RESISTIR NA (RE)EXISTÊNCIA:

DECOLONIZANDO SABERES NA RELAÇÃO UNIVERSIDADE-ESCOLA-COMUNIDADE

Autores

Resumo

O objetivo deste texto é problematizar a relação universidade-escola-comunidade, incentivando o desenvolvimento do potencial profissional e humano de discentes e docentes nos três pilares: ensino, pesquisa e extensão. Nesse viés, destacamos ainda, a relação dialógica (CALVO E FREITAS, 2011) e decolonial dos saberes (MIGNOLO, 2013; QUIJANO, 2005) de todos os entes envolvidos, com uma abordagem qualitativa e interpretativista, por meio de pesquisa bibliográfica e relatos de experiência das pesquisadoras em três instituições de ensino superior: UFMG, UNIFESP e UERR. As discussões nos guiam para uma transformação do sujeito da educação em presença, seguindo Biesta (2017). Assim, ressaltamos a visão teórica como movimento que prescinde da prática, cuja prática ressignifica a teoria, através da noção de dialogicidade que caminha para a (re)construção de uma universidade como agência, que resiste e (re)existe com a escola e com a sociedade.

Biografia do Autor

Cora Elena Gonzalo Zambrano, UERR/UFMG

Professora da Universidade Estadual de Roraima. Doutoranda pelo Programa de Pós Graduação em Estudos Linguísticos da UFMG.

Marina Reinoldes, UFMG

Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos da Universidade Federal de Minas Gerais

Karlla Andrea Leal Cruz, UFMG

Mestranda no Pograma de Pós-Graduação em Estudos Linguísticos da Universidade Federal de Minas Gerais

Downloads

Publicado

2020-08-04

Como Citar

Gonzalo Zambrano, C. E., Reinoldes, M. ., & Leal Cruz, K. A. (2020). RESISTIR NA (RE)EXISTÊNCIA:: DECOLONIZANDO SABERES NA RELAÇÃO UNIVERSIDADE-ESCOLA-COMUNIDADE. MUIRAQUITÃ - REVISTA DE LETRAS E HUMANIDADES, 8(1). Recuperado de https://periodicos.ufac.br/index.php/mui/article/view/3787

Edição

Seção

ARTIGOS