ETHÉ EM DIÁLOGOS NO RAP “EU COMPRO”

Palavras-chave: Ethos; Rap; Relações sociais.

Resumo

Neste artigo, a nossa discussão se centrará na construção de ethé no rap “Eu compro”, do grupo Racionais MC’s. Para tal, utilizamos, como escopo teórico e metodológico, os estudos de Maingueneau (2004, 2005, 2008, 2018) e de Amossy (2005). O rap narra situações que permeiam as relações sociais e, como o próprio título sinaliza, na primeira pessoa do discurso, indica a aquisição de algo por meio de dinheiro. Ao longo da análise se observará que a desigualdade social é marcante, com realce para o consumo, principalmente de bens de alto custo  Assim, os  ethé que poderão ser observados assumem, em vários momentos, uma perspectiva de homem franco, encorajador e denunciante, quando, nos dois primeiros casos, deseja ter melhores condições financeiras e usufruir dos bens e serviços da classe dos mais abastados, ao mesmo tempo em que mostra o racismo estrutural, que ainda existe em nossa sociedade, quando parece não poder ter o direito de ocupar espaços de consumo, por exemplo.

Biografia do Autor

Tatiana MOREIRA, Instituto Federal do Espírito Santo

Professora do Instituto Federal do Espírito Santo.

Doutora em Linguística pela Universidade Federal do São Carlos (UFSCar), com estágio doutoral na Universidade de Coimbra (POR).

André de AGUIAR, PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO

Professor do Instituto Federal do Espírito Santo.

Doutorando em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem na Pontifícia Católica de São Paulo (PUC-SP).

Mestre em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal do Espírito Santo.

Referências

AMOSSY, Ruth (org.). In: ______. Imagens de si no discurso: a construção do ethos. Trad. Dilson Ferreira da Cruz, Fabiana Komesu e Sírio Possenti. São Paulo: Contexto, 2005. p. 9-28.

ARISTÓTELES. Arte retórica e arte poética. Trad. Antônio Pinto. São Paulo: Ediouro, [s/d].

FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. 11. ed. Rio de Janeiro: Graal, 2013.

______. O sujeito e o poder (1984). In: RABINOW, Paul: DREYFUS, Hubert. Michel Foucault: uma trajetória filosófica – para além do estruturalismo e da hermenêutica. Rio de Janeiro: Universitária, 1995, p. 231-249.

HADDAD, Galit. Ethos prévio e ethos discursivo: o exemplo de Romain Rolland. In: AMOSSY, Ruth (org.). Imagens de si no discurso: a construção do ethos. Trad. Dilson Ferreira da Cruz, Fabiana Komesu e Sírio Possenti. São Paulo: Contexto, 2005. p. 145-165.

MAINGUENEAU, Dominique. Retorno crítico à noção de ethos. In: Letras de Hoje, v. 53, n. 3, p. 321-330, jul.-set. 2018.

______. Análise de textos de comunicação. Trad. Cecília P. de Souza e Silva e Décio Rocha. 3. ed. São Paulo: Cortez, 2004.

______. Ethos, cenografia, incorporação. In: AMOSSY, Ruth. Imagens de si no discurso: a construção do ethos (org.). Trad. Dilson Ferreira da Cruz, Fabiana Komesu e Sírio Possenti. São Paulo: Contexto, 2005, cap. p. 69-92.

______. A propósito do ethos. In: MOTTA, Ana Raquel; SALGADO, Luciana (orgs.). Ethos discursivo. São Paulo: Contexto, 2008, p. 11-29.

MOREIRA, Tatiana Aparecida. Discursividade, poder e autoria em raps brasileiros e portugueses: arenas entre a arte e a vida. 2016. 297f. Tese (Doutorado em Linguística). Universidade Federal de São Carlos. São Carlos, 2016.

______. A constituição da subjetividade em raps dos Racionais MC’s. 2009. 112 f. Dissertação (Mestrado em Estudos Linguísticos) – Faculdade de Letras da Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória, 2009.

______. A construção do ethos em Negro Drama. In: III Simpósio Internacinal sobre Análise do Discurso, 2008, Belo Horizonte. Belo Horizonte: UFMG, 2008. p. 1-12.

Publicado
2020-07-17