Biografia do Autor

Grassinete OLIVEIRA, Universidade Federal do Acre - UFAC

Doutora em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem pela PUC-SP (2020). Líder do Grupo de Estudos em Análise do Discurso e Ensino de Línguas (GEADEL) e pesquisadora do Grupo de Pesquisa Inclusão linguística em Cenários de Atividades Educacionais (ILCAE). Professora da Universidade Federal do Acre (UFAC), com linhas de interesse relacionadas às questões de Formação de Formadores, Tecnologias na Educação, Linguística Aplicada ao ensino de Línguas e Estudos da Linguagem. 

Gabriela OLIVEIRA-CODINHOTO , Universidade Federal do Acre - UFAC

Graduada em Letras (2008) pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP), câmpus de São José do Rio Preto, e mestrado (2011) e doutorado (2016) em Estudos Linguísticos, ambos pela mesma instituição. Atualmente é professora do Centro de Educação, Letras e Artes da Universidade Federal do Acre - Ufac, onde atua, também, como professora do quadro permanente do Programa de Pós-Graduação em Letras: Linguagem e Identidade (PPGLI) e do Programa de Pós-Graduação em Letras - Mestrado Profissional (ProfLetras). Publicou o livro "Estratégias de relativização e construções alternativas nas línguas indígenas do Brasil", em parceria com Roberto Gomes Camacho, pela Editora Cultura Acadêmica da UNESP em 2013. É pesquisadora do Grupo de Pesquisa em Gramática Funcional (UNESP/CNPq) e do Grupo de Estudos em Análise de Discurso e Ensino de Línguas (Ufac/CNPq). Tem experiência na área de Linguística, com ênfase em Gramática Funcional, atuando principalmente nos seguintes temas: Oração Relativa, Subordinação, Aquisição de Escrita, Línguas Indígenas Brasileiras e Tipologia Linguística.

Paula Tatiana SILVA-ANTUNES, Universidade Federal do Acre - UFAC

Doutora em Estudos da Linguagem pela Universidade Estadual de Londrina, Brasil (2014). Vice-líder do Grupo de Estudos em Análise de Discurso e Ensino de Línguas - GEADEL,  Professora Adjunta - Classe C - nível 2, da Universidade Federal do Acre , Brasil

Shelton SOUZA , Universidade Federal do Acre - UFAC

Doutor em Linguística (2017) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro/UFRJ. Professor de Linguística e Língua Portuguesa na Universidade Federal do Acre/UFAC. Suas principais áreas de atuação são: teoria e análise de línguas, principalmente de línguas indígenas brasileiras, fonologia, morfologia e sintaxe, ensino de português como L1/L2, análise do português em contraste com línguas indígenas, línguas de sinais (Libras) e línguas europeias para fins didáticos, análise e produção de material didático para o ensino de português como L1/L2 e estuda a inter-relação entre língua(gens), sexualidades, gêneros sociais e produção e (re)construção de identidades em diferentes espaços sociais.

Maristela DINIZ , Universidade Federal do Acre - UFAC

Possui Doctorado en Investigación Transdisciplinar en Educación, pela Universidad de Valladolid, Espanha (2019). Professora Titular da Universidade Federal do Acre , Brasil. 

Referências

ARENDT, Hannah. A condição humana. Tradução de Roberto Raposo. 10. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2007, p. 16-17.
BAUMAN, Zygmunt. MAURO, Ezio. Babel: entre a incerteza e a esperança. Tradução: Renato Aguiar. Rio de Janeiro: Zahar, 2016.
CESAR, América Lúcia Silva; MAHER, Terezinha Machado. Política linguística e políticas de identidade em contexto indígena: uma introdução. Trab. Ling. Aplic., Campinas, n. (57.3): 1297-1312, set./dez. 2018. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/tla/v57n3/0103-1813-tla-57-03-1297.pdf. Acesso: 13 dez. 2020.
CORACINI, Maria José. Entre a modernidade e a pós-modernidade: discurso e ensino. Educação, Porto Alegre, v. 37, n. 3, p. 400-411, set.-dez. 2014. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faced/article/view/18148/12448. Acesso em: 18 dez. 2020.
CORACINI, Maria José. Aspectos linguístico-culturais na relação com o outro: construção da identidade de sujeitos em situação de rua. Atas do Simpósio Mundial de Estudos de Língua Portuguesa Simpósio - Língua, discurso, identidade, Università del Salento, 2017, p. 1947-1959. Disponível em: http://siba-ese.unisalento.it/index.php/dvaf/article/view/17944/15295. Acesso: 13 dez. 2020.
DOMENECK, Ricardo. Duas mulheres e a est-É-tica: Hannah Arendt e Clarice Lispector. 2013. Disponível em: http://revistamododeusar.blogspot.com/2013/02/duas-mulheres-e-est-e-tica-hannah.html. Acesso: 21 dez. 2020.
ECO, Umberto. Obra aberta. São Paulo: Perspectiva, 1991.
GUIDDEN, Anthony. Consequências da Modernidade. São Paulo: Editora da Unesp, 1991.
LISPECTOR, Clarice. A Descoberta do Mundo. Rio de Janeiro. Editora Nova Fronteira. 1984, p.165-166.
PENNYCOOK, A. A linguística aplicada dos anos 90: em defesa de uma abordagem crítica. In: SIGNORINI, I; CAVALCANTI, M. C. (org.). Linguística aplicada e transdisciplinaridade. Campinas: Mercado de Letras, 1998, p. 23-49.
PENNYCOOK, A . Uma linguística aplicada transgressiva. In: MOITA LOPES, L. P. (org.). Por uma linguística aplicada indisciplinar. São Paulo: Parábola, 2006, p. 67-84.
SOUZA, Shelton Lima de Souza; KAXINAWÁ, Joaquim Paulo de Lima. (Re)Existência Linguística. In. ALBUQUERQUE, Gerson; PACHECO, Sarraf Agernor. Wakürü: dicionário analítico. Rio Branco: Nepan, 2019. Disponível em: https://posletrasufac.com/2020/02/03/uwakuru-dicionario-analitico/. Acesso: 02/01/2019.
WALSH, Catherine. La Interculturalidad en la educación. Lima: Ministerio de Educación, 2005.
Publicado
2020-12-29
Seção
Apresentação