CONFLITOS COMO FONTE DE DESENVOLVIMENTO: ANÁLISE DE UM PROCESSO DE ELABORAÇÃO DE MATERIAL DIDÁTICO PARA O ENSINO DE INGLÊS

  • Rubens Fernando de Souza LOPES Instituto Federal de São Paulo
Palavras-chave: conflitos; ressignificações; material didático; inglês

Resumo

Este artigo tem como objetivo principal realizar discussões teóricas e apontar, por meio de análise de dados, como conflitos (percebidos por meio de discordâncias, opiniões divergentes, contrastes de conceitos), em um processo interacional para elaboração de material didático para ensino de inglês, podem servir como fonte de desenvolvimento cognitivo. O contexto apresenta um professor-pesquisador e sua orientadora de mestrado em uma sessão de orientação. Este é um recorte de uma Pesquisa-Ação Colaborativa que se mostra pertinente para a compreensão do tema central deste artigo, pois, por meio da análise de dados, é possível notar como conflitos conceituais sobre leitura e linguagem surgem em meio a discussões dos participantes, resultando em ressignificações. Os pilares teóricos desta investigação se encontram em Bakhtin (1953/1997, 1929/2004), Vygotsky (1930-34/2007, 1987); e em documentos oficiais como os PCN-LE (BRASIL, 1998) e as Orientações Curriculares para Ensino da Língua Inglesa (SÃO PAULO, 2007).

Biografia do Autor

Rubens Fernando de Souza LOPES, Instituto Federal de São Paulo

Doutor e Mestre em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem pela PUC-SP (2017/2009), especialista em língua inglesa pela UNIVERSITAS-MG (2006), licenciado em Letras e graduado em Administração. Atualmente é professor do Instituto Federal de São Paulo, membro do Núcleo Docente Estruturante (NDE) do Curso de Bacharelado em Administração e representante do NAPNE (Núcleo de Atendimento às Pessoas com Necessidades Específicas) no IFSP - câmpus Jacareí. Realizou estágio doutoral como bolsista Fulbright/CAPES na Universidade de Rutgers (the State University of New Jersey, 2015-2016) e é membro do grupo ILCAE/PUC-SP (Inclusão Linguística em Cenários de Atividades Educacionais). Atuou na Universidade Paulista (São José dos Campos) no Departamento de Letras como professor adjunto (2010-2012), e na Faculdade de Tecnologia do Estado de São Paulo (FATEC - São José dos Campos e Jacareí) como professor de língua inglesa nos eixos de Logística, Banco de Dados, Rede de Computadores e Geoprocessamento (2012-2016). Assistente Editorial da Revista The ESPecialist (PUC-SP), na área de Linguística Aplicada, e membro da Comissão Editorial da Revista Independent Journal of Management & Production (IJM&P), na área de Administração. Lecionou em institutos de idiomas, como PBF Freedom e Yázigi, entre 2001 e 2016. Certificado em TEFL (KIOSK - Toronto, 2001), Current Developments in Language Teaching (International House - London, 2013) e Academic Writing (San Diego State University, 2015). Pesquisas apresentadas em congressos organizados por universidades no Brasil, Argentina, Áustria e EUA. Suas investigações atuais estão voltadas para elaboração de material didático, performance (dramatização), desenvolvimento humano, ensino-aprendizagem de inglês e inclusão social.

Referências

ASBAHR, F. S. F. A pesquisa sobre a atividade pedagógica: contribuições da teoria da atividade. Revista Brasileira de Educação. n.29, p. 108-118. maio/jun/jul/ago, 2005.

BAKHTIN, M. (VOLOCHÍNOV, V. N.) Marxismo e filosofia da linguagem. Trad. Michel Lahud e Yara F. Vieira. São Paulo: Hucitec, 2004.

______. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BAQUERO, R. Vygotsky e a aprendizagem. Porto Alegre: Vozes, 1998.

BRASIL. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua estrangeira. Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRONCKART, J. P. Atividade de linguagem, textos e discursos: por um interacionismo sócio-discursivo. Trad. Anna Raquel Machado e Péricles Cunha. São Paulo: EDUC, 2003.

DANIELS, H. Vygotsky e a Pedagogia. São Paulo: Loyola, 2003.

ENGESTRÖM, Y. Learning by expanding: ten years after. Introduction to the German edition of Learning by Expanding, published under the title of Lernen durch expansion. Marburg: BdWi-Verlag. 1999a.

ENGESTRÖM, Y.; MIETTINEN, R. Activity theory: a well-kept secret. In: ENGESTRÖM, Y.; MIETTINEN, R.; PUNAMÄKI, R. In: Perspectives on activity theory. Cambridge University Press, 1999. p. 1-17.

FREIRE, P. A importância do ato de ler. São Paulo: Cortez, 2006.

LEONTIEV, A. N. Activity, consciousness, and personality. 2019. Disponível em <https://www.marxists.org/archive/leontev/works/1978/index.htm>. Acesso em: 29/05/2019.

LOPES, R. F. S. A elaboração de material didático: instrumento de (re)constituição do professor de inglês. 2009. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem) – LAEL, Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, 2009.

__________. A colaboração para o desenvolvimento do repertório linguístico em atividades de performance teatral e reflexão em aulas de inglês no ensino superior tecnológico. 2017. pp. 176. Tese (Doutorado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem) – LAEL, Pontifícia Universidade Católica, São Paulo, 2017.

MAGALHÃES, M. C. C. Intervention Research in a Public Elementary School: A Critical-Collaborative Teacher Education Project on Reading and Writing. Outlines - Critical Practice Studies, vol. 17, No. 1, p. 39-61, 2016.

MARCUSCHI. L. A. Análise da Conversação. São Paulo: Editora Ática, 2006.

NININ, M. O. G. A atividade de observação nas práticas de orientação a professores: uma perspectiva crítica. D.E.L.T.A., 25:2, p. 347-400, 2009.

REGO, T. C. Vygotsky: uma perspectiva histórico-cultural da educação. Petrópolis: Vozes, 2007.

ROJO, R.; CORDEIRO, G. S. Apresentação: gêneros orais e escritos como objetos de ensino: modo de pensar, modo de fazer. In: DOLZ, Joaquim.; SCHNEUWLY, Bernard. Gêneros orais e escritos na escola. Campinas: Mercado de Letras, 2004, p. 7-18.

SÃO PAULO (Município). Orientações curriculares e proposição de expectativas de aprendizagem para o ensino fundamental: ciclo II: língua inglesa. São Paulo: SME / DOT, 2007.

SCHAFFER, H. R. Episódios de envolvimento conjunto como contexto para o desenvolvimento. In: Daniels, Harry. Uma introdução a Vygotsky. Trad. Marcos Bagno. São Paulo: Loyola. 2002, p. 293 – 326.

VYGOTSKY, L. S. The collected works of L. S. Vygotsky. Vol. 1. New York: Plenum, 1987.

_______. (1930) Internalização das Funções Superiores. In: COLE, Michael.; JOHN-STEINER, Vera.; SCRIBNER, Sylvia.; SOUBERMAN, Ellen. Formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 2007, p. 51-58.

______. (1933) Interação entre aprendizado e desenvolvimento. In: COLE, Michael.; JOHN-STEINER, Vera.; SCRIBNER, Sylvia.; SOUBERMAN, Ellen. Formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. São Paulo: Martins Fontes, 2007, p. 87-105.

______. (1934) Construção do pensamento e da linguagem. Trad. Paulo Bezerra. São Paulo: Martins Fontes. 2001.

Publicado
2020-07-17